Secretário Wagner Gonçalves diz que dívida atualizada de Feira de Santana é de R$ 31 milhões e governo teria “herdado” débito de R$ 100 milhões. Confira debates da CMFS

Wagner Gonçalves: “Terei apenas mais uma audiência nessa gestão; espero que compareçam na próxima, que será a última, para que tenhamos com quem dialogar, debater. Esse não deve ser o comportamento da oposição”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Wagner Gonçalves: “Terei apenas mais uma audiência nessa gestão; espero que compareçam na próxima, que será a última, para que tenhamos com quem dialogar, debater. Esse não deve ser o comportamento da oposição”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Wagner Gonçalves: “Terei apenas mais uma audiência nessa gestão; espero que compareçam na próxima, que será a última, para que tenhamos com quem dialogar, debater. Esse não deve ser o comportamento da oposição”.   (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Wagner Gonçalves: “Terei apenas mais uma audiência nessa gestão; espero que compareçam na próxima, que será a última, para que tenhamos com quem dialogar, debater. Esse não deve ser o comportamento da oposição”. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

Dívida herdada era de R$ 100 milhões

A dívida total do município de Feira de Santana, atualmente, é de R$ 31 milhões e 616 mil. Este valor corresponde a 4,79% da receita anual e 15% da quadrimestral em 2012.

Os números foram apresentados pelo secretário da Fazenda, Wagner Gonçalves, em audiência pública realizada pela Câmara Municipal, na terça-feira (29/05/2012), para dar transparência ao quadrimestre financeiro da administração (janeiro, fevereiro, março e abril).

 “Esse é o valor da dívida corrente do município, somando o que ficou de restos a pagar do ano passado e o que ainda não foi pago, ou seja: as despesas correntes do Município feitas até o mês de abril e que não foram quitadas”, explicou.

 Segundo o secretário, o governo Tarcízio Pimenta herdou de outras administrações um débito de mais de R$ 100 milhões. “Hoje ela está abaixo desse valor. Só de INSS, pagamos mensalmente cerca de R$ 1 milhão”.

 Conforme o secretário, a dívida dos viadutos, construídos no governo de José Ronaldo de Carvalho, é de 22 milhões de reais. “Até o final do primeiro semestre, vamos pagar os juros da dívida, que é de 11milhões de dólares”.

 Aumenta receita com ISS e IPTU 

O secretário espera que a receita total do Município no atual exercício, entre transferências e receitas próprias, alcance a cifra de 640 milhões. Ele considera o resultado do primeiro quadrimestre “muito positivo”.

 O ISS teve um crescimento superior a 15%. Em relação ao IPTU, houve um incremento de 10,27% em comparação com o primeiro quadrimestre de 2011”.

Especulações sobre situação financeira do Município causam deserção em licitações, diz secretário

O secretário da Fazenda de Feira de Santana, Wagner Gonçalves criticou, durante a audiência pública realizada na Câmara para apresentação do balanço financeiro do primeiro quadrimestre do ano, boatos de que a Prefeitura está enfrentando dificuldades financeiras.

“A Prefeitura não está quebrada. Esses boatos nada contribuem para o desenvolvimento do Município”, criticou. Ele acredita que especulações negativas sobre as finanças da administração municipal criam problemas com procedimentos licitatórios. “Com isso, estamos tendo licitações desertas e os mais espertos levando benefícios, pois se aproveitam da situação”.

 Vereadores de oposição ao prefeito Tarcízio Pimenta não compareceram à audiência pública, o que também causou críticas do secretário da Fazenda.

“Terei apenas mais uma audiência nessa gestão; espero que compareçam na próxima, que será a última, para que tenhamos com quem dialogar, debater. Esse não deve ser o comportamento da oposição”.

Indicação e abaixo-assinado sugerem Parque de Exposições para evento de som automotivo 

A utilização do Parque de Exposições João Martins da Silva para as competições de equipamentos sonoros automotivos está sendo sugerida pelo vereador David Neto, que encaminhará nesse sentido uma indicação ao governo Tarcízio Pimenta.

O vereador diz contar com um documento com 1.500 assinaturas defendendo o aproveitamento daquele espaço para os chamados “paredões”.

Em sua opinião, o Parque de Exposições seria o local apropriado para os proprietários de veículos realizarem  os “desafios” com seus aparelhos de som automotivos.

Em  discurso na Câmara, ele justificou que o Parque de Exposições João Martins da Silva é pouco utilizado durante o ano. Localizado às margens da rodovia Feira-Salvador – BR 324 -, o equipamento fica distante da área urbana de Feira de Santana. “Não perturbaria o sossego alheio”, pondera.

O vereador Angelo Almeida disse que compartilha da proposta de David Neto, sendo favorável a que se aproveite o Parque de Exposições João Martins da Silva como local apropriado para os “paredões de som”.

Disputa de som pesado em automóveis “infesta” a cidade 

Os ‘paredões’ – espécie de competição entre donos de automóveis equipados com som pesado – estão, cada dia mais, “infestando” a cidade. A advertência é do vereador Angelo Almeida.

Em discurso na Câmara Municipal, ele disse que essas aparelhagens de som automotivo estão causando sério problema de poluição sonora em Feira de Santana, tirando o sossego da comunidade.

Desafios entre pessoas que fazem uso de som pesado acontecem, principalmente nos fins de semana, em diversos locais públicos da cidade e tem sido motivo de denúncias da comunidade aos órgãos ambientais.

