Dia 24 de março mundial de controle da tuberculose. Especialista baiano fala sobre aprevenção

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Cerca de oito milhões de novos casos de tuberculose por ano ocorrem em todo mundo com três milhões de mortes anuais, segundo a Organização Mundial de Saúde. No Brasil, 85 mil novos casos de tuberculose são registrados a cada ano, com aproximadamente cinco mil mortes anuais pela doença. O estado da Bahia está em terceiro lugar no país, contabilizando cerca de cinco mil novos casos registrados anualmente. Em primeiro lugar está São Paulo e em segundo o Rio de Janeiro, mas a maior taxa de mortalidade encontra-se na região nordeste.

A tuberculose representa a quarta causa de óbito por doença infecciosa no país. “Apesar de ser uma doença curável ocorre aproximadamente entre 350 e 400 óbitos por ano na Bahia, o que é profundamente lamentável”, revela o pneumologista Guilhardo Fontes Ribeiro, professor adjunto da Escola Bahiana de Medicina. O Brasil é ainda um dos 22 países responsáveis por 90% dos casos de tuberculose no mundo. Pelo sexto ano consecutivo, o médico vai fazer uma palestra educativa para a comunidade do Bairro da Paz, em Salvador, na próxima quarta-feira, dia 21, às 10 horas, no Posto de Saúde Orlando Imbassahy. Ele falará sobre “A importância do diagnóstico precoce da tuberculose, da não interrupção do tratamento e das consequências negativas do preconceito”.

Doença grave, transmitida pelo ar, que pode atingir todos os órgãos do corpo, em especial os pulmões, a tuberculose é causada pelo bacilo de Koch, microorganismo cientificamente chamado Mycobacterium tuberculosis. Tosse crônica (a partir de duas semanas), suor noturno, febre, dor no tórax, perda de peso lenta e progressiva e falta de apetite e de disposição são alguns dos sintomas da doença.

A vacina BCG, aplicada nos primeiros 30 dias de vida, é capaz de proteger contra as formas mais graves da doença. Se o tratamento, que dura em torno de seis meses, for seguido corretamente, as chances de cura chegam a 95%. “É essencial não interromper o tratamento mesmo que os sintomas desapareçam”, explica o médico Guilhardo Fontes Ribeiro. “O abandono do tratamento faz com que os bacilos fiquem fortalecidos e resistentes ao medicamento, que deixa de fazer efeito, causando a volta a doença”, explica o especialista.

No mundo, mais pessoas morrem de Tuberculose que de qualquer outra infecção curável. Como agravante existe a co-infecção com o vírus do HIV (que aumenta o risco de adoecer e morrer) e o problema da resistência medicamentosa, que é muito mais cara e mais difícil de tratar. Cada paciente, se não tratado, pode infectar em média 10 a 15 pessoas por ano. A pobreza, desnutrição, más condições sanitárias e alta densidade populacional são fatores que contribuem para que o agravo se dissemine e se transforme em doença.

O Dia Mundial da Tuberculose foi lançado, em 1982, pela Organização Mundial de Saúde (OMS) e pela União Internacional Contra Tuberculose e Doenças Pulmonares (International Union Agaist TB and Lung Disease – IUATLD). A data foi uma homenagem aos 100 anos do anúncio do descobrimento do bacilo causador da tuberculose, ocorrida em 24 de março de 1882, por Dr. Robert Koch. Este foi um grande passo na luta pelo controle e eliminação da doença que, na época, vitimou grande parcela da população mundial e hoje persiste.

A Organização das Nações Unidas pretende reduzir em 50% as taxas de incidência e mortalidade até o ano de 2015. De acordo com Ministério da Saúde, as maiores taxas de incidência são no gênero masculino e grupo etário entre 45-49 anos. O percentual de cura em 2006 foi de 73% e o abandono de tratamento foi de 9%. Nos casos de tuberculose associado ao HIV foi de 57% e 14% de cura e abandono respectivamente.

Segundo o pneumologista, há novas e mais efetivas drogas sendo pesquisadas assim como novas vacinas em adiantada fase de avaliação para melhorar e facilitar a prevenção e tratamento. “Esperamos e sonhamos que num futuro próximo esta doença seja definitivamente erradicada, assim como foi a poliomielite, varíola, peste”, declara o médico.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108821 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]