Secretário de Comunicação do Estado da Bahia, Robinson Almeida, fala sobre a abertura de um escritório da Tv Educativa em Feira de Santana

Robinson Almeida: a região de Feira de Santana é pauta obrigatória de cobertura da TV Educativa nessa fase nova que nós queremos instalar, para que ela possa fornecer esse conteúdo que demonstre a diversidade do nosso Estado.
Robinson Almeida: a região de Feira de Santana é pauta obrigatória de cobertura da TV Educativa nessa fase nova que nós queremos instalar, para que ela possa fornecer esse conteúdo que demonstre a diversidade do nosso Estado.
Robinson Almeida: a região de Feira de Santana é pauta obrigatória de cobertura da TV Educativa nessa fase nova que nós queremos instalar, para que ela possa fornecer esse conteúdo que demonstre a diversidade do nosso Estado.
Robinson Almeida: a região de Feira de Santana é pauta obrigatória de cobertura da TV Educativa nessa fase nova que nós queremos instalar, para que ela possa fornecer esse conteúdo que demonstre a diversidade do nosso Estado.

Robinson Almeida é o primeiro Secretário de Comunicação Social do Governo da Bahia (SECOM-Bahia), anteriormente o órgão era uma agência de comunicação (AGECOM). Com início do segundo governo de Jaques Wagner, foi criada a SECOM. Além de verba orçamentária própria, a nova secretária passou a contar com o controle político-administrativo de órgãos como o IRDEB (Instituto de Rádio Difusão da Bahia). O poder de influência de Robinson Almeida cresceu, neste segundo governo. Ele fala com exclusividade ao Jornal Grande Bahia sobre este novo momento.

Jornal Grane Bahia – Qual a situação atual do Conselho Estadual de Comunicação Social?

Robinson Almeida – Hoje (25/22/2011) foi um dia histórico, porque foi realizada uma eleição, onde a sociedade civil escolheu seus representantes. Então a Bahia, que foi o primeiro Estado a realizar uma Conferência de Comunicação, e a criar um Conselho de Comunicação está sendo também o primeiro Estado a implantar um Conselho de Comunicação.

Nós iremos agora homologar o resultado, será publicado um decreto pelo governador com as representações, e em sequência nós iremos instalar o conselho, provavelmente nos mês de dezembro. Para que possa funcionar e discutir as políticas públicas na área, para fortalecer o mercado, dinamizar a comunicação e poder melhor servir a nossa população.

JGB – Feira de Santana ganha o status de região metropolitana. Quando teremos um escritório da TV Educativa aqui em Feira de Santana?

Robinson Almeida – Nós estamos com o IRDEB, agora vinculado à área de comunicação. Foi uma decisão recente de meados desse ano, quando ocorreu a reestruturação do Estado. Nós estamos fazendo um planejamento estratégico para o IRDEB, nossa prioridade é a digitalização do instituto, inclusive para cumprir a legislação nacional, que estabelece 2016 como o teto para digitalização.

Nosso objetivo é a partir do ano vem intensificar essa digitalização, para o sinal sair em melhor qualidade e a gente poder atender aos baianos, e somado ao processo de digitalização a nossa meta é ampliar a produção de conteúdo regional, para que tenhamos mais notícias da Bahia circulando, para que mais baianos possam assistir e vê.

Certamente a região de Feira de Santana é pauta obrigatória de cobertura da TV nessa fase nova que nós queremos instalar, para que ela possa fornecer esse conteúdo que demonstre a diversidade do nosso Estado, que não é só a capital, que é o recôncavo, o Sul, o Oeste, o Norte, o Sertão. A segunda cidade do Estado terá, nessa nova fase, uma presença importante no material que for produzido e exibido na TV pública.

JGB – Secretário em relação ao Pensar Feira, qual a importância dessa discussão?

Robinson Almeida – Uma importância fundamental. Eu saio daqui hoje sexta-feira (25/22), 11 horas da noite com um entusiasmo grande de vê pessoas de bem da cidade, a maioria com atividades empresariais, pessoas de sucesso, sentado discutindo o futuro dessa população, o destino desse município.

Então para mim foi uma alegria está aqui compartilhando esse momento, em que o segmento empresarial, comercial da cidade pode expor suas reivindicações à representantes de governo, do congresso nacional, do poder legislativo, o senador Walter Pinheiro e o deputado Zé Neto.

Nós pudemos também expor, fazer uma prestação de contas do que o governo tem realizado na Bahia, em particular em Feira de Santana, e construindo esse diálogo democrático, esse debate participativo, porque é dessa forma nova que a Bahia está sendo governada e o Instituto Pensar Feira está de parabéns pela sua preocupação social com o futuro dessa cidade.

Sobre Carlos Augusto 9719 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).