Feira de Santana: Cemitério do Distrito de Humildes não tem espaço para sepultamento e o de Jaíba está quase na mesma situação, diz vereador Marialvo Barreto

Marialvo Barreto: "Estão enterrando literalmente um por cima do outro. Não há espaço nem para mais uma cova". | (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)Marialvo Barreto: "Estão enterrando literalmente um por cima do outro. Não há espaço nem para mais uma cova". | (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)


O Cemitério do distrito de humildes não tem mais espaços para realização de sepultamentos. A informação foi dada pelo vereador Marialvo Barreto em pronunciamento na sessão da Câmara Municipal.

 “Estão enterrando literalmente um por cima do outro. Não há espaço nem para mais uma cova”, afirmou. O vereador lamentou o fato da Prefeitura de Feira de Santana não dispor de um cemitério. Ele sugeriu aos profissionais de imprensa que façam uma visita ao distrito de Humildes.

Por falta de espaço, caixões estão sendo arrancados das sepulturas, para dar lugar a outras, quando ainda aparentam estado intacto, diz o petista.

O vereador lamenta que em Feira de Santana a Prefeitura não tenha cemitérios públicos, ao contrário de outros municípios. “De qualquer sorte, este é um problema de caráter púbico e que precisa de intervenção das autoridades”, adverte.

Marialvo  informou ainda que o cemitério de Jaíba está quase na mesma situação. O vereador Luiz Augusto de Jesus (Lulinha) disse que Marialvo tem razão e que em Jaíba está se enterrando um corpo sobre o outro por falta de espaço.

Lulinha sugeriu que seja implantado um cemitério para o distrito da Matinha. Segundo ele, as pessoas estão sendo enterradas no distrito  Maria Quitéria.

Greve na Justiça Eleitoral e poucos funcionários prejudicaram regularização do título, diz vereador 

A quantidade insuficiente de funcionários motiva as longas filas formadas nos locais onde estão sendo emitidos os títulos de eleitor em Feira de Santana, analisa o vereador David Neto. “A Justiça Eleitoral da Bahia passou um longo período em greve e quando retornou aos trabalhos não colocou pessoal suficiente para atender aos cidadãos que desejam adquirir o documento”, afirmou.

Em seu discurso na sessão da Câmara Municipal, ele comentou sobre as filas quilométricas nas centrais eleitorais de Feira de Santana. “Ontem à noite (8), havia gente dormindo no passeio para ter acesso às senhas que são distribuídas para adquirir o título. Isso é absurdo para o município”, disse.

O vereador acredita que, hoje (9), último dia para os eleitores brasileiros regularizarem a situação na Justiça Eleitoral para votar nas eleições municipais deste ano, deve haver mais de 400 pessoas querendo obter o título de eleitor no Fórum Eleitoral da cidade.

Para David, muitos cidadãos não terão acesso ao documento. Ele sugeriu ao juiz do Tribunal Regional Eleitoral de Feira de Santana que disponibilize mais servidores ou prorrogue o prazo para regularização do título eleitoral.

Lulinha defende prorrogação de prazo para eleitor; Tourinho diz que juiz local nem TRE podem mudar 

“Quem não conseguir tirar o título eleitoral até esta quarta-feira (9), só poderá obter o documento a partir de fevereiro de 2013”, adverte o vereador Luiz Augusto – Lulinha, preocupado com a quantidade de pessoas que desejam regularizar a situação na Justiça Eleitoral para votar nas eleições municipais deste ano.

Em consonância com o discurso do vereador David Neto, ele defendeu a prorrogação da regularização do título eleitoral. Lulinha disse que as pessoas não podem ser prejudicadas, argumentando que a Justiça Eleitoral tem déficit de funcionários e, além do mais, conforme frisou, houve greves no órgão e feriados que provocaram ponto facultativo nas instituições públicas.

O vereador informou que, hoje, havia mais de mil pessoas tentando fazer o título no Fórum Eleitoral de Feira de Santana, localizado na avenida José Falcão,  no bairro Queimadinha.

Sobre a proposta de  prorrogação do prazo para regularização do título eleitoral, o vereador Roberto Tourinho observa que a medida não depende do juiz eleitoral da comarca de Feira de Santana nem do Tribunal Regional Eleitoral da Bahia. Segundo ele, o alistamento  obedece a lei federal que determina  calendário único para todo o país.

Na condição de advogado, Tourinho comparece constantemente à Justiça Eleitoral. Segundo ele, em algumas de suas idas a este setor, pode constatar que a repartição se encontrava praticamente vazia, em boa parte do tempo.

