São Gonçalo dos Campos: prefeito Antônio Dessa Cardozo comenta sobre implantação do CD do O Boticário, pagamento do 13º salário do funcionalismo, atrações para São João 2012 e relação com vice-governador

Rogério Marques, diretor da Construtora L Marquezzo; Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia; e Antônio Dessa Cardozo (Furão), prefeito de São Gonçalo. “O mercado imobiliário de São Gonçalo está aquecido”, declara Furão.
Rogério Marques, diretor da Construtora L Marquezzo; Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia; e Antônio Dessa Cardozo (Furão), prefeito de São Gonçalo. “O mercado imobiliário de São Gonçalo está aquecido”, declara Furão.
Rogério Marques, diretor da Construtora L Marquezzo; Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia; e Antônio Dessa Cardozo (Furão), prefeito de São Gonçalo. “O mercado imobiliário de São Gonçalo está aquecido”, declara Furão.
Rogério Marques, diretor da Construtora L Marquezzo; Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia; e Antônio Dessa Cardozo (Furão), prefeito de São Gonçalo. “O mercado imobiliário de São Gonçalo está aquecido”, declara Furão.

Diferente do cenário que ocorre em significativos municípios baianos, a administração do prefeito Antônio Dessa Cardozo (Furão), em São Gonçalo dos Campos, conclui o último ano da administração com investimentos municipais, antecipação da primeira parcela do 13º salário do funcionalismo, manutenção dos serviços, e com todas as atrações para o São João 2012 pagas. É um cenário de vigor financeiro e cuidado com os recursos públicos.

Do ponto de vista da independência econômica, o prefeito Antônio Dessa Cardozo acredita que a implantação do Centro de Distribuição da empresa O Boticário é um marco. O investimento privado foi disputado por outros quatro municípios. O prefeito foi enfático em afirmar que não perderia a oportunidade de trazer uma das mais importantes marcas brasileiras para São Gonçalo. Na sexta-feira (18/05/2012), reunido com a direção do O Boticário e com vereadores, a administração municipal celebrou contrato com objetivo de implantar o CD Norte-Nordeste da empresa no município.

Durante entrevista exclusiva, além dos temas citados, Antônio Dessa Cardozo comenta sobre a amizade com o vice-governador Otto Alencar e sob a possibilidade de duplicação dos acessos viários estaduais a sede município. A entrevista foi concedida na segunda-feira (21/05/2012) ao jornalista Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia. Na oportunidade, acompanhou a entrevista o empresário Rogério Marques, diretor da construtora L Marquezzo,

Confira a entrevista

Jornal Grande Bahia – O que motivou a reunião entre a direção do Boticário e Antônio Dessa Cardozo?

Antônio Dessa Cardozo (Furão) – A possibilidade da vinda dessa empresa para região, onde por obra do acaso nós ficamos sabendo da vontade do Grupo Boticário instalar um centro de distribuição na região e também uma fábrica. Mas, a fábrica tinha uma cidade pré-definida [Camaçari] para instalação. Então fiemos gestões para O Boticário instalar o Centro de Distribuição (CD) em São Gonçalo. A direção da empresa não achava interessante instalar o CD no mesmo local da fábrica, e com isso ela começou a procurar outras cidades na região.

Quando fomos informados dessa vontade, a empresa estava conversando com outros quatro municípios. Na realidade, São Gonçalo entrou por último, o quinto e último município a entrar nessa briga, nessa disputa. E graças a Deus, assim que os representantes do O Boticário, Geovane e Marcos Pereira, diretores de novos negócios da empresa, nos passaram a reinvindicação, nós aceitamos de imediato, ficando apenas a questão para ser discutir no jurídico. Alguns dias depois, o jurídico nos deu sinal positivo, o aval. Passamos para o terceiro passo, que foi sentar com a Câmara Municipal. Na última sexta-feira (18/05/2012), sentamos com os vereadores em uma reunião informal, no próprio Plenário da Câmara, os representantes do Boticário, passaram para os vereadores o projeto, os vereadores gostaram e graças a Deus fechamos. Hoje podemos dizer que O Boticário é de São Gonçalo.

