Democratas perderam 16 deputados federais em um ano, mas devem reconduzir ACM Neto ao posto de líder na Câmara Federal

Segundo apuração, ACM Neto vem se movimentando nos bastidores desde o fim do ano passado. Apesar de apoiar a recondução de Neto, Mendonça Filho diz que, caso não haja consenso em torno do nome do baiano, vai continuar na disputa. - Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

Segundo apuração, ACM Neto vem se movimentando nos bastidores desde o fim do ano passado. Apesar de apoiar a recondução de Neto, Mendonça Filho diz que, caso não haja consenso em torno do nome do baiano, vai continuar na disputa. – Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

Em matéria no Correio Braziliense, o jornalista Erich Decat aborda o atual momento vivido pelo partido Democrata, que tem sofrido um esvaziamento por conta da perda de vários deputados para o recém-criado PSD. Em 2011, 16 deputados saíram do DEM, reduzindo a bancada eleita de 43 para 27 deputados federais. A crise por que passa o partido não desanimou os principais articuladores da legenda, que desejam manter ACM Neto no posto de líder do partido na Câmara Federal.

Confira a reportagem 

Depois de perder quase metade da bancada para o PSD, legenda se divide agora para escolher o novo comandante na Câmara 

Apesar do recesso no Congresso Nacional, integrantes do DEM intensificaram as trocas de ligações nos últimos dias na tentativa de chegar a um acordo em torno da indicação do próximo líder da bancada na Câmara. Segundo alguns integrantes do partido ouvidos pelo Correio, o atual líder, ACM Neto (BA), tem costurado nos bastidores a recondução ao posto, permanecendo como comandante da bancada até 2013. Essa possibilidade pode se tornar um rastilho de pólvora de uma crise interna na bancada, que no ano passado teve de assimilar o impacto de perder 16 deputados que migraram para o recém-criado PSD. Apesar de ter eleito 43 deputados federais em 2010, o partido chegou ao fim de 2011 com apenas 27.

Além de ACM Neto, pelo menos dois outros deputados, Mendonça Filho (PE) e Pauderney Avelino (AM), disputam o posto de líderes do partido. Em razão de um suposto acordo informal acertado na legislatura passada, que prevê o rodízio anual na liderança da Câmara, Avelino já dá até como certa a sua posse. “Haverá o rodízio porque temos compromissos anteriores assumidos. Não tem também a candidatura do Mendonça Filho, ele será o meu primeiro vice-líder. O próximo líder serei eu”, assegurou.

Mendonça Filho, por sua vez, admite deixar a disputa para ceder lugar ao baiano. “As articulações têm sido feitas por telefone neste período de férias. Eu defendo a renovação (do mandato de ACM Neto), mesmo que seja pontual. Ele tem uma inserção em Brasília relevante, uma posição privilegiada”, avaliou o parlamentar. Segundo Mendonça, a candidatura para um novo mandato de Neto partiu da “insistência” de alguns caciques do partido e não do próprio líder.

Segundo apuração, ACM Neto vem se movimentando nos bastidores desde o fim do ano passado. Apesar de apoiar a recondução de Neto, Mendonça Filho diz que, caso não haja consenso em torno do nome do baiano, vai continuar na disputa. “Não vou excluir o meu nome”, assegurou. O deputado deve sair candidato à prefeitura de Recife nas próximas eleições municipais, previstas para outubro. Por isso, a visibilidade como líder é considerada chave para ter chances de vitória.

Acordo na Bahia 

Pelo mesmo motivo, ACM Neto também não pretende largar o posto até o fim do ano. Nos últimos meses, ele se aproximou do cacique do PMDB na Bahia, o atual vice-presidente de Pessoa Jurídica da Caixa Econômica Federal, Geddel Vieira Lima, com quem tem costurado um acordo para a disputa da prefeitura de Salvador. Embora mire o governo baiano em 2014, o atual líder do DEM na Câmara pretende tentar o comando da capital em outubro. A decisão de quem vai liderar a legenda na Casa deve sair em reunião prevista para 7 de fevereiro, logo após o fim do recesso parlamentar.

Se por um lado o DEM encontra dificuldades em definir o próximo líder na Câmara, o PSDB, aliado na oposição ao governo de Dilma, conseguiu emplacar em dezembro do ano passado o nome de Bruno Araújo (PE). Ele substitui Duarte Nogueira (SP), ligado ao grupo do governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Carlos Augusto
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518), Sindicato dos Jornalistas Profissionais no Estado da Bahia (SINJORBA), Associação Brasileira de Imprensa (ABI Nacional, Matrícula nº E-002907) e Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).

Be the first to comment on "Democratas perderam 16 deputados federais em um ano, mas devem reconduzir ACM Neto ao posto de líder na Câmara Federal"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*