Prefeito Tarcízio Pimenta defende PPP municipal e declara: infelizmente a mentalidade de alguns vereadores é do tipo de uma bola de gude

Tarcízio Pimenta - A PPP é o que existe de mais moderno, é o progresso e a evolução. Ninguém quer vender nada, nem comercializar. Infelizmente a mentalidade de alguns vereadores é do tipo de uma bola de gude.
Tarcízio Pimenta – A PPP é o que existe de mais moderno, é o progresso e a evolução. Ninguém quer vender nada, nem comercializar. Infelizmente a mentalidade de alguns vereadores é do tipo de uma bola de gude.

O prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta, concedeu duas entrevista exclusivas a Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia, a primeira ocorreu durante as comemoração do 7 de setembro de 2011 e a segunda foi no sábado (10/09), no Parque de Exposições João Martins da Silva.

Na primeira parte da entrevista o prefeito discorre sobre PPP municipal, fala na construção de um novo estádio, melhorias na educação, PDT, avalia o ingresso na base dos governos petistas em âmbito estadual e federal, comenta sobre as declarações de Marialvo Barreto quanto a política educacional da administração de José Ronaldo, faz criticas a oposição, e diz que Feira de Santana terá importantes investimentos em pavimentação asfáltica a partir desta segunda (12/09).

Na segunda parte da entrevista Tarcízio faz um balanço da EXPOFEIRA 2011, fala do sucesso do evento com a promoção de 12 leilões, totalizando R$ 10 milhões em negócios. Afirma que vai buscar no MDA (Ministério de Desenvolvimento Agrário) e junto a empresários do agronegócio a parceria necessária para ampliar e melhorar as instalações do Parque de Exposição João Martins da Silva.

Jornal Grande Bahia – O senhor desenvolveu um projeto de PPP e encaminhou à Câmara, que foi aprovado. Quais são os objetivos dessa PPP municipal?

Tarcízio Pimenta – A PPP é uma instituição que funciona em todo o país, inclusive o presidente Lula foi quem instituiu as Parcerias Públicas Privadas no país, e isso vem sendo adotado hoje pela presidente Dilma, pelos Estados e pelos municípios. Então, Feira de Santana não pode ficar distante disso.

A PPP é um atrativo para que grandes investimentos venham para a cidade. A gente pode, por exemplo, concluir o Centro de Convenções com a PPP, destravar a reabertura do aeroporto, fazer um novo centro de abastecimento e o canal de macrodrenagem de Feira de Santana, concluindo o esgotamento sanitário. Podem ser construídas grandes vias, a exemplo do anel do contorno de Feira.

Então, para você ter uma ideia, nós estamos sendo procurados por grandes empresas. Um grande estádio pode ser feito em Feira de Santana com a PPP. É necessário que a gente faça esse redimensionamento administrativo e, dê condições para que o município possa celebrar grandes convênios e avançar em seu desenvolvimento.

JGB – Sua administração também apresenta o Plano Municipal de Desenvolvimento da Educação em Feira de Santana. Quais objetivos o senhor acredita que possam ser alcançados com esse novo projeto?

Tarcízio Pimenta – O Plano Municipal de Educação, nada mais é do que um avanço, que vinha sendo solicitado há muito tempo. Há mais de dez anos que os professores cobravam esse plano, nós mandamos para a Câmara, e abrimos mão até da urgência, para que possa ser discutido e possa ser aprimorado.

JGB – O senhor recentemente esteve no Congresso Nacional do PDT. E o que se pode aduzir desse encontro nacional?

Tarcízio Pimenta – Foi celebrado os 50 anos da liberdade, desenvolvida no Rio Grande do Sul, em Porto Alegre, por Brizola. Um evento muito grande, com vários Estados participando, várias lideranças políticas. Foram lembrados os ideais de Brizola, suas manifestações, o seu grito de liberdade, no Palácio, em Porto Alegre quando ele arregimentou forças para defender o país.

JGB – O senhor também ingressa na base do partido de apoio ao PT em âmbito estadual e nacional. Isso facilita o desenvolvimento de projetos para o município?

Tarcízio Pimenta – Eu acho que Feira de Santana deve merecer projetos, desenvolvimentos e deve merecer avanços, cada dia mais, independente do partido que esteja o prefeito, porque a cidade não pertence a político A, político B ou C, a cidade pertence à comunidade.

JGB – O vereador de oposição Marialvo Barreto atirou forte no ex-prefeito José Ronaldo com relação à educação. Como o senhor avalia isso? De fato o que ele colocou é verdadeiro?

Tarcízio Pimenta – Eu tenho respeitado todas as manifestações dos vereadores, principalmente os vereadores de oposição. Acho que todos tem o direito à crítica, a fazer suas manifestações com respeito e acima de tudo com dignidade, que a missão de vereador lhe permite. Então, as administrações são avaliadas, e nós vamos fazendo a nossa parte, cumprindo com a nossa missão.

JGB – Os vereadores de oposição, notadamente o vereador Roberto Tourinho, criticou a pavimentação e disse que o senhor está num processo, com a PPP, de vender o município. O que o senhor tem a declarar com relação a isso?

Tarcízio Pimenta – Então, Lula vendeu o país, Wagner está vendendo o Estado, porque está tendo uma PPP, uma PPP hoje na construção da Arena, da Fonte Nova. Tem uma PPP do submarino, então isso é vender o Estado. A PPP é o que existe de mais moderno, é o progresso e a evolução. Ninguém quer vender nada, nem comercializar. Infelizmente a mentalidade de alguns vereadores é do tipo de uma bola de gude.

JGB – E com relação à pavimentação que ele fez algumas críticas?

Tarcízio Pimenta – As pavimentações estão ai para serem analisadas. E vamos começar mais. Iremos jogar uma quantidade muito grande de asfalto em ruas que estão danificadas em bairros da cidade: 35 BI, Jomafa, Jorge Américo, Campo Limpo, Sobradinho, Fraternidade, Feira VII. Se prepare Guto, que a partir de segunda-feira será muito asfalto jogado nas ruas de Feira de Santana.

JGB – O sucesso da EXPOFEIRA 2011 trouxe um problema, a falta de espaço para exibição dos animais. Nós entrevistamos o secretário da agricultura, Eduardo Salles que diz não ter recursos para investir na melhoria do Parque de Exposições. Enquanto o Ministro de Desenvolvimento Agrário, Afonso Florense diz que ministério possui programas e recursos para a reforma de Parques. O Parque João Martins está defasado ha décadas. O senhor tem algum projeto de expansão para o parque?

Tarcízio Pimenta – Quando iniciou a minha administração faltavam animais para expor. O que chegou a nós é que os pecuaristas não queriam trazer animais para o Parque João Martins. De uma hora para a outra falta espaço para expor animais. Isto é fruto de uma PPP (Parceria Público-Privada), resultado da parceria da prefeitura com empresários do agronegócio. E ninguém paga nada para visitar o parque. O acesso da população é gratuito.

A EXPOFEIRA cresceu muito nestes últimos três anos, indo além da expectativa planejada. Estamos batendo recorde de animais, foram mais 2500 animais apresentados e 12 leilões, um número superior a FENAGRO. Tivemos recorde de público e de negócios, alcançando a cifra superior a R$ 10 milhões em negócios.

As necessidades de uso do parque de exposições foram ampliadas e precisamos planejar o investimento para a EXPOFEIRA 2012. