A inércia do brasileiro

Escritor e blogueiro do JFH, Alberto Peixoto, tem trabalho reconhecido pelo desenvolvido em prol da cultura do Recôncavo baiano.Escritor e blogueiro do JFH, Alberto Peixoto, tem trabalho reconhecido pelo desenvolvido em prol da cultura do Recôncavo baiano.

Será que os brasileiros não sabem reagir à hipocrisia e à falta de ética de muitos dos que os governam?… Não lhes importa que tantos políticos que os representam no governo, no Congresso, nos estados ou nos municípios sejam descarados salteadores do erário?

A maioria do eleitorado brasileiro se acostumou a seguir para as urnas e depositar o seu voto, mas não aprendeu a acompanhar o trabalho do candidato eleito por ele, dando margem à corrupção, que já se encontra em níveis inaceitáveis em todo o país.

A presidente Dilma Rousseff em pouco mais de seis meses, já afastou seis ministros tidos como fundamentais para ao sucesso da sua gestão – o da Casa Civil, Antonio Palocci, o dos transportes Alfredo Nascimento, Nelosn Jobim da Defesa, Wagner Rossi da Agricultura, Pedro Novais do Turismo e Orlando Silva dos Esportes – todos acusados de corrupção. Este último foi acusado pelo Policial Militar João Dias Ferreira de ser o principal mandatário de um esquema de desvio de verbas – dinheiro público.

Esta situação inusitada leva os sociólogos a questionarem sobre a inércia do povo brasileiro. Por qual motivo o povo deste país, onde a impunidade dos políticos corruptos chegou a criar uma verdadeira cultura de que “todos são ladrões e que ninguém vai para a prisão”, não existe o fenômeno, hoje em moda no mundo, do movimento dos indignados? Indaga Juan Arias, correspondente do jornal espanhol EL PAÍS no Brasil.

Será que os brasileiros não sabem reagir à hipocrisia e à falta de ética de muitos dos que os governam? – continua Arias – Não lhes importa que tantos políticos que os representam no governo, no Congresso, nos estados ou nos municípios sejam descarados salteadores do erário?

Infelizmente neste país, o que leva às ruas um número às vezes superior a casa dos dois milhões de pessoas são as passeatas gays, caminhadas evangélicas em busca de Jesus, marchas em prol da liberação da maconha e movimento em protesto porque o time de futebol do coração foi rebaixado. Nem os caras-pintadas que no passado participaram da marcha pelas Diretas Já, na qual reivindicavam o direito de eleger o Presidente da República e pelo impeachment de Collor, também em protesto à ditadura militar, trabalhadores e cidadãos comuns, manifestaram qualquer reação pública contra a corrupção dos que nos governam.

Este Brasil onde a má aplicação do dinheiro público e os desvios de verbas estão sempre nos telejornais, ainda é o país onde seu povo não perdeu a esperança e nem perdeu o orgulho de, mesmo com todas estas situações escabrosas, ser brasileiro; este Brasil ainda é o país dos sonhos dos honestos, dos que querem deixar para seus filhos como uma pátria sem as escórias da corrupção que hoje abraça todas as esferas do poder. É fundamental que surja um movimento de indignados, que vá as ruas, que protestem em prol deste Brasil que todos sonhamos.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Alberto Peixoto
Antonio Alberto de Oliveira Peixoto, nasceu em Feira de Santana, em 3 de setembro de 1950, é Bacharel em Administração de Empresas pela UNIFACS, e funcionário público lotado na Secretaria da Fazenda do Estado da Bahia, atua como articulista do Jornal Grande Bahia, escrevendo semanalmente, é escritor e tem entre as obras publicadas os livros de contos: 'Estórias que Deus Duvida', 'O Enterro da Sogra, 'Único Espermatozoide', 'Dasdores a Difícil Vida Fácil', participou da coletânea 'Bahia de Todos em Contos', Vol. III, através da editora Òmnira. Também atua incentivador da cultura nordestina, sendo conselheiro da Fundação Òmnira de Assistência Cultural e Comunitária, realizando atividades em favor de comunidades carentes de Salvador, Feira de Santana e Santo Antonio de Jesus. É Membro da Academia de Letras do Recôncavo (ALER), ocupando a cadeira de número 26. E-mail para contato: [email protected] Saiba mais sobre o autor visitando o endereço eletrônico http://www.albertopeixoto.com.br.