Em entrevista, Ribeiro, Presidente da Câmara de Feira de Santana faz balanço da gestão e defende oito anos para Tarcízo Pimenta

Antônio Francisco Neto (Ribeiro): Tarcízio Pimenta tem esse primeiro mandato, eu acho que é justo o povo de Feira de Santana se aliar, se juntar, para nós darmos continuidade.
Antônio Francisco Neto (Ribeiro): Tarcízio Pimenta tem esse primeiro mandato, eu acho que é justo o povo de Feira de Santana se aliar, se juntar, para nós darmos continuidade.
Antônio Francisco Neto – Ribeiro: Tarcízio Pimenta tem esse primeiro mandato, eu acho que é justo o povo de Feira de Santana se aliar, se juntar, para nós darmos continuidade. (Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br)
Antônio Francisco Neto – Ribeiro: Tarcízio Pimenta tem esse primeiro mandato, eu acho que é justo o povo de Feira de Santana se aliar, se juntar, para nós darmos continuidade. Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br

Homem de formação simples, mais com o conhecimento profundo, acumulado a partir de 20 anos de vida pública. É o tipo de conhecimento que nenhuma faculdade é capaz de dar a quem quer que seja, pois ela decorre da experiência acumulada. O presidente da Câmara Municipal de Feira de Santana, Antônio Francisco Neto (Ribeiro – PDT), tem convicções de um democrata que respeita a liberdade de expressão do povo. Além de uma sensibilidade pouco comum, no que concerne servir ao povo com respeito às garantias constitucionais.

Em entrevista exclusiva concedida a Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia, Ribeiro faz um balanço de sua gestão, diz que os funcionários públicos tiveram direitos reconhecidos, fala sobre a necessidade de estimular a liberdade de imprensa,  e da harmônica e independência com relação ao executivo municipal. Reconhece que a Câmara errou ao não sabatinar os candidatos ao cargo de Procurador Geral do Município e promete levar Carlos Lucena a se apresentar à Câmara Municipal para dar explicações à sociedade.

Ribeiro também comenta sobre política, disse que este é o último mandato como vereador e que pretende lançar o filho, Francisco Ubiraci do Nascimento, como sucessor. Fez uma defesa veemente do prefeito Tarcízo Pimenta, disse que vai pedir voto de porta em porta e mostrar os avanços da administração municipal.

“O prefeito Tarcízio Pimenta vem fazendo um trabalho intenso no município de Feira de Santana. É um prefeito que respeita as leis, respeita o seu povo. Ele tem esse primeiro mandato, eu acho que é justo o povo de Feira de Santana se aliar, se juntar, para nós darmos continuidade, para que em oito anos ele termine de fazer pelo povo os projetos que ele tem em mente. Os quatro anos eu acho que foram pouco e gostaria que ele fosse para o segundo mandato.”

Jornal Grande Bahia – Presidente, que avanços foram possíveis na sua gestão à frente do legislativo feirense?

Ribeiro – Nós estamos terminando o ano e sinto que foi proveitoso. Primeiro, porque nós procuramos resgatar direitos do funcionalismo público. Quando nós tomamos posse, encontramos diversas situações que eles tinham direito e não estavam sendo olhados. Não quero aqui culpar a administração passada, talvez por uma questão de recursos.

Também compramos um painel eletrônico que era alugado, por R$ 2.900, comprei e paguei, dentro de um ano. Com o mesmo valor que pagávamos de aluguel, é um avanço. Nós criamos um plano de saúde, que os funcionários da casa não tinham, hoje, todos os funcionários da câmara tem seu plano de saúde. Que Deus o livre de adoecer, hoje eles tem um hospital para eles entrar. Só sabe o valor desse plano quem não tem o plano e é obrigado a ir para o corredor do Hospital Cleriston Andrade, então nós realmente fizemos.

Nós criamos o ticket refeição natalino para os funcionários, R$ 304,00 e distribuímos todo fim de ano para cada funcionário. E todos os direitos que o funcionário tem nós procuramos respeitar.

Realizamos no plural. Nós não fizemos em cima de três ou quatro pessoas, nós realziamos em cima dos quarenta e poucos funcionários que tem a câmara. Do jeito que eu fiz pra um, fiz pra todos. Até porque, entendo que eles todos são competentes, todos eles tem o direito de ser bem tratados, porque eles se submeteram a um concurso público.

JGB – Com relação à interlocução com a sociedade, houve diálogo em sua gestão?

