Carnaval 2012 – Rio de Janeiro: com enredo sobre a vida de Luiz Gonzaga, Unidos da Tijuca é eleita campeã

Desfile da escola de samba Unidos da Tijuca, na Marquês de Sapucaí, com o enredo 'O Dia em que Toda a Realeza Desembarcou na Avenida para Coroar o Rei Luiz do Sertão'.
Desfile da escola de samba Unidos da Tijuca, na Marquês de Sapucaí, com o enredo 'O Dia em que Toda a Realeza Desembarcou na Avenida para Coroar o Rei Luiz do Sertão'.
Desfile da escola de samba Unidos da Tijuca, na Marquês de Sapucaí, com o enredo O Dia em que Toda a Realeza Desembarcou na Avenida para Coroar o Rei Luiz do Sertão.
Desfile da escola de samba Unidos da Tijuca, na Marquês de Sapucaí, com o enredo ‘O Dia em que Toda a Realeza Desembarcou na Avenida para Coroar o Rei Luiz do Sertão’.

Com enredo sobre a vida de Luiz Gonzaga, o Rei do Baião, a Unidos da Tijuca foi a vencedora do Grupo Especial das escolas de samba do Rio de Janeiro. Em segundo lugar, ficou o Salgueiro, que trouxe a literatura de cordel no enredo e, em terceiro, ficou a Vila Isabel, que levou para a avenida a história e a cultura de Angola.

O presidente da Tijuca, Fernando Horta, só comemorou quando a vitória da escola já era irreversível. Em vários momentos, a Tijuca teve o Salgueiro e a Vila Isabel bem próximas da pontuação máxima. “A emoção é muito grande. É inexplicável. O carnaval foi muito duro. Todas as nossas coirmãs estão de parabéns. Este foi o desfile mais perfeito que a Tijuca fez nos últimos anos”, desabafou Horta, em meio ao tumulto de repórteres querendo entrevistá-lo e de componentes da escola, que queriam abraçá-lo.

A criatividade, marca registrada do carnavalesco Paulo Barros, foi decisiva para a liderança da escola. Outro integrante da Unidos da Tijuca que teve participação decisiva na vitória foi o mestre de bateria Luiz Calixto Monteiro, o Mestre Casagrande. “Quero dedicar este título aos meus 272 ritmistas, que entenderam a nossa proposta de trabalho, que é meio rígida. O título é para eles e para toda a comunidade do Morro do Boréu”, disse.

A Tijuca levou para a Marquês de Sapucaí a vida do músico Luiz Gonzaga, juntamente com todas as características culturais que marcam a cultura nordestina, como os bonecos de barro do Mestre Vitalino e o famoso Mercado de Caruaru.

Além da história do Rei do Baião, a Tijuca levou para a avenida outros artistas considerados reis na sua especialidade: Elvis Presley, rei do rock, Michael Jackson, rei do pop e as rainhas do rádio. Dom Pedro I, imperador do Brasil e o leão, considerado o rei da floresta, também foram personagens da história contada pela Tijuca.

A escola havia vencido o campeonato pela última vez em 2010, com o enredo É Segredo. Na sequência, o placar ficou com Beija-Flor em quarto, Grande Rio em quinto, Portela em sexto, Mangueira em sétimo, União da Ilha em oitavo, Mocidade em nono, Imperatriz em décimo e São Clemente em décimo-primeiro. A Porto da Pedra, em décimo-segundo, e a Renascer de Jacarepaguá, em décimo-terceiro, foram rebaixadas para o Grupo de Acesso A.

 

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111058 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]