Receita faz operação para destruir mercadorias apreendidas em todo Brasil

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

A Receita Federal fará a destruição de 5.254 toneladas de mercadorias apreendidas em decorrência de crimes de contrabando, descaminho ou falsificação. No total, as mercadorias chegam ao valor de R$ 246 milhões. A operação, em dias diferentes e em várias unidades do órgão, será feita para lembrar o Dia Nacional de Combate à Pirataria e à Biopirataria (3 de dezembro). De acordo com a Receita, várias unidades do órgão reservaram para a sexta feira (02/12/2011) o maior volume de mercadorias a serem destruídas simultaneamente.

Segundo a Receita, o volume é um recorde histórico. Na operação, denominada 8º Mutirão Nacional de Destruição de Mercadorias, serão destruídos CDs e DVDs piratas, cigarros, bebidas, cosméticos, preservativos, medicamentos e alimentos impróprios para consumo ou utilização, produtos falsificados (brinquedos, pilhas, isqueiros, relógios, agrotóxicos), químicos, entre outros condenados por não atenderem normas da vigilância sanitária ou defesa agropecuária.

De acordo com a Receita, o governo deixa de arrecadar R$ 2 bilhões por ano devido à pirataria. Essa quantia seria suficiente para construir 35 mil casas.

Hoje (1º), em Cristalina (GO), será feita destruição de cigarros. Todo o resíduo será utilizado como matéria-prima na fabricação de adubo para uso em hortas comunitárias na cidade. Serão 38 carretas de cigarros, das quais dez serão apresentadas à população de Brasília no dia 2 de dezembro, em Brasília.

Sobre Carlos Augusto 9670 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).