Ribeiro – Realmente nós procuramos fazer isso assim com muita transparência. O dever do legislativo é fazer leis, é fiscalizar o executivo e ter um debate na sociedade, parceria com a imprensa e a imprensa com o seu dever livre, como quarto poder, de divulgar os fatos positivos e os negativos. Nós como homens públicos não podemos impedir, nós temos que deixar aflorar. Nós temos que deixar as coisas acontecerem. Então a Câmara Municipal de Feira de Santana tem procurado resgatar essa liberdade, porque é uma liberdade que é necessária.

Nós temos assim uma alegria de ser parceiro da imprensa, de ser parceiro da sociedade, de ser parceiro do executivo. De nos manter, enquanto poder, independente, mas com a harmonia necessária. Nós temos trabalhado para isso, e os meus pares estão conscientes, contribuído para que esse projeto siga em 2012, para nós termos um bom resultado no futuro.

JGB – Ser presidente também é conciliar, às vezes, conflitos. Existem bancadas de oposição e de situação. Foi difícil esse relacionamento?

Ribeiro – É preciso que nós tenhamos o entendimento que o vereador é eleito pelo povo. O vereador tem o seu mandato, recebe o seu diploma pela justiça eleitoral, então ele é um homem que tem seus direitos e tem seus deveres, mas nós precisamos ter um elo muito forte com os pares.

JGB – Então a sua administração poderia ser caracterizada por um maior dialogo com a sociedade?

Ribeiro – Tranquilamente.

JGB – Com relação à indicação do procurador do munícipio, o senhor não avalia que a Câmara errou ao não leva-los a se apresentar a sociedade através do poder legislativo?

Ribeiro – O procurador Carlos Lucena, o Aragão Guerra e Doutora Rita são pessoas altamente competentes. Teria sido muito bom, quer dizer, se cada um tivesse tido um dialogo na Câmara. Porque a câmara é a ressonância da sociedade feirense. Então nós ouvimos a proposta do procurador Carlos Lucena, ele já carimbado, já reconhecido, procurador público por muitos e muitos anos, mas era muito importante que nós tivéssemos também ouvido a doutora Rita e o doutor Aragão.

Partindo do princípio que a Casa da Cidadania é uma casa democrática, nós ficaríamos muitos alegres com o debate, mas não aconteceu. Existiu o debate dos vereadores, a sociedade se manifestou dentro dos seus limites. Mas em outra época, quando houver nova escolha de procurador, mesmo que eu não esteja na Câmara, eu deixo aqui um momento de reflexão, para quando vier outra eleição, daqui a dois anos, que cada candidato que se proponha ser Procurador Geral do Município vá à câmara municipal, porque quando ela fala naquele simples microfone, ela está falando para 600 mil habitantes.

JGB – A sua gestão pretende convocar o procurador Carlos Lucena para que preste os esclarecimentos, uma vez que ele está há dezesseis anos no poder e jamais fez esclarecimentos à sociedade, jamais prestou contas de sua gestão a frente do poder?

Ribeiro – Nós nos pegamos muito naquela situação que o Carlos Lucena ser um procurador de toda Feira de Santana, procurador do município, então eu não tenho dúvida da lisura da administração dele. Mas tudo que for para comunidade ficar mais próxima, para comunidade tomar conhecimento é de grande importância. Não é uma questão localizada. Qualquer homem público, é Ribeiro no poder legislativo, é Tarcízio no executivo, é Marcelo Nilo na Assembleia Legislativa; é o governador do Estado, Jaques Wagner; seja a presidente Dilma Rousseff. Nós temos o dever de esclarecer e de mostrar ao povo como se administra. Como é que estão as coisas. Se tem dúvidas, vamos tirar as dúvidas, vamos receber orientação, porque ninguém nasceu sabendo é um conjunto de pessoas que nós temos que ouvir.

Quer dizer, eu hoje estou aqui sendo entrevistado por você Carlos Augusto (Guto Jads), e estou muito alegre, porque é um repórter culto, é um repórter que tem os pés no chão, não estou aqui rasgando seda, mas estou assim vendo o seu modo de entrevistar, procurando conhecer, ou da opinião nos pontos que são necessários para que o povo de Feira de Santana tome conhecimento.

JGB – Falando um pouco de politica o senhor declarou anteriormente que não seria mais candidato a reeleição. O senhor mantém essa declaração? Caso o senhor mantenha, o que lhe motivou? E se o senhor efetivamente não vier a ser candidato, quem o senhor pretende apoiar?

