1º de Dezembro, dia Mundial de Luta Contra a AIDS. Debutada Graça Pimenta notifica que a Bahia possuí 19.290 casos registrados

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia - Logomarca 2012 - 12
Jornal Grande Bahia - Logomarca 2012 - 12

No dia 1º de dezembro as nações celebram o Dia Mundial de Luta Contra a AIDS. A iniciativa é uma forma de chamar a atenção da sociedade para a doença. Da tribuna da Assembleia Legislativa (AL), a deputada estadual Graça Pimenta (PR) indicou, nesta quarta-feira (30), a realização de mais ações contra a AIDS.

“Prevenir a infecção é um objetivo-chave para controlar a doença. Cabe ao poder público intensificar as campanhas que alertem sobre a AIDS. A sociedade brasileira, através dos órgãos de saúde, tem de permanecer vigilante para conter o crescimento desse mal que atinge o físico e o psicológico humano”, destaca.

A discriminação contra as pessoas que vivem com o vírus causador da doença, o HIV, e com a própria AIDS é uma das barreiras no combate à pandemia; na realização do seu diagnóstico; e na prestação de uma assistência adequada. O preconceito é desencadeado por motivos que incluem mitos, medos e a falta de conhecimento.

Graça Pimenta destacou o tratamento contra a doença disponibilizado no Brasil. “Nosso país já encontrou um modelo de tratamento da AIDS, que é considerado pela OMS (Organização Mundial de Saúde) uma referência para o mundo. Agora precisamos encontrar uma forma de quebrarmos todos os preconceitos contra os portadores da doença. Acabar com o preconceito e aumentar a prevenção devem se tornar hábitos diários de nossas vidas”, afirma.

Na Bahia, do ano de 1980, quando houve o primeiro registro da doença, até o momento, já foram notificados 19.290 casos de AIDS. De 1980 até 2010, 1.967 casos foram noticados nas pessoas entre 15 e 24 anos. Entre 1980 e 2011, 466 crianças menores de cinco anos entraram na estatística de notificações.

Segundo boletim 2011 divulgado pelo Ministério da Saúde, no Brasil a estimativa de pessoas infectadas pelo HIV permanece estável em cerca de 0,6%da população. O órgão afirma também que o número de novos casos notificados teve leve redução de 18.8/100 mil habitantes em 2009 para 17,9/100 mil em 2010.

O HIV pode ser transmitido através do sexo sem camisinha; da transfusão sanguínea; das agulhas hipodérmicas contaminadas; do intercâmbio entre a mãe e o bebê durante a gravidez, parto, amamentação; ou outra forma exposição ao vírus.

Sobre Carlos Augusto 9661 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).