Corrupção no Governo Federal | Ministro Lupi diz que quer resolver pendências no SIAFI sobre prestação de contas

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Lupi diz que quer resolver pendências no Siafi sobre prestação de contas

O ministro do Trabalho e Emprego, Carlos Lupi, disse hoje (10) que quer resolver pendências sobre as prestações de contas da pasta. Em audiência na Comissão de Fiscalização e Controle da Câmara, ele informou que este mês recebeu comunicado do Tribunal de Contas da União para que fizesse um cronograma a fim de reduzir o número de contratos sem registro no Sistema Integrado de Administração Financeira do Governo Federal (Siafi).

“Quero fazer o possível e impossível para resolver os processos de prestação de contas que não estão no Siafi”. destacou.

Ele está na Câmara para prestar esclarecimentos sobre as denúncias de propina cobrada por assessores de seu ministério a organizações não governamentais (ONGs). De acordo com Lupi, dos 491 convênios na área de qualificação (de 2003 a 2007), 18 estão com prestação de contas rejeitadas.

O ministro explica neste momento a organização do ministério, onde há 10 mil funcionários, 3 mil auditores e 5 mil unidades descentralizadas.

Para Lupi, é preciso que seja dado a ele e às pessoas ligadas ao seu ministério acusadas de participar do esquema de desvio de propina o direito de defesa. “Nós nos sentimos muito agredidos, porque há uma denúncia anônima.”

Ele disse ainda que uma das instituições citadas na reportagem da revista Veja está sendo investigada pela Polícia Federal, por irregularidades. Matéria publicada na revista aponta Anderson Alexandre Santos como operador de um suposto esquema de cobrança de propinas a organizações não governamentais (ONGs) que tinham contratos com o Ministério do Trabalho.

Lupi contou que pediu desculpas à presidenta Dilma Rousseff por ter declarado que só sairia do ministério abatido à bala. “Presidenta Dilma, desculpa se fui agressivo. Peço desculpas. Eu te amo”, disse Lupi durante audiência pública.

Ele pediu desculpas também à imprensa, porque, às vezes, “exagera”. “Cada um reage de um jeito, e eu reajo indo para o debate, para o embate. Quero pedir desculpas à imprensa, porque às vezes exagero.”

Sobre declarações de Lupi, Dilma diz que “passado simplesmente passou”

A presidenta Dilma Rousseff disse hoje (10/11/2011) a jornalistas que “o passado simplesmente passou” ao ser perguntada sobre a declaração do ministro do Trabalho, Carlos Lupi, de que só deixaria a pasta “abatido à bala”. O Ministério do Trabalho é alvo de denúncias de cobrança de propina a organizações não governamentais.

Segundo ela, o assunto não abala o governo e não há sinal de crise. “Que crise no Ministério do Trabalho?”, indagou.

No último dia 8, o ministro Carlos Lupi deu uma entrevista coletiva em que afirmou que só sairia do ministério “abatido à bala”. Ontem (9), após Lupi ter se reunido, no Palácio do Planalto, com a ministra-chefe da Casa Civil, Gleisi Hoffmann, o PDT, partido do ministro, divulgou uma nota negando que ele tenha desafiado Dilma.

“As declarações do ministro Carlos Lupi durante coletiva, na sede nacional do PDT, não foram de ameaça à presidente Dilma Rousseff ou a quem quer que seja, mas sim um desafio aos acusadores anônimos”, informa a nota do partido.

Lupi presta esclarecimentos na Câmara sobre denúncias de irregularidades no Ministério do Trabalho

O ministro do Trabalho, Carlos Lupi, irá hoje (10), a partir das 9h30, à Comissão de Fiscalização Financeira e Controle da Câmara para prestar esclarecimentos sobre denúncias de irregularidades no repasse de recursos do Ministério do Trabalho para organizações não governamentais e de envolvimento de assessores com um um esquema de pagamento de propina em benefício do PDT – partido de Lupi.

Ontem (9), os deputados discutiam sobre a votação de requerimentos de convite e convocação do ministro, quando Lupi enviou mensagem informando sua disposição de ir hoje à Câmara para dar explicações. Desde o fim de semana, o ministro nega todas as suspeitas. Ele afastou um dos assessores envolvidos nas informações .

Em entrevistas recentes, Lupi disse que o assunto está superado. “A gente já deu as respostas que tinha que dar, apresentou os documentos, o procurador-geral da República [Roberto Gurgel] já se pronunciou. Agora, estou aqui para trabalhar”, acrescentou, durante encontro destinado a discutir o Programa Brasil sem Miséria.

Lupi reiterou que sua equipe não cobra propina em nome do partido. Ele lembrou que o Ministério do Trabalho conta com cerca de 10 mil funcionários. “Se [alguém] tiver feito, cadeia para o corrupto e para o corruptor”, disse.

Segundo o ministro, as informações de irregularidades são “vazias e irresponsáveis”. Ele pediu que sejam apresentadas provas relacionadas a supostos pagamentos de propina que envolvam seu nome.

*Com informações: Agência Brasil

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 113486 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]