Unesco e Brasil criarão Centro para Sociedade de Informação em São Paulo

Logomarca da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (UNESCO).
Entidade, considerada ímpar, será estabelecida por instituições vinculadas ao Comitê Gestor da Internet no Brasil, afirma Unesco.
Logomarca da Organização das Nações Unidas para a educação, a ciência e a cultura (UNESCO).
Entidade, considerada ímpar, será estabelecida por instituições vinculadas ao Comitê Gestor da Internet no Brasil, afirma Unesco.

Nesta quarta-feira, a sede da Unesco, em Paris, abre suas portas para a assinatura de um acordo de parceria para a criação de um centro regional para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação no Brasil. A iniciativa está sendo co-patrocinada pela Unesco e pelo Governo brasileiro.

A assinatura será efetuada pela diretora-geral da agência, Irina Bokova, e pela embaixadora do Brasil junto à Unesco, Maria Laura Rocha.

Países Lusófonos

O Centro de Categoria 2 – considerado único em sua área – visa estimular a cooperação na área de Tecnologia de Informação e Comunicação, TIC, e usar a educação para formar sociedades inclusivas, sobretudo nos países lusófonos africanos e dos países latino-americanos.

O Presidente do Conselho do NIC.br, Antonio Tavares, e o Gerente do Cetic.br, Alexandre Fernandes Barbosa, vieram do Brasil acompanhar a assinatura do acordo.

Essas duas instituições,NIC e Cetic, são vinculadas ao Comitê Gestor da Internet no Brasil e serão as entidades responsáveis pelo estabelecimento e pela condução do novo centro, que contará com o apoio técnico da Unesco no desenvolvimento de suas atividades.

Estrutura

Nesta entrevista à Rádio ONU, de Paris, Antonio Tavares afirmou a importância do acordo para o Brasil.

“Eu acho que essa é a função das Nações Unidas e da Unesco por consequência é exatamente ser distribuidora, multiplicadora de atividades de conhecimentos que sejam boas referências. E esse (exemplo) que nós temos é ótimo. É inovador, está antecipado ao tempo e deve estimular a criação de novos. O investimento que o Brasil está fazendo vai com certeza provocar o desejo de outros centros, de outros continentes de terem um tipo de atividade semelhante.”

Já Alexandre Fernandes Barbosa, gerente do corpo de estudos do Cetic falou sobre o funcionamento da estrutura.

“O Comitê Gestor da Internet foi criado com o objetivo de dar vozes à sociedade e ao governo para tratar de um assunto que à época o governo brasileiro já vislumbrava que era extremamente estratégico. E hoje, a internet criou uma dinâmica onde as empresas, o governo, a sociedade gira em torno de processos que são apoiados pela internet. O governo criou esse comitê que seria responsável pelo direcionamento estratégico. Neste comitê é discutido o direcionamento e futuro da internet brasileira.”

O Comitê Gestor da Internet no Brasil foi criado em 1995 para coordenar e integrar todas as iniciativas de serviços Internet no país. Composto por membros do governo, mas também do setor privado, de ONGs e da comunidade acadêmica, o CGI.br foi elaborado como o modelo de governança da Internet brasileira.

Comitê Gestor da Internet

Entre os principais objetivos da iniciativa estão facilitar o estabelecimento de uma plataforma de monitoramento na região; concentrar estatísticas e pesquisas; estimular o acesso e compartilhamento de informação e garantir que estes dados exerçam um forte impacto na realização das Metas de Desenvolvimento do Milênio.

*Com informação da Rádio ONU.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115114 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.