Temas sociais e de gênero fazem parte da agenda da presidente Dilma Rousseff em Nova York

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Dilma repassa discursos e visita exposição no primeiro dia da viagem a Nova York

A presidenta Dilma Rousseff aproveitou o domingo em Nova York para repassar os discursos que fará no período em que permanecerá nos Estados Unidos e visitar uma exposição de arte. Pela manhã, ao ler o jornalThe New York Times, ela se interessou pela mostra do pintor holandês Frans Hals, no Metropolitan Museum. A presidenta foi à exposição acompanhada da filha Paula e dos ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; das Relações Exteriores, Antonio Patriota; do Esporte, Orlando Silva; e da Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas.

Durante uma hora, o grupo permaneceu no museu, onde tirou fotos e foi reconhecido por brasileiros. A presidenta também foi a um restaurante.

Dilma está nos Estados Unidos para participar da abertura da 66ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), na quarta-feira (21). Ela também terá encontro com os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama; da França, Nicolas Sarkozy; do México, Felipe Calderón; e da Nigéria, Goodluck Jonathan; e com o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron.

Temas sociais e de gênero fazem parte da agenda de Dilma em Nova York

Em Nova York, a presidenta Dilma Rousseff dedicará o dia hoje (19) aos temas sociais e de gênero. Inicialmente, ela participa de uma reunião sobre doenças crônicas não transmissíveis. O objetivo é discutir a prevenção e o controle dessas enfermidades no mundo. No entanto, Dilma deverá aproveitar a oportunidade para defender a necessidade de parcerias entre os países em busca do fim das desiguadades e de solução para os desafios sociais e econômicos.

A presidenta quer ainda mostrar as políticas públicas desenvolvidas no Brasil nas áreas de saúde e de ampliação do acesso da população aos tratamentos e cuidados para o bem-estar. O ministro da Saúde, Alexandre Padilha, acompanha Dilma na reunião.

Em seguida, na parte da tarde, Dilma se reúne com Michelle Bachellet, ex-presidenta do Chile e chefe da agência da Organização das Nações Unidas para a Mulher. Em pauta, os esforços conjuntos que podem ser desenvolvidos para incentivar a participação das mulheres em ações políticas e institucionais no mundo.

A presidenta chegou ontem (18) a Nova York e aproveitou para repassar os discursos que fará no período em que permanecerá nos Estados Unidos e visitar uma exposição de arte. Segundo assessores, ao ler o jornal The New York Times ela se interessou pela mostra do pintor holandês Frans Hals, no Metropolitan Museum.

Ontem, a presidenta foi à exposição acompanhada da filha Paula e dos ministros do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; das Relações Exteriores, Antonio Patriota; do Esporte, Orlando Silva; e da Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas. A visita durou cerca de uma hora.

No museu a presidenta foi reconhecida por brasileiros, posou para fotografias e conversou com eles. Em seguida, foi a um dos restaurantes que há nas redondezas do Metropolitam Museum.

Amanhã (20), Dilma se reúne com os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama, e da França, Nicolas Sarkozy, além de participar dos debates do grupo denominado Governo Aberto – que engloba 60 países que se comprometem a discutir e executar políticas públicas transparentes.

Nas reuniões com os presidentes norte-americano e francês, Dilma pretende, segundo assessores, conversar sobre temas bilaterais, mas também questões que afetam a comunidade internacional como um todo. A presidenta também tem encontros marcados com os presidentes do México, Felipe Calderón, e o da Nigéria, Goodluck Jonathan, e o primeiro-ministro britânico, David Cameron.

Dilma quer incluir temas como redução da pobreza e preservação ambiental na agenda mundial

A presidenta Dilma Rousseff aproveitará a viagem a Nova York – que começa hoje (18) e vai até quinta-feira (22) – para colocar em discussão temas que considera fundamentais para a pauta internacional. Dilma desembarcou no Aeroporto John F. Kennedy na manhã deste domingo.