“Infelizmente, deixar tudo para última hora faz parte da cultura dos brasileiros”, disse o vereador, apesar de ser solidários aos cidadãos que estão enfrentando as imensas filas para adquirir o título eleitoral.

Após cortar ponto, Governo Wagner estaria ameaçando exonerar professor em greve 

Comentários nos meios políticos, de que o Governo do Estado cogita exonerar professores em greve, foram tema de discurso do vereador Ewerton Carneiro – Tom, na sessão desta quarta-feira (9) da Câmara.

“Depois de cortar o ponto dos dias não trabalhados, o governo Jaques Wagner estaria ameaçando exonerar o professor que completar 30 dias de greve”, afirmou.

O vereador Marialvo Barreto, que é sindicalista da área de educação e faz parte da base de sustentação do governo Wagner na Câmara, não existe essa possibilidade. Mas ele adverte para o procedimento das escolas, ao registrar falta de professor no período de greve.

“Todo diretor de escola que estiver colocando falta no professor está equivocado. Direito de greve está previsto na lei e não permite a expressão falta”, salientou.

Tom questionou a Marialvo sobre o risco de perda do ano letivo, caso a  greve dos professores, que já dura 29 dias, seja prolongada por mais tempo.

O petista disse que, por enquanto, não existe essa possibilidade de perda do ano letivo. “Temos recesso junino e o mês de janeiro  para fazer a reposição”, argumenta.

Para o vereador Tom,  o Estado nada tem feito para resolver a situação dos professores. “O governador Jaques Wagner trata a classe sem o mínimo carinho e respeito”. Em Feira, observou, a greve dos professores municipais foi “resolvida quase de imediato”.

Ele ainda elogiou o comportamento de Marialvo em relação ao movimento paredista dos professores. “Foi o único no PT em Feira a se manifestar favorável aos professores. Diferente do deputado que hoje manda e mudou o discurso”, disse, referindo-se ao líder do Governo na Assembleia, Zé Neto.

Obras de asfalto e saneamento são inauguradas no Jardim Acácia

Obras de saneamento básico e asfaltamento vão ser inauguradas nesta quarta-feira (9), pelo prefeito Tarcízio Pimenta. A rua Belo Horizonte, no bairro Jardim acácia, em Feira de Santana, será uma das vias contempladas. A informação é do vereador Antônio Francisco Neto – Ribeiro, que convidou os colegas para prestigiar a solenidade.

“Faço o convite não apenas aos companheiros da bancada do Governo, mas também aos colegas vereadores de oposição, para que possamos ver de perto essas importantes obras em benefício da comunidade”, disse ele, em discurso na sessão de hoje. O evento vai ser às 19h.

Ribeiro observa que obra de saneamento é pouco aplaudida pelo público por ser feita no subterrâneo.  “Mas nós, vereadores, que temos consciência, sabemos o quanto é importante: saneamento é saúde e vida”.

Ao elogiar a gestão do prefeito, ele disse que ninguém joga pedra em árvore que não produz frutos. “O povo está calado, mas analisando quem tem compromisso com a cidade”.

Após oito anos estudando em “quarto de casa de aluguel”, alunos da Queimadinha vão ganhar escola reformada 

Depois de passar oito anos estudando “em um quarto de casa de aluguel”, os alunos da Escola Municipal Celso Ribeiro Daltro, na Queimadinha, vão ganhar um espaço digno para o ensino. A informação é do vereador José Sebastião – Bastinho.

 “Tenho uma boa notícia: a licitação da escola está pronta e desta vez vai ser totalmente reformada e ampliada”, afirmou o vereador, em discurso nesta quarta-feira (9) na Câmara.

Ele disse que a medida chega em boa hora. “Não é justo que as crianças do bairro Queimadinha estudem em um quarto de casa de aluguel na avenida Maria Quitéria. Há mais de oito anos estão nessa situação”, afirmou.

Panificadora Comunitária 

O vereador  Bastinho também falou sobre a padaria comunitária da Queimadinha, que completou dois meses de funcionamento. “Um projeto que deu certo”, diz ele. As pessoas carentes da comunidade estão felizes, com a possibilidade de comprar pães por preços menores que os do mercado, assinalou.

“Não é projeto eleitoreiro e não tem fim lucrativo”, afirmou, ao convidar colegas vereadores a visitar a panificadora. Defendeu que a experiência seja levada a outros   bairros carentes como Rocinha, Novo Horizonte, Baraúnas.

