Deputada Luíza Maia orienta suspenção pagamento de cachê ao cantor Luiz Caldas. PTN protesta e diz que é um desrespeito à cultura baiana

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

O presidente municipal do PTN de Camaçari, Maurício Bacelar, lamentou hoje a interferência da deputada estadual Luíza Maia (PT) na prefeitura de Camaçari ao determinar a suspenção do pagamento do cachê ao pai da axé music, Luiz Caldas por ele ter cantado Fricote, um de seus maiores sucessos, no 1º Festival de Jazz e Blues de Arembepe. “Isso é uma afronta à cultura baiana e a brasileira. É a volta da censura. E um retrocesso”, protestou Maurício Bacelar.

Segundo Maurício Bacelar, esse gênero de música tem 30 anos e essa música em particular é um ícone, por ser precurssora do axé music. “Não podemos admitir que as forças do retrocesso se imponham contra a nossa gente e a nossa cultura. É lamentável que coisas como essa ocorram, sobretudo aqui na Bahia, terra onde lutamos contra o preconceito e a discriminação. Ou será que vamos também censurar Dorival Caymmi, Vinícius de Moraes que sempre cantaram a mulher? Ou Mário Lago e Ataulfo Alves, que compuseram Amélia, a mulher de verdade, por discriminação a mulher? Eles, que tão bem retrataram e enalteceram a mulher, agora serão censurados? Isso é um absurdo e beira a prepotência, a arrogância e a perseguição”, protestou Bacelar.

Além disso, lembra Maurício Bacelar, Luiz Caldas é um artista importante, que sempre enalteceu a Bahia e deu novo fôlego ao Carnaval baiano e aos artistas de nossa terra, ao criar a mistura de ritmos que originou o axé music. “Ele introduziu, nos trios elétricos, uma nova sonoridade através de novos instrumentos como o teclado, inaugurando a nova era da cultura musical da Bahiae que tornou o Carnaval baiano nesse sucesso mundial, nesse grande filão que movimenta milhões de pessoas e Reais. É esse homem, que tão bem representa a Bahia, que a deputada quer punir e repudiar? Isso é lamentável”, protestou Maurício Bacelar.

Outro importante questionamento que o presidente do PTN faz é qual a influência que a deputada estadual Luiza Maia tem sobre a prefeitura de Camaçari a ponto de adotar medidas como a suspensão de pagamento a um prestador de serviço? “Ela manda na prefeitura de Camaçari? É ela quem determina quem deve ou não receber os pagamentos ou ser penalizado? Não seria interferência externa nos comandos da prefeitura de Camaçari?”, ponderou Maurício Bacelar.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9976 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).