Amargosa promove São João 2012

O São João de Amargosa de 2012 terá como tema a Literatura de Cordel. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
O São João de Amargosa de 2012 terá como tema a Literatura de Cordel. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
O São João de Amargosa de 2012 terá como tema a Literatura de Cordel. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)
O São João de Amargosa de 2012 terá como tema a Literatura de Cordel. (Foto: Carlos Augusto (Guto Jads) - Jornal Grande Bahia)

O São João de Amargosa de 2012 terá como tema a Literatura de Cordel. A “Cidade Jardim” buscou, através deste gênero literário, fazer uma retrospectiva dos últimos anos de festejos juninos do município, localizado no Recôncavo baiano, distante 240 quilômetros de Salvador.  O evento acontecerá entre os dias 21 e 24 de junho de 2012.

A cidade se prepara para a festa desde o ano passado, com a realização de Oficinas de Cordel em algumas escolas municipais. Comandada pelo poeta Maviael Melo e pelo músico Cello Costa, a ação resultou em várias composições e um livreto publicado com os mais variados temas, produzido pelos estudantes da rede. “Tudo isto traduz o que de fato é o São João de Amargosa. É mais do que uma festa. Trata-se de um conjunto de manifestações que reforça as tradições de nosso povo”, afirmou o prefeito Valmir Sampaio.

Shows – Diversas atrações vão se apresentar nos quatro dias de festejos. Entre elas estão Flavio José, Luan Santana, Cavaleiros do Forró, Geraldo Azevedo, Estakazero, Adelmário Coelho, Waldonys, Flor Serena, além das bandas regionais. A grade de atrações continua, como nos anos anteriores, bem variada, escolhida através de pesquisa, buscando atender o anseio dos turistas e da população local.

Os festejos acontecem na Praça do Bosque, que tem mais de 29 mil metros quadrados. A área terá decoração sobre o tema, mas haverá mudanças significativas na Vila Amargosa, buscando, mais uma vez, surpreender os milhares de turistas que todos os anos visitam a cidade neste período.  O local abriga uma cidade cenográfica, onde é possível saborear comidas e bebidas típicas e apreciar o artesanato e outras manifestações culturais locais. Na fazendinha são expostos animais de produção e exóticos.

Seca – Mesmo com as dificuldades encontradas por conta da forte estiagem que atinge o interior da Bahia, Amargosa considerou importante manter a realização do São João. “Caso não realizássemos os festejos, o impacto negativo para o município seria ainda maior”, afirmou o prefeito Valmir Sampaio, que realizou, no entanto, alguns ajustes para reduzir os investimentos com a festa. Um deles foi a diminuição do número de dias do evento, de 10 para quatro (04).

O impacto dos festejos juninos na economia de Amargosa é grande. Este ano, a Prefeitura e o Comércio local esperam que sejam movimentados na cidade mais de R$ 13 milhões, recursos que serão deixados pelos milhares de turistas. Para se ter uma ideia, Amargosa – que conta com 13 mil residências – registra a locação, no período da festa, de cerca de 1,5 mil imóveis, que, multiplicando pelo valor médio de R$1 mil, resulta num faturamento de mais de R$1,5 milhão. A rede hoteleira tem uma ocupação de 100%, todos os anos e o comércio é “super aquecido” com o movimento e consumo dos visitantes, principalmente em segmentos como supermercados, lojas de roupas, bares e restaurantes.

Os festejos também proporcionam emprego temporário para milhares de pessoas, inclusive de fora do município. A área da festa abre oportunidade para seguranças, garçons, vendedores ambulantes, cozinheiros, artesãos, além dos músicos regionais, que são contratados. O comércio e a hotelaria também abrem vagas, para garantir o atendimento à demanda da população, que é multiplicada no período pelos turistas. Os eventos ainda criam oportunidade para as empresas e pessoas de fora do município, como os vendedores de coquetel.

Sobre Carlos Augusto 9448 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).