JGB – De que maneira a presença da empresa impacta no orçamento município?

Furão – Além de gerar emprego, porque ela vai gerar cerca de 200 empregos na construção. No seu funcionamento ela vai começar gerando algo entorno de 150 empregos, com a previsão do final do primeiro ano de algo em torno de 250 empregos. Além da geração de empregos, O Boticário, vai ser muito importante na incrementação do nosso ICMS (Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços). De tal forma, que vou te dar um exemplo: São Gonçalo no ano de 2012 tem previsão de receber R$ 6 milhões em ICMS (ao longo do ano), com a operação do Centro de Distribuição do O Boticário isso deve ir para R$ 10 milhões.

Sem contar que, uma empresa que tem uma mídia forte como O Boticário, e o município charmoso que é São Gonçalo, receber uma empresa dessa, que é a maior do seu ramo no país, que tem a sua marca muito ligada ao meio ambiente, isso vai ser muito importante na questão da mídia de São Gonçalo, com objetivo de atrair novos negócios. Sem contar que além do CD, virão outras empresas satélites que serão fornecedoras, e com certeza se instalarão em São Gonçalo.

JGB – Prefeito, na nossa última reunião o senhor falava que tinha vontade de viabilizar recursos junto ao governo do estado, governo federal para duplicação dos acessos viários da sede do município, para BR 101 e para BA que liga São Gonçalo a Conceição da Feira e Feira de Santana. O senhor acredita que a vinda do Boticário acelera esse processo?

Furão – Espero que sim. Por exemplo, o recapeamento do principal acesso nosso, que é a BR 101 a sede, foi totalmente reconstruído ano passado. Nós temos a promessa para esse ano, promessa feita pelo vice-governador Otto Alencar, aqui em São Gonçalo, de o outro acesso que vem de Feira, a pista dupla ser totalmente recapeada, inclusive com iluminação nova.

Então eu tenho essa promessa do vice-governador, uma pessoa que ao longo do tempo tem sido muito correta. Obviamente que temos um atraso, mas tem que se levar em consideração a crise federal que vem afetando todo mundo. Mas eu tenho, pelo que eu conheço do vice-governador, e o governador Jaques Wagner, a consciência de que essa obras serão feitas. Mesmo porque, os acessos são de responsabilidade do governo do estado, porque se trata da BA 501 que liga o município a BA 502 e a BR 101.

JGB – Prefeito, eu encontrei Rogério Marques, diretor da L Marquezzo, aqui na antessala do seu gabinete. Como anda esse mercado imobiliário em  São Gonçalo?

Furão – Muito aquecido, o mercado imobiliário de São Gonçalo está dinâmico. Por exemplo, Rogério Marques está aqui hoje, e nós estamos tentando agendar uma data para a Construtora L Marquezzo entregar as primeiras 500 casas que construiu no município de São Gonçalo, mais precisamente na região da Boa Hora, perto de Feira de Santana. A L Marquezzo vai entregar 500, e está construindo às outras 500. A L Marquezzo comprou uma área aqui, junto da cidade, aonde vai também lotear e fazer mini chácaras, projeto para 500 imóveis.

A Prime Imobiliária lançou um loteamento de mini chácaras, cerca de 120 chácaras, com uma tarefa (4.356m²) e foi vendida em uma semana. A própria Prime está lançando agora um loteamento com 250 unidades, e as informações que eu tenho é de que já foram vendidos. Tem o Sítio Campo Belo, que Alex Marques comprou e loteou, com mais de 200 lotes, na área rural.

Então o mercado imobiliário de São Gonçalo está pegando fogo e agente sabe que as pessoas que moram em Feira de Santana e Salvador, pela proximidade que São Gonçalo tem com as duas cidades, principalmente Feira, as pessoas vão optar por morar em São Gonçalo. Eu sempre digo: São Gonçalo vai ser para Feira de Santana o que Lauro de Freitas é para Salvador.

JGB – O que o senhor está realizando com orçamento próprio?

Furão – Temos um trabalho com impacto social muito forte. Isso foi falado muito, inclusive uma matéria que fizemos no seu jornal há pouco tempo. A parte social nossa é muito forte. Estamos terminando de calçar um loteamento beneficiando 1400 residências com a pavimentação, obra com recurso 100% municipal, sem nada de gerencia estadual ou federal. Por isso que eu julgo um desafio, calçar um bairro com 1400 casas. Para você ter uma noção, Antônio Cardozo não tem 1400 residências, a cidade toda. Isso eu boto como símbolo da nossa administração, e ai eu digo, o prefeito Furão em sete anos de administração já realizou mais calçamento, mais pavimentações do que todos os outros os prefeitos juntos.

Inauguramos há alguns meses atrás uma escola com 100% de recursos municipais, escola modelo. Sem contar que o nós realizamos com a saúde, são 11 PSF’s. Além disso, nós temos o Bolsa Família Municipal contemplando 1400 famílias. As outras cidades tem o bolsa família federal, nós temos o federal e o municipal.

JGB – Gostaria de falar um pouco da sua relação com o vice-governador e secretário infraestrutura Otto Alencar. Essa amizade e ligação partidária contribuem com a sua administração?

Furão – A minha relação com Otto é muito próxima, muito intensa. Eu tenho em Otto Alencar uma pessoa que julgo ser de extrema confiança. Um homem que até hoje sempre honrou seus compromissos para com a minha pessoa. Agora se ajuda na administração, eu não sei se ajuda ou atrapalha, sei que eu consigo algumas coisas por ser próximo a ele. Mas tem hora que eu me pergunto, será que se eu fosse mais distante não conseguiria mais (risos). Mas, independente do que eu venha a conseguir, eu tenho um prazer muito grande em ser amigo de Otto, é uma pessoa que honra os compromissos, e acima de tudo, respeita os seus amigos.

JGB – Como andam os preparativos para o São João de 2012?

Furão – 100% pronto! O São João de São Gonçalo 2012 está 100% pago. Toda estrutura e atrações pagas. Sejam elas de pequeno, médio ou grande porte. Por exemplo, Chiclete com Banana que foi a mais cara do São João está paga, Thiaguinho, Garota Safada, seu Maxixe, todas as atrações pagas. A única atração que falta receber foi a última que eu contratei, é até de Feira de Santana, Meninos de seu Zé, uma bandinha muito gostosa, vai receber o pagamento agora nessa sexta-feira que vem.

São João 100% pago com antecedência é uma coisa rara. A maioria faz o São João paga uma parte antes, e deixa o resto para pagar depois. Para os funcionários da prefeitura curtirem o São João mais alegres, e para contribuir com aquecimento da economia local, pagamos metade do 13º salário de 2012, enquanto muitas cidades não pagaram 2011, antecipamos 2012.

JGB – Existe também uma tradição ligada ao grande momento do São João, o projeto Esperando São João. Vai ocorrer esse evento?

Furão – Todas as sextas-feiras. Começa nessa sexta, dia 25. São pequenos grupos tradicionais, o famoso forró pé-de-serra, tocando na Praça da Igreja Matriz. Então a pessoa que chega de Feira de Santana em São Gonçalo as sextas-feiras vai encontrar a cidade em clima de São João, aquele tradicional, o pé-de-serra, que começa sexta (25/05/2012), a partir das 19 horas, e vai até meia-noite.

Antônio Dessa Cardozo (Furão): São João 100% pago com antecedência é uma coisa rara. A maioria faz o São João paga uma parte antes, e deixa o resto para pagar depois. Para os funcionários da prefeitura curtirem o São João mais alegres, e para contribuir com aquecimento da economia local, pagamos metade do 13º salário de 2012.
Antônio Dessa Cardozo (Furão): São João 100% pago com antecedência é uma coisa rara. A maioria faz o São João paga uma parte antes, e deixa o resto para pagar depois. Para os funcionários da prefeitura curtirem o São João mais alegres, e para contribuir com aquecimento da economia local, pagamos metade do 13º salário de 2012.
Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9167 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).