A filarmônica da cidade de Maragojipe, criada em 1880, foi principal atração na manhã de domingo na Virada Cultural

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Na programação teve também lavagem, teatro, cordel e fanfarras.Evento acontece até às 23h deste domingo (06/11/2011) em Maragojipe, na Bahia.

Lavagem, fanfarras, teatro, cordel e filarmônicas marcaram a manhã do segundo dia da Virada Cultural em Maragojipe. Bem cedo, por volta das 5h30, fiéis lavaram a escadaria da igreja de São Bartolomeu, padroeiro da cidade. A festa foi uma amostra da tradicional lavagem que acontece no terceiro domingo do mês de agosto. Por conta do horário e da rotina de festas, apenas algumas pessoas fiéis tiveram forças para fazer a lavagem.

Logo em seguida, a fanfarra da cidade passou pelas ruas, “acordando” àqueles que tentavam dormir após quase uma madrugada de atividades. O som convidava as pessoas para os festejos que iriam começar na praça Conselheiro Antônio Rebouças. Ao mesmo tempo, começava a missa, que é ouvida por toda a cidade por meio de um sistema de alto-falantes, tradição dos domingos no município.

Na praça, a filarmônica da cidade, criada em 1880, iniciava sua apresentação, regada a clássicos da música brasileira e nordestina. A filarmônica, reconhecida como uma das melhores do estado, fez uma apresentação que atraiu um bom público. Ana Edite, 23 anos, única mulher do grupo, contou que para fazer parte, o jovem precisa passar por uma escola da própria filarmônica, onde aprende as noções de música em aulas realizadas duas vezes na semana.

A Casa de Cultura, teve a sua programação seguida com as obras e fotografias que ficarão expostas por todo o evento, além da peça “O casamento de Rosinha com o Diabo”, realizada por jovens atores da região. No final do espetáculo o protagonista veio ao público, em uma sala quase cheia lotada de pessoas das mais variadas idades, pedir que os jovens deem continuidade às manifestações culturais maragojipanas

Uma das partes mais celebradas pelo público foi a apresentação do cordelista Kitute de Nilsinho, de Irará. Entre causos e cordéis, Nilsinho fazia a plateia se divertir com histórias do povo simples do nordeste brasileiro. “É um grande orgulho poder estar aqui praticando cultura”, disse aos espectadores.

* Com informações: G1

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108614 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]