Senador Walter Pinheiro destaca potencial eólico baiano, durante discurso no Senado da República

Walter de Freitas Pinheiro (Walter Pinheiro).
Walter de Freitas Pinheiro (Walter Pinheiro).

senador-walter-pinheiro-destaca-potencial-eolico-baiano-durante-discurso-no-senado-da-republicaO senador Walter Pinheiro (PT-BA) destacou, nesta segunda-feira (28/11/2011) no Plenário do Senado, o êxito do governo do Estado para empreender o programa de geração de energia eólica na Bahia, onde, até 2014, devem ser criados 52 parques eólicos com potencial de gerar 1.400 megawatts de energia. Ele comemorou o início das operações, nessa semana, da fábrica da Alstom no município baiano de Camaçari, que fornecerá equipamentos para os aerogeradores.

“A francesa Alstom tem investimento de R$ 50 milhões, mas já atraímos outros investimentos na chamada indústria que produz o equipamento para colher o vento”, disse o senador, citando a espanhola Gamesa, com investimento de R$ 50 milhões; a GE, que assinou protocolo com o Estado na ordem de quase R$ 45 milhões; e a dinamarquesa Vestas, ainda em fase de diálogo com o governo.

O senador lembrou que a Bahia terá, ainda em janeiro, o primeiro parque eólico em funcionamento na região da Chapada Diamantina, na cidade de Brotas de Macaúbas. “Esses investimentos, por exemplo, consomem algo da ordem de R$ 400 milhões. E nós teremos o início de três áreas de utilização de energia eólica, sendo que cada uma deverá gerar algo em torno de 30 megawatts, com 57 torres, permitindo um total de 90 megawatts”, informou.

Para Pinheiro, além de suprir a matriz energética com uma fonte limpa, os empreendimentos também estimulam a economia local. “Os agricultores receberão, como contrapartida do uso de suas áreas para assentar as torres e os aerogeradores, R$ 6 mil em média por ano”, discursou, anunciando que o próximo município a sediar outros parques deve ser Morro do Chapéu.

Segundo Pinheiro, ainda em 2012, 18 parques entrarão em operação, num total de 413 megawatts de geração de energia e, até 2014, o investimento pode ser superior a R$1,5 bilhão. Finalizando seu pronunciamento sobre os bons ventos da energia na Bahia, o senador brincou ao chamar a energia eólica como ‘os royalties do sertão’ e citando o dito popular: “Como dizem os sertanejos baianos: quanto mais seco, mais vento”.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 109713 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]