Universidades debatem alternativas para os sertões semiáridos do Brasil

Apresentação do ‘I Simpósio Nacional Repensando os Sertões’.
Apresentação do ‘I Simpósio Nacional Repensando os Sertões’.
Apresentação do ‘I Simpósio Nacional Repensando os Sertões’.
Apresentação do ‘I Simpósio Nacional Repensando os Sertões’.

De acordo com o Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada (Ipea) do Brasil tem 16 milhões de pessoas vivendo na extrema pobreza, sendo que 50% deles estão na região Nordeste.

Para discutir propostas que ajudem a mudar esse quadro, as universidades UFBA, UNEB, UEFS, UFRB e UNIVASF, e o Instituto Nacional do Semiárido (INSA), realizam, entre os dias 23 e 27 de abril de 2012, o I Simpósio Nacional Repensando os Sertões Semiáridos do Brasil.

A programação do evento conta com atividades em Salvador, Feira de Santana, Cruz das Almas, Juazeiro e Petrolina.

O simpósio, que traz o lema Sertões semiáridos sem miséria, é voltado para pesquisadores, extensionistas, professores, estudantes, profissionais e público interessado no tema.

As inscrições estão abertas até o dia 15 de abril e podem ser feitas gratuitamente no endereço eletrônico www.repensandosemiarido.ufba.br. Estão sendo disponibilizadas 600 vagas.

Os interessados também podem submeter trabalhos para sessões de comunicação oral ou apresentações de pôsteres.

O pró-reitor de Planejamento (Proplan) da UNEB, Luiz Paulo Neiva, destaca que o objetivo do simpósio é refletir sobre ações de intervenção do poder público no semiárido brasileiro para o combate à seca.

“Trata-se de um fenômeno natural com que devemos aprender a conviver, criando uma infraestrutura capaz de conciliar desenvolvimento sustentável com eficiência econômica e equidade social”, pontua o gestor.

Políticas públicas e sustentabilidade dos sertões

A programação do simpósio conta com dois painéis que vão debater sobre políticas públicas e ações para o desenvolvimento sustentável dos sertões.

Um acontece dia 23 de abril, às 14h, no Salão Nobre da Reitoria da UFBA, em Salvador, e o outro dia 27, às 14h, na sede da UNIVASF, em Juazeiro.

Conferências, sessões plenárias, comunicações orais, apresentação de pôsteres e momentos culturais completam as atividades do evento.

Destaque também para as conferências O planejamento regional com foco nos sertões semiáridos do Brasil – a ser realizada dia 24, às 19h30, no Teatro UNEB, em Salvador –, que será ministrada pelo economista José Otamar Carvalho, e Os sertões semiáridos do Brasil nos cenários da integração nacional – que acontece dia 27, às 20h, na UNIVASF, em Petrolina, e será apresentada pelo ministro da Integração Nacional (MI), Fernando Bezerra.

A cerimônia de encerramento das atividades contará com a presença dos reitores das instituições correalizadoras, que vão assinar uma Carta Compromisso defendendo ações para a erradicação da pobreza e para o desenvolvimento sustentável da região sertaneja.

Luiz Paulo lembra que o semiárido tem potencial e riquezas e, por isso, a solução não está apenas na irrigação, mas no planejamento de ações estratégicas para a região.

“Grande parte das chuvas é perdida pois não existe uma estrutura para armazenar e distribuir essa água com controle social, evitando o uso político dela”, explica o pró-reitor, que coordena, junto com o professor Manoel Abílio, o Projeto Canudos da UNEB.

A ação busca contribuir para o desenvolvimento sustentável da região sertaneja, a partir das potencialidades locais, tais como o turismo histórico, a agricultura irrigada e de sequeiro, a pesca e a piscicultura, a educação para a convivência com o semiárido e as manifestações culturais.

O Simpósio Nacional Repensando os Sertões Semiáridos do Brasil tem o apoio do governo federal e do Banco do Nordeste.

Informações: pelo site: www.repensandosemiarido.ufba.br

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108826 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]