Angelo disse ter sido procurado para subscrever um documento em apoio a tais eventos, mas decidiu não aceitar. “Eu me neguei a assinar um abaixo-assinado para ser solidário aos tais paredões”, afirmou.

Ele ressaltou que, na condição de homem público, não dá para fazer política com demagogia, dando às costas para uma grande parcela da sociedade que se sente prejudicada com o volume excessivo dos aparelhos de som.

Veículo com som pesado foi apreendido e liberado duas vezes pela SMTT, afirma vereador 

Um veículo com reboque de placa JQK 5761, equipado com som automotivo pesado, foi apreendido e liberado duas vezes, por ocasião da Operação Cidade em Paz, realizada pela SMTT. O fato foi relatado na Câmara pelo vereador Roberto Tourinho.

Para o vereador, o caso é estranho.  “Este veículo foi apreendido na sexta-feira (25), liberado no sábado e, no domingo, voltou ao pátio. No entanto, ontem (terça-feira, 29), foi liberado novamente pelo secretário de Transportes e Trânsito, Flailton Frankles”, afirmou.

Tourinho salientou que de cerca de 20 veículos apreendidos pela operação que visa o combate à poluição sonora, o único que foi liberado é o de placa JQK 5761. “Quem o liberou foi o Flailton Frankles, dizendo que estava liberando em nome do prefeito”, disse.

O vereador prometeu encaminhar a denúncia à promotora de Justiça de Feira de Santana, Ana Paula, uma vez que o Ministério Público faz parte da Operação Cidade em Paz. “O Ministério Público vai ter que explicar o que é que está acontecendo”, alertou.

Conforme Tourinho, a operação foi desencadeada por membros das polícias Rodoviária, Civil e Militar, Ministério Público, Guarda Municipal, secretarias municipais de Meio Ambiente, de Transportes e Trânsito e de Turismo e Desenvolvimento Econômico.

Para o vereador David Neto, Tourinho deve mesmo visitar o Ministério Público para esclarecer os fatos.

Ambulâncias do SAMU retidas em oficinas por inadimplência da Prefeitura, denuncia Marialvo 

Três ambulâncias do SAMU em Feira de Santana estão retidas há mais de 15 dias na concessionária Jubiabá Veículos, segundo informações do vereador Marialvo Barreto.

Segundo ele, o dono da oficina diz que os veículos não saem de lá porque a Prefeitura está inadimplente com a empresa.

Marialvo disse que recebeu informações de que outro dono de oficina também reteve uma ambulância do SAMU, devido a débito da Prefeitura de Feira de Santana.

“Não sei se é verdade, não fui conferir, então, não posso afirmar, mas essa denúncia da Jubiabá, eu passei e vi pela grade os três veículos lá dentro”, afirmou.

Partindo desse pressuposto, o petista salientou que não é no Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA) que as ambulâncias estão retidas, “conforme alguns dizem”.

 Vereador vai cobrar explicações através de requerimento sobre obra paralisada em loteamento

A paralisação de uma obra de pavimentação no loteamento Genésio Moreira, localizado em Humildes, vai ser alvo de um requerimento do vereador José Marques de Messias – Zé Curuca.

 Em discurso na Câmara, ele disse que já chamou a atenção da Conder – órgão do Governo do Estado responsável pelo acompanhamento dos trabalhos – para o problema, mas nada foi feito.

O vereador informou que a empreiteira começou a obra no ano passado, mas paralisou os serviços sem dar satisfação. Através de requerimento, vai cobrar explicações sobre a situação.

Segundo Zé Curuca, essa obra é realizada com recursos previstos em emendas parlamentares ao Orçamento da União.

“A Caixa Econômica Federal diz que os recursos estão liberados. A Conder informa que há problema com a convocação da empresa segunda colocada na licitação. O fato é que a obra não termina”, protesta.

Ele disse que logo no início dos trabalhos alertou a construtora. “Falei que se fosse para iniciar a obra e parar  em seguida, iria complicar. Para a comunidade, era melhor que não começasse”, afirmou.

Vereador critica Prefeitura de Feira por licitações “desertas” 

O jornal “Folha do Estado” publicou nesta quarta-feira (30/05/2012) atos oficiais informando a “deserção” de duas licitações públicas que seriam promovidas pela Prefeitura de Feira de Santana. O vereador Marialvo Barreto discursou sobre o fato, durante a sessão da Câmara Municipal.

 A primeira licitação de número 069/2012, segundo o petista, se refere à aquisição de baterias para serem utilizadas em veículos lotados na Secretaria Municipal de Administração, pelo período de 10 meses.

A outra licitação, de número 068/2012, tem como objeto a contratação de empresa para prestação de serviços de peças para bombas injetoras dos veículos da Prefeitura também lotados na Secretaria Municipal de Administração, das linhas Ford, Chevrolet, Mercedes Benz, Renault, Kia, Volkswagen e Volare.

Na concepção de Marialvo, quando o prefeito “não tem crédito”, não consegue comprar “nem papel higiênico no mercado”. “Quem vender sabe que não vai receber”, afirma.

Ironizando a situação da Prefeitura, ele disse que o chefe do Executivo Municipal não pode nem “fazer um bozó (despacho de macumba) fiado, porque o babalorixá não vai aceitar, temendo não receber o dinheiro pelo serviço”.

Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).