Doze dos 14 locais pesquisados pelo IBGE registram queda na produção industrial. Bahia aparece com queda de 0,3%

A produção industrial diminuiu, na passagem de março para abril, em 0,3% na Bahia. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
A produção industrial diminuiu, na passagem de março para abril, em 0,3% na Bahia. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
A produção industrial diminuiu, na passagem de março para abril, em 0,3% na Bahia. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
A produção industrial diminuiu, na passagem de março para abril, em 0,3% na Bahia. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

A produção industrial diminuiu, na passagem de março para abril, em 12 dos 14 locais pesquisados pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE). De acordo com dados divulgados hoje (06/06/2012), as perdas mais intensas foram observadas em Goiás (-7,6%) e no Paraná (-7%).

Esses dois locais, segundo o documento, praticamente eliminaram os aumentos registrados no mês anterior, que foram de 7,7% em Goiás e 7,3% no Paraná.

Também apresentaram quedas mais fortes do que a média nacional (-0,02%) o Amazonas (-5,8%), Ceará (-4,7%), Rio de Janeiro (-2,9%) e Rio Grande do Sul (-2,4%).

Os demais resultados negativos foram verificados na Região Nordeste (-0,7%), em Pernambuco (-0,6%), em São Paulo (-0,4%), na Bahia (-0,3%), no Espírito Santo (-0,2%) e em Minas Gerais (-0,1%).

Por outro lado, o Pará (4,3%) e Santa Catarina (0,3%) foram os únicos locais que apresentaram expansão na produção industrial em abril na comparação com o mês anterior.

Em relação ao mesmo período de 2011, o documento aponta que a produção caiu em dez dos 14 locais investigados, tendo sido observadas as perdas mais intensas no Amazonas (-11,8%) e no Rio de Janeiro (-9,4%). De acordo com o levantamento, o desempenho da indústria nesses dois locais foi influenciado pelo segmento de bens de consumo duráveis. No Amazonas, as principais diminuições foram verificadas na produção de motos, aparelhos de ar condicionado, micro-ondas, celulares, televisores e relógios; e no Rio de Janeiro, em automóveis.

Nessa base de comparação, também houve recuo mais intenso do que a média nacional (-2,9%) no Espírito Santo (-4,4%), em São Paulo (-3,8%) e no Ceará (-3,2%). Os demais resultados negativos foram observados em Santa Catarina (-2,3%), no Rio Grande do Sul (-1,7%), na Bahia (-1,4%), na Região Nordeste (-0,8%) e em Minas Gerais (-0,7%).

Já a expansão mais acentuada foi registrada em Goiás (15,1%). Pernambuco (3,9%), o Pará (3%) e o Paraná (2,4%) também registraram aumentos nesse tipo de comparação.

O documento revela, ainda, que houve aumento no ritmo de queda na produção industrial entre o último quadrimestre do ano passado (-1,8%) e o primeiro deste ano (-2,8%), ambas as comparações com igual período do ano anterior. Esse movimento foi observado em sete dos 14 locais pesquisados e as maiores perdas de ritmo foram verificadas no Amazonas (de 7,8% para -4,5%), no Rio de Janeiro (de -1,8% para -7,5%), no Paraná (de 11,6% para 6,2%), no Espírito Santo (de 2,0% para -2,9%) e no Pará (de 3,5% para -0,1%).

Já os maiores ganhos foram observados na Bahia (de -3,5% para 5,6%), em Goiás (de 10,0% para 17,9%) e na Região Nordeste (de -2,4% para 3,2%).

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9610 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).