Em entrevista, Jutahy Magalhães declara: “a candidatura do Imbassahy sozinha pelo PSDB era uma candidatura que teria uma bela votação, mas não tinha perspectiva de vitória”

Jutahy Magalhães Junior: "A candidatura do Imbassahy sozinha pelo PSDB era uma candidatura que teria uma bela votação, mas não tinha perspectiva de vitória na nossa avaliação. " (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Jutahy Magalhães Junior: "A candidatura do Imbassahy sozinha pelo PSDB era uma candidatura que teria uma bela votação, mas não tinha perspectiva de vitória na nossa avaliação. " (Foto: Carlos Augusto | Jornal Grande Bahia)
Jutahy Magalhães Junior: "A candidatura do Imbassahy sozinha pelo PSDB era uma candidatura que teria uma bela votação, mas não tinha perspectiva de vitória na nossa avaliação. " (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Jutahy Magalhães Junior: “A candidatura do Imbassahy sozinha pelo PSDB era uma candidatura que teria uma bela votação, mas não tinha perspectiva de vitória na nossa avaliação. ” (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) – Jornal Grande Bahia)

O deputado federal Jutahy Magalhães Junior (PSDB-BA), em entrevista exclusiva ao Jornal Grande Bahia, fala sobre as alianças do PSDB com o Democratas em Feira de Santana e Salvador, avalia que cada cidade passará por uma discussão própria e que o alinhamento não será automático. Também fala sobre o descontentamento do colega de partido, Antônio Imbassahy, e finaliza avaliado a situação do PSD (Partido da Social Democracia).

Jornal Grande Bahia – Além de Feira de Santana e Salvador a aliança Democratas/PSDB deve ocorrer em quantos municípios na Bahia?

Jutahy Magalhães – O que nós estamos decididos é Salvador e Feira, temos várias alianças no interior do estado, mas cada realidade é uma realidade. No caso específico de Salvadora nossa união resultou da possibilidade real de vitória do ACM Neto, com objetivo de realizar um bom governo que a cidade está precisando.

Aqui em feira não há novidade, nas duas candidaturas de José Ronaldo nós apoiamos ele. Mesmo com as dificuldades que existiam no passado entre PSDB e o DEM, nós apoiamos. Quanto mais agora que não tem dificuldade.

JGB – Com relação a Antônio Imbassahy. Tem saído notícias de que ele não estaria contente com a aliança do PSDB com o Democratas em Salvador.

Jutahy Magalhães – Imbassahy é meu amigo pessoal, tenho o maior respeito por ele, a candidatura dele é muito legítima. Mas nós tínhamos uma realidade, que nós definimos dentro da executiva do PSDB. Se o Imbassahy conseguisse o apoio ou do DEM ou do PMDB, nós faríamos a candidatura de Imbassahy de forma irreversível, nós não conseguimos esse apoio.

A candidatura do Imbassahy sozinha pelo PSDB era uma candidatura que teria uma bela votação, mas não tinha perspectiva de vitória na nossa avaliação. Então nós procuramos encontrar um caminho que de fato fortalecesse as oposições em Salvador e no estado e esse caminho é a candidatura do ACM Neto.

JGB – O PSD levou alguns quadros do PSDB, e no momento há uma discussão com relação a fundo partidário e tempo de participação. No âmbito do Congresso Nacional como é que está essa situação do PSD, uma vez que ele não está recebendo o fundo partidário, não está participando de comissões e tem também a questão do tempo de TV nas cidades de maior porte?

Jutahy Magalhães – Essa questão o TSE está julgando. Começou o julgamento, e está 2 a 1, dando o direito ao PSD de ter o fundo partidário. O ministro José Antônio Dias Toffoli pediu vista do processo. Ainda não colocou em votação. Essa é uma questão que a inda está pendente. O PSD é um partido que se constitui e tem presença no Congresso Nacional muito forte.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9153 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).