Estudantes da rede estadual fazem ato público na Câmara em apoio a greve dos professores 

Estudantes da rede estadual de ensino em Feira de Santana fizeram uma manifestação nesta quarta-feira (9), na Câmara Municipal.

Eles encontram-se sem atividades, devido a greve dos professores do Estado, reivindicando o reajuste de 22% concedido a quem ganha o Piso Nacional para toda a categoria. A paralisação já dura 29 dias.

Com faixas e apitos, os jovens ocuparam as galerias da Casa da Cidadania por volta das 11h.

Durante 30 minutos aproximadamente, eles gritaram palavras de ordem e expuseram mensagens dirigidas ao Governo Jaques Wagner.

Foi um protesto pacífico, que não prejudicou o andamento dos trabalhos legislativos. Vereadores saudaram o grupo e alguns discursaram em apoio aos estudantes.

O vereador Marialvo Barreto, que é professor, pediu à Mesa Diretora que registrasse em ata o “ato público de apoio” dos estudantes aos professores em greve.

CERB não manda representante a reuniões que tratam da seca em Feira de Santana

A direção local da Companhia de Engenharia Ambiental e Recursos Hídricos da Bahia (CERB) em Feira de Santana não está comparecendo às reuniões da Comissão Especial para o Acompanhamento dos Programas Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca (CEAPECES), realizadas nesta cidade. A observação é do vereador Roque Pereira.

Ele informou que a CERB –  empresa de capital misto vinculada à Secretaria de Meio Ambiente e Recursos Hídricos –  foi criada para  desenvolver projetos e executar obras com o objetivo de promover o desenvolvimento e melhorar a qualidade de vida da população carente da zona rural, principalmente do semi-árido baiano.

 Representante da Casa da Cidadania junto à Comissão Especial para o Acompanhamento dos Programas Emergenciais de Combate aos Efeitos da Seca, Roque salientou que outros órgãos estaduais estiveram presentes nos encontros, a exemplo da Empresa Baiana de Águas e Saneamento (Embasa), Companhia de Desenvolvimento e Ação Regional (CAR) e da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA).

O vereador informou que a região de Feira de Santana está passando por um momento muito difícil  em relação ao longo período de estiagem. Segundo ele,  a CERB, até o momento, não se manifestou em nada. “Parece que a CERB ignorou completamente as discussões sobre os programas emergenciais de combate aos efeitos da seca”, observa.

Criticado tratamento do Governo ao Conselho de Festejos Populares no debate sobre São João e São Pedro 

O Conselho Municipal de Festejos Populares está sedo alijado dos debates sobre a realização do São João e São Pedro em Feira de Santana, este ano, afirma o vereador Roberto Tourinho.

Para o vereador, é um equívoco grave do  Governo Municipal não  convocar o Conselho de Festejos Populares para discutir a possível suspensão do São João de São José (no distrito Maria Quitéria) e do São Pedro de Humildes.

“ Para o Governo, pelo visto, esse e outros conselhos na realidade não existem. São meramente decorativos”, afirmou.

Quanto à possibilidade de suspender ou cancelar as festas juninas,  o vereador entende que o prefeito Tarcízio Pimenta está “buscando uma saída honrosa para incompetência administrativa, uma vez  que a Prefeitura quebrou”.

Segundo o vereador, o Governo Municipal não teria dinheiro para pagar artistas de cachê alto. “Todos os dias eu digo aos fornecedores. Tomem cuidado ao vender para a Prefeitura. A partir de janeiro vai ter muito fornecedor que vai amargar sérios prejuízos na administração municipal”, afirmou.

Tourinho lembra que  a Lei de Responsabilidade Fiscal não permite que sejam feitos empenhos para pagamentos no ano de 2013, quando começa um novo mandato, a não ser que seja deixado em caixa o valor correspondente. Mas ele acredita que o Governo não dispõe de dinheiro. “A Prefeitura vai passar o calote em muitos fornecedores”, prevê.

O vereador Marialvo Barreto reforçou as críticas sobre a ausência do Conselho de Festejos Populares na discussão sobre a realização dos eventos juninos. E insiste na proposta de promover as festas com atrações regionais:

“Porque tem que se realizar festa com banda de R$ 200 mil? Com um som bom e cantores locais como Asa Filho, Marcia Porto, Paulo Bindá e forrozeiros de nível como Anita do Acordeon e Baio é possível fazer um grande São João”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).