ANATEL diz que reclamações da telefonia móvel cresceram na Bahia

O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um site de notícias com publicações que abrangem as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador, dirigido e editado pelo jornalista e cientista social Carlos Augusto.

O assessor técnico da Anatel, José Mauro Rodrigues, confirmou ontem (13/04/2012), em audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor da Assembleia Legislativa, as deficiências na prestação dos serviços das operadoras de celular na Bahia. Em resposta ao deputado Bruno Reis (PRP), que solicitou a audiência, ele disse que os problemas se agravaram com as promoções, que, apesar de positivas para os consumidores, não são antecedidas por investimentos em cobertura de sinal e melhorias no setor de atendimento aos clientes.

“Claro que todos nós somos a favor das promoções. Mas muitas pessoas se queixam, por exemplo, de que aderiram a um plano no qual você paga um determinado valor para falar ilimitado, mas a ligação cai toda hora e acaba dando no mesmo, ou seja, o gasto é igual ao que seria se você não tivesse a promoção. É fato, senhor José Mauro, que as reclamações cresceram?”, questionou Bruno Reis.

“As reclamações procedem. Identificamos um aumento das queixas e das irregularidades na Bahia”, disse o assessor técnico, acrescentando que a Anatal detectou, este ano, problemas em 19 cidades da Bahia no que se refere a sinal e queda nas ligações. “Nós estamos fiscalizando. E as multas podem chegar a R$50 milhões. Vamos fazer um trabalho grande de fiscalização na Bahia ao longo de 2012, e a questão da qualidade do sinal é um dos indicadores que utilizamos para avaliar as operadoras”, afirmou o assessor, acrescentando que, até 2019, as operadoras terão que garantir a cobertura em todo o país, incluindo distritos e povoados da zona rural.

Operadoras – Apenas a Vivo não mandou representante para a audiência pública na Comissão de Defesa do Consumidor, presidida pelo deputado Pedro Tavares (PMDB). As outras três – Tim, Oi e Claro – enviaram representantes. O Procon também participou da reunião, que aconteceu pela manhã. A Tim e a Oi admitiram que tiveram problemas na prestação de serviços no Dia das Mães.

“Reconhecemos que houve um erro de planejamento na venda de um plano que lançamos no feriado do Dia das Mães. Por isso, deixamos de vender o plano e estabilizamos a rede”, disse o representante da Oi, José Lira. Já o representante da Tim, André Aprigeo, informou que o problema foi técnico. Ele garantiu que a empresa está trabalhando para melhorar os serviços prestados aos consumidores baianos e prometeu resolver o problema da queda constante das ligações.

Procon – Representante do Procon, Alexandre Dória disse que a maior parte das queixas contra as operadores se deve a cobranças indevidas na conta. Ele revelou o ranking das reclamações contra as empresas de telefonia móvel em 2011: a Oi lidera disparado com 625, seguida da Tim, com 178, da Claro, com 154, e da Vivo, com 89. Ele informou ainda que, no caso da Oi, não há mais diálogo. “Agora tudo vira processo”.

Ele cobrou das empresas um maior investimento no pós-venda. “Os canais de atendimento aos clientes não funcionam. As pessoas passam até uma hora para falar com um atendente. Sugiro que as empresas invistam mais nisso. Notem que há, inclusive, uma grande diferença no número de queixas entre elas, que ocupam mais ou menos, uma fatia igual do mercado na Bahia”.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9614 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).