Bahia ainda tem 43 municípios em situação de emergência devido à estiagem

Dos 123 municípios que decretaram situação de emergência durante o período da seca na Bahia, 43 deles permanecem com o decreto em vigor. Nos outros municípios, o decreto venceu, mas, segundo o coordenador executivo da Defesa Civil da Bahia, Salvador Brito, a maioria dessas cidades ainda necessitam de apoio no abastecimento de água e ações preventivas.

Na tarde de hoje (11/01/2012), haverá uma reunião com a participação de representantes das secretarias de Agricultura, de Meio Ambiente, de Desenvolvimento Social da Bahia, da Defesa Civil e da Casa Civil do estado para avaliar os prejuízos na agricultura e discutir ações no sentido de amenizar a situação causada pela estiagem.

Todos os municípios em situação de emergência estão no Semiárido baiano, que ocupa sobretudo a região central do estado. A Defesa Civil da Bahia firmou convênios com as prefeituras dessas cidades para transporte de água em carros pipas e limpeza e ampliação de reservatórios de água.

Segundo a Defesa Civil estadual, a produção agrícola desses municípios, sobretudo a agricultura familiar, foi o setor mais atingido. A seca e seus efeitos na agricultura, além disso, prejudicará também o consumidor, que encontrará os preços dos alimentos elevados.

O governo da Bahia está pleiteando ao Ministério da Integração a liberação de R$ 30 milhões para amenizar os danos causados pela estiagem e para trabalhar em ações preventivas.

De acordo com a previsão do Instituto Nacional de Meteorologia (Inmet) para hoje (11), o dia permanecerá nublado no estado, com pancadas de chuva e possíveis trovoadas no oeste e chuvas esparsas no leste da Bahia. A temperatura oscilará entre 17 graus Celsius e 36 graus Celsius.

Sobre Carlos Augusto 9463 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).