Câmara Americana de Comércio divulga tendências de mercado para 2012

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Como 2011 terminará e quais as principais tendências de mercado para 2012? Pesquisa da Amcham em parceria com o Ibope divulgada nesta terça-feira (04/10) em São Paulo mostra a visão do setor privado sobre essas questões. Do ponto de vista macroeconômico, a maioria das empresas (79%) espera aumento da inflação em 2011 e 50% apostam em estabilidade em 2012; há um equilíbrio entre expectativa de estabilidade e crescimento do PIB tanto para 2011 (35% e 39%, respectivamente) como para 2012 (42% e 44%, respectivamente); espera-se valorização do câmbio em 2011 (58%) e estabilidade em 2012 (63%); e também há uma divisão equilibrada nas expectativas quanto aos juros em 2011 (crescente para 35% e estável para 42%), pendendo mais para a visão da estabilidade (47%) em 2012.

No aspecto dos negócios, há no geral otimismo, ainda que em alguns pontos aquém do verificado em 2010, mas com retomada em 2012. Esse movimento é claro para vendas e lucro. Enquanto no ano passado 79% apostavam em vendas crescentes em relação ao período anterior, agora são 71% as que sinalizam essa expectativa. Para 2012, a expectativa volta ao padrão de 2010 (77%). No que toca a lucros, a fatia de companhias que acreditam em aumento era de 64% em 2010, passa a 55% em 2011 e chega a 68% no horizonte de 2012.

As companhias indicam em que áreas concentrarão seus investimentos em 2012, sendo as principais: estratégias comerciais (canais de venda, promoção e ações), marketing (lançamento de produtos, comunicação, feiras e eventos), RH (contratações, treinamentos e benefícios) e inovação, pesquisa e desenvolvimento e tecnologia.

Um ponto alto do estudo da Amcham é a avaliação de como o empresariado percebe o novo governo brasileiro em comparação com o anterior. Um grupo de 58% concorda que, na gestão Dilma Rousseff, há interesse maior em fortalecimento da relação Brasil-EUA; 43% veem crescimento da abertura para o diálogo com o setor privado; e 41% acreditam em melhor distribuição dos recursos para infraestrutura. Por outro lado, 54% identificam piora em relação à aprovação de uma reforma tributária. O empresariado aponta melhoria na condução da política externa, mas não identifica sinais claros na busca de acordos bilaterais de comércio.

Sobre a Amcham – A Amcham (Câmara Americana de Comércio) é uma organização não-governamental, sem fins lucrativos, que tem sua atuação baseada em dois pilares centrais: defesa da livre iniciativa privada no Brasil e das relações entre o País e os Estados Unidos. Além dos serviços típicos de uma câmara de comércio, a Amcham oferece um amplo portfólio de produtos e serviços que a coloca na posição de mais ativa e complexa entidade no Brasil em promoção de serviços para o meio empresarial. São 150 comitês temáticos de discussão; forças-tarefa para trabalhar por temas essenciais a um melhor ambiente de negócios; um intenso calendário de seminários, feiras e palestras com expoentes do empresariado nacional e autoridades brasileiras e americanas; diversas atividades voltadas à geração de oportunidades de negócios para os associados; programa de vistos em parceria com o Consulado Geral dos Estados Unidos em São Paulo; missões comerciais e serviços para o exportador e o importador; centro de arbitragem de conflitos; e business centers que abrigam eventos próprios e de terceiros. As atividades da Amcham atraem mais de 180 mil profissionais ao ano.

Sobre Carlos Augusto 9707 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).