Ribeiro – Eu tenho muitos amigos. Eu chamei meus amigos, eu chamei meus eleitores, vinte anos de vereadores, cheguei nessa Casa da Cidadania com 45 anos, quer dizer, estou saindo com 65 e sinto que o meu dever está cumprido na Casa Legislativa.

Então eu gostaria, tenho muitos amigos, tenho muitas pessoas de bem, que pretendem colocar o seu nome para apreciação para vereador, mas se os tramites e as leis nos permitirem, eu tenho um filho (Francisco Ubiraci do Nascimento) que se propõe em ser candidato, ele não é candidato ainda, é candidato a candidato.

O meu filho é militar, não tem filiação, ele tem um tempo determinado pela lei que regulamenta as atividades da polícia militar. Então ele não tem partido ainda, não é candidato ainda, só na época que a própria polícia militar der o direito de ele avocar a lei militar, ele poderá postular uma candidatura.

Então vamos aguardar, se o povo assim aceitar, se a sociedade de Feira aceitar, o meio de comunicação e o povo no geral achar que ele é digno de representar o povo naquela casa e substituir um vereador de cinco mandatos, eu ficarei muito alegre. Se assim não for, já fico devendo a minha gratidão ao povo de Feira de Santana, por esses vinte anos de mandato na câmara.

JGB – O senhor também tem dado declarações com relação ao prefeito Tarcízio Pimenta, que o apoia como candidato a reeleição. O senhor confirma esse apoio?

Ribeiro – O prefeito Tarcízio Pimenta vem fazendo um trabalho intenso no município de Feira de Santana. É um prefeito que respeita as leis, respeita o seu povo. Ele tem esse primeiro mandato, eu acho que é justo o povo de Feira de Santana se aliar, se juntar, para nós darmos continuidade, para que em oito anos ele termine de fazer pelo povo os projetos que ele tem em mente. Os quatro anos eu acho que foram pouco e gostaria que ele fosse para o segundo mandato.

Confesso-lhe que Tarcízio Pimenta é um prefeito democrata, é um prefeito que atende o povo, é um prefeito que olha muito o social. Que se diga de passagem, os pobres de Feira de Santana. Para os moradores dos bairros mais carentes e dos distritos, ele tem tido uma atenção especial, até porque, vem da profissão de médico. Porque trabalhar para rico é bom, mas trabalhar para pobre é difícil. E ele é um médico que antes de ser prefeito de Feira de Santana realizou mais de 45 mil cirurgias.

Então eu acho que ele tem um grande trabalho social dentro de Feira de Santana e naquela classe mais pobre, mais sofrida. Nas classes que muitas vezes nunca deu bom dia a um prefeito, muitas vezes nunca pegou na mão de um prefeito e ele vai e cumprimenta a todos.

Às vezes eu vou com ele aos bairros e distritos, e sinto que ele abraça o povo e faz um momento de reflexão, é algo de coração. Eu vejo que ele tem um carinho especial pelos mais carentes.

Portanto eu acho que o povo de Feira de Santana deve fazer esse julgamento. Vamos entrar em 2012, fazer uma politica respeitosa, sem baixar o nível, sem mostrar defeito nem A, e nem B. Vamos contar a história de Feira de Santana, para que o povo se sinta ouvido e prestigiado, e julgue no dia 5 de outubro, quem realmente vai governar Feira de Santana pelos próximos quatro anos.

Acredito que a vontade, que esse vereador tem, vai recair no prefeito Tarcízio Pimenta. Porque eu acredito muito no Grande Arquiteto do Universo, acredito muito no povo de Feira de Santana, e tenho certeza que será uma escola justa. Porque eu sempre tenho dito, não é preciso o prefeito Tarcízio Pimenta ser bom para o vereador Ribeiro, eu quero ter dele o respeito como quero ter de Guto repórter, agora eu gostaria e quero e que ele continue fazendo, respeitando o erário público, respeitando os direitos de cada um e abraçando esse povo sofrido de Feira de Santana.

Antônio Francisco Neto – Ribeiro: O prefeito Tarcízio Pimenta vem fazendo um trabalho intenso no município de Feira de Santana. É um prefeito que respeita as leis, respeita o seu povo. – Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br
Presidente da Câmara de Feira, Ribeiro é entrevistado por Carlos Augusto. – Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br
Presidente da Câmara de Feira, Ribeiro é entrevistado por Carlos Augusto. Revelações políticas e balanço da gestão foram temas da entrevista. – Foto: Carlos Augusto | Guto Jads | Jornal Grande Bahia. Com. Br
Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 120472 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.