Deputado estadual Paulo Azi critica silêncio da AL-BA e ausência de secretários na Casa

Silêncio da AL-BA e ausência de secretários na Casa. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Silêncio da AL-BA e ausência de secretários na Casa. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Silêncio da AL-BA e ausência de secretários na Casa. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
Silêncio da AL-BA e ausência de secretários na Casa. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

A sessão plenária desta quinta-feira (17/05/2012), da Assembleia Legislativa foi marcada por um duro discurso do líder da bancada de oposição, Paulo Azi (DEM), criticando a mudez da Casa em relação a fatos considerados por ele como gravíssimos, a exemplo da paralisação dos professores que já dura 38 dias e da seca que afeta centenas de municípios baiano. O democrata foi contundente ao criticar a ausência dos secretários das pastas de Educação, Osvaldo Barreto, e de Meio Ambiente, Eduardo Salles, que não compareceram para prestar esclarecimentos aos parlamentares e à opinião pública, atendendo manobras articuladas pela bancada governista.

“O que será que estão temendo? Será que há algo de tão sério escondido que não possa ser alvo de discussão?”, questionou o líder, alertando que mais de um milhão de alunos estão fora das salas de aula e mais de 230 municípios em estado de emergência por causa da seca, considerada uma das mais arrasadoras da história do Estado. “ Não se admite que diante de fatos tão graves e sérios quanto esses, esta Casa se mantenha silenciosa, calada, muda, quando deveria buscar soluções e debater com seriedade as questões”, bradou Azi, lembrando que a oposição está há mais de um mês dizendo que é imprescindível a presença do secretário de Educação, como também o da Casa Civil e o de Meio Ambiente e Recursos Hídricos, para dar conhecimento aos parlamentares e à sociedade sobre as ações e providências do governo em relação à essas questões.

“É injustificável que esta Casa aceite esse silêncio, essa omissão”, bateu Paulo Azi, fazendo questionamentos incisivos: Afinal de contas para que presta esse parlamento? Para o que fomos eleitos? Para que se gasta dinheiro público sustentando esse Poder, se no momento em que nós temos que cumprir nossa obrigação e dar resposta à sociedade essa Casa se omite? Essa omissão, esse silêncio, essa irresponsabilidade vão ficar marcados tristemente nessa sessão legislativa e nos mandatos de cada um de nós”, lamentou, acrescentando que os parlamentares não estão sendo dignos do povo da Bahia.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9305 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).