Presidente Estadual PT, Jonas Paulo, diz que o governador Jaques Wagner sobe apenas em um palanque em Feira de Santana; confira a entrevista

Jonas Paulo: "O PT apoia aliados em cidades estratégicas como Simões Filho, Juazeiro, Jequié, Barreiras, Guananbi, Porto Seguro e Eunápolis, sendo vice na maioria delas. Das 400 maiores cidades, levantadas o PT tem 231 candidaturas próprias.
Jonas Paulo: "O PT apoia aliados em cidades estratégicas como Simões Filho, Juazeiro, Jequié, Barreiras, Guananbi, Porto Seguro e Eunápolis, sendo vice na maioria delas. Das 400 maiores cidades, levantadas o PT tem 231 candidaturas próprias.
Jonas Paulo: a participação do Governador do Estado na campanha estará vinculada diretamente à política que os partidos irão construir.
Jonas Paulo: a participação do Governador do Estado na campanha estará vinculada diretamente à política que os partidos irão construir.

O presidente Estadual PT, Jonas Paulo, concedeu entrevista exclusiva ao jornalista Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia, onde discorre do processo eleitoral de 2012 em Feira de Santana e sobre a pretensão de concorrer como candidato a prefeito de Ibotirama. A entrevista foi concedida, ontem (28/11/2011), durante a reunião dos delegados do PT feirense no Centro Social Urbano.

Jornal Grande Bahia – Como se comportará o PT nas eleições de 2012 em Feira de Santana?

Jonas Paulo –Nós iremos hoje (28/11) traçar uma tática. Os filiados do PT, que são delegados, irão discutir a tática eleitoral, a política e a aliança, e iremos certamente indicar o nome que o PT irá apresentar à cidade e às forças políticas que compõem a nossa base, para ser o nosso candidato a prefeito, que todas as tendências que nós temos ouvido, é que deverá ser consagrado o nome do companheiro Zé Neto, como líder desse processo a partir do Partido dos Trabalhadores.

Então nós estamos tranquilos, entendendo que a disputa aqui em Feira, é uma disputa difícil. Mas é uma disputa que nós estamos extremamente otimistas quanto a ela, porque se dará numa eleição de dois turnos, porque há postas duas candidaturas na cidade, a nossa será certamente uma terceira, e nós estamos confiantes que nós iremos disputar e levar a eleição para o segundo turno, e vencer as eleições.

JGB – Partido é partido, e governo é governo. Mas, nas eleições passadas o governador Jaques Wagner não veio a Feira de Santana. Irá se repetir esse mesmo procedimento nessa eleição?

Jonas Paulo – Não! Veja bem. A participação do Governador do Estado na campanha estará vinculada diretamente à política que os partidos irão construir. O governador tem nos dito que nós, no fórum do conselho político, para trabalharmos com objetivo de obter a maior unidade possível dos partidos da base é o caminho para garantir uma presença segura do governador nos palanques, e será o que iremos fazer.

Nós temos critérios, que discutimos entre os partidos, por exemplo, a participação de 2010 na campanha do candidato e dos partidos dá uma prioridade, que não dá logicamente a exclusividade. Então nós iremos trabalhando para vê o jeito de construirmos a mais ampla aliança, uma tática geral do projeto para as eleições e vencer as eleições de Feira de Santana.

JGB – Explicando melhor, quer dizer que em Feira de Santana o governador irá subir nos palanques do atual prefeito que está filiado ao PDT, que é da base, e do próprio PT?

Jonas Paulo – Não! O que eu falei não foi isso. Eu disse que nós não debruçamos sobre Feira de Santana, porque as candidaturas não estão postas. Existem critérios entre os partidos, de que as candidaturas que vem desde 2010 com o governador, com o nosso governo, e os seus partidos tem prioridade para a presença das lideranças do governo no palanque. Então está claro que a partir daí, iremos nos debruçar no quadro de cada candidatura. Logicamente que o governador não ficará desfilando em dois, três, quatro palanques. Certamente que não. O governador irá ao palanque que tiver agregado forças da base, que estiveram em nossas campanhas em 2010 e logicamente num partido de nossa base.

JGB – Muito se tem especulado com relação ao seu próprio nome como candidato a prefeito. O que existe de concreto com relação a isso?

Jonas Paulo – Eu sou talvez em 2016, 2020 eu possa querer ser candidato da minha cidade, que é Ibotirama, que nós iremos ganhar as eleições, agora como candidato do PT, mas iremos aguardar 2016, 2020 ou 2024, e poderemos ser candidato a algum lugar. Eu sou presidente do PT, irei cumprir meu mandato até o ano de 2013.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9162 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).