EBDA participa da II Expointer Guaraná 2011

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.

Começa hoje (18/11/2011) e vai até domingo (20), a II Expointer Guaraná 2011, no município de Taperoá, localizado no Território de Cidadania Baixo Sul, a 297 km de Salvador. O objetivo do evento é apresentar para público a cadeia produtiva do guaraná e suas potencialidades, além de reunir expositores de diversos segmentos do agronegócio, agricultura familiar, bem como rodadas de negócios, palestras, apresentações culturais e grandes shows musicais.

Mudas de guaraná, cupuaçu e graviola; artesanatos com a fibra e o coco da piaçava; mel; própolis; banana da terra; mandioca; cacau; plantas medicinais; e hortaliças orgânicas são alguns produtos expostos no estande da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola S.A (EBDA), vinculada à Secretaria Estadual de Agricultura (Seagri), que também participa do evento.

Técnicos da empresa estarão no estande, durante todos os dias da feira, orientando os visitantes sobre as diversas culturas trabalhadas na região. “Iremos mostrar nossa atuação no Território Baixo Sul, bem como outras temáticas além do guaraná. A EBDA é uma empresa interdisciplinar e com tudo isso tenho certeza de que esse evento será um sucesso”, comentou a chefe de escritório da EBDA, Sandra Marins.

Pesquisas para controle de qualidade dos grãos do guaraná, orientações para plantio, técnicas para manejo, palestras, seminários, cursos e oficinas de planejamento são alguns dos trabalhos executados pela Empresa em Taperoá. Preocupada com a sustentabilidade socioambiental das atividades agrícolas, a Empresa também investe em cursos de compostagem orgânica, controle biológico de pragas, uso da manipueira, e processamento e beneficiamento de grãos.

A EBDA está presente nos 15 municípios do Território de Cidadania Baixo Sul, desenvolvendo trabalhos de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater) pública para os agricultores familiares. As principais culturas trabalhadas pela Empresa no Território são: guaraná, cravo da índia, urucum, pimenta do reino, cacau, seringa, cupuaçu, banana, graviola, abacaxi, banana da terra, coco, maracujá e mamão.

Terra do guaraná

Contam os antigos moradores do município que, na década de 70, um agricultor japonês mudou-se para Taperoá e trouxe na bagagem as primeiras mudas de guaraná, que logo se adaptou ao clima e solo baiano. Não demorou muito e o novo cultivo conquistou o gosto popular por conta das facilidades de manejo e do preço alcançado.

O município é conhecido como Terra do Guaraná, por ser maior produtor do Brasil, com 1.700 hectares de área plantada, produção anual de aproximadamente 800 toneladas, e produtividade de 430 quilos de grãos por hectare. O cultivo do guaraná tem grande importância sócio-econômica para o município, já que assegura renda para as famílias de agricultores familiares.

Sobre Carlos Augusto 9670 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).