Nas conversas que terá com os presidentes dos Estados Unidos, Barack Obama; da França, Nicolas Sarkozy; do México, Felipe Calderón; e da Nigéria, Goodluck Jonathan; assim como com o primeiro-ministro da Grã-Bretanha, David Cameron, Dilma deve defender medidas comuns de combate à desigualdade social, com políticas de inclusão, apontando os programas de transferência de renda do Brasil como alternativa.

A presidenta também mencionará a Conferência Rio+20, que será realizada de 28 de maio a 6 de junho de 2012, no Rio de Janeiro. Dilma destacará o fato que será a maior conferência mundial sobre preservação ambiental, desenvolvimento sustentável e economia verde, definindo um novo padrão para o setor. A previsão é reunir mais de 100 líderes mundiais.

Até as vésperas de viajar, a presidente estudava a possibilidade de detalhar a decisão no Brasil de criar a Comissão da Verdade – que se destina a investigar os crimes ocorridos no país no período da ditadura (1964-1985). Não está definido se Dilma mencionará a questão sobre o acesso a documentos sigilosos, prevista no Plano Nacional de Direitos Humanos (PNDH), e que divide opiniões no Executivo e Legislativo.

Dilma quer aproveitar as conversas, em Nova York, para defender a reforma do Conselho de Segurança da Organização das Nações Unidas (ONU). Para o governo brasileiro, o órgão não reflete o mundo atual, pois mantém a estrutura dos anos após a 2ª Guerra Mundial – com 15 membros, cinco permanentes e dez rotativos.

Os membros permanentes do conselho são a China, França, Rússia, o Reino Unido e os Estados Unidos. Os assentos rotativos estão ocupados pela Bósnia-Herzegovina, Alemanha, por Portugal, pelo Brasil, pela Índia, África do Sul, Colômbia, pelo Líbano, pelo Gabão e pela Nigéria. O mandato de alguns desses países, como o Brasil, acaba em dezembro.

Dilma e o ministro das Relações Exteriores, Antonio Patriota, participarão ainda das reuniões bilaterais com chanceleres do Brics – bloco formado pelo Brasil, pela Rússia, Índia, China e África do Sul – e do G4, integrado pelo Brasil, pela Alemanha, Índia e Japão, países que defendem a ampliação dos assentos no Conselho de Segurança e querem ter um lugar permanente no órgão.

A presidenta está em Nova York acompanhada por cinco ministros, o das Relações Exteriores; o da Saúde, Alexandre Padilha; o do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior, Fernando Pimentel; o do Esporte, Orlando Silva, e a da Comunicação Social da Presidência da República, Helena Chagas.

Dilma diz que tem orgulho de ser primeira mulher a abrir assembleia da ONU

Ao comentar sua participação na 66ª Assembleia Geral da Organização das Nações Unidas (ONU), a presidenta Dilma Rousseff disse hoje (19) que vai falar sobre temas importantes como a transparência nas ações do governo, o combate a doenças crônicas no país e a crise econômica mundial.

“Tenho muito orgulho de ser a primeira mulher, uma mulher brasileira, a abrir a Assembleia Geral da ONU”, ressaltou em seu programa semanal de rádio Café com a Presidenta. “O Brasil tem muito a mostrar em cada um desses temas”, completou.

Dilma comentou também o anúncio de ampliação da meta do governo de creches e pré-escolas a serem entregues em todo o país até 2014 – de 6 mil para 6,4 mil.

“Essas unidades escolares estão sendo chamadas de supercreches, porque elas reúnem a creche e a pré-escola em prédios muito bem construídos, capazes de oferecer uma educação de muita qualidade às nossas crianças”, explicou.

A presidenta falou ainda sobre a construção de 6,6 mil quadras esportivas escolares e a cobertura de 5 mil unidades até 2014. Segundo Dilma, mais de 8 milhões de alunos do ensino fundamental e do ensino médio serão beneficiados pelas medidas.

“O esporte é um estímulo para que as crianças permaneçam na escola por mais tempo. É, muitas vezes, uma maneira de tirar a criança da rua, sobretudo, nas regiões mais carentes”, concluiu.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112875 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]