Minas Gerais: Projeto da Unesco no Brasil ajuda a digitalizar Profetas de Aleijadinho

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Profetas de Aleijadinho. Obra do artista Antônio Francisco Lisboa, está sendo preservada com técnica de robótica e digitalização três dimensões.
Profetas de Aleijadinho. Obra do artista Antônio Francisco Lisboa, está sendo preservada com técnica de robótica e digitalização três dimensões.
Profetas de Aleijadinho. Obra do artista Antônio Francisco Lisboa, está sendo preservada com técnica de robótica e digitalização três dimensões.
Profetas de Aleijadinho. Obra do artista Antônio Francisco Lisboa, está sendo preservada com técnica de robótica e digitalização três dimensões.

A Organização das Nações Unidas para Educação, Ciência e Cultura, Unesco, está realizando um projeto em Minas Gerais para ajudar a preservar uma das mais importantes obras do Barroco brasileiro.

Os “Profetas de Aleijadinho” estão recebendo uma técnica pioneira no país com base em alta digitalização 3D e robótica. A digitalização de sete profetas, do Santuário de Nosso Bom Jesus de Matosinhos, em Congonhas, começou nesta segunda-feira e vai até sexta-feira. A obra, que reúne 12 profetas ao todo, foi esculpida em pedra-sabão pelo artista Antônio Francisco Lisboa, que ficou conhecido como Aleijadinho.

Patrícia Reis, especialista em Patrimônio da Unesco no Brasil falou à Rádio ONU de Congonhas, Minas Gerais, sobre o projeto. “ O objetivo é de criarmos réplicas digitais que permitirão um estudo mais aprofundado da obra de Aleijadinho; um monitoramento futuro do estado de conservação dos Profetas; explorar o traço do artista sobre a escultura; possibilidades de estudos físicos da escultura, a criação de modelos virtuais para a visualização na internet”, disse.

O trabalho de preservação data do início deste ano. E desta vez, o público terá a chance de conhecer mais o projeto através de mesas-redondas e da palavra de especialistas. Patrícia Reis explicou como a tecnologia funciona. “É a primeira vez que estamos associando a tecnologia do scanner 3-D com um equipamento de automação industrial. Esse braço robótico ajuda a levar um scanner próximo à escultura, sem no entanto chegar perto, com um controle de sensores que evitam que qualquer elemento se aproxime da escultura, de forma a contornar e captar as imagens no entorno da peça”, explicou.

Segundo a Unesco, sensores a laser estão sendo usados para garantir a segurança e integridade das obras. Os profetas estarão disponíveis na internet para todo o mundo, em forma digital. *Com informações: Rádio Onu

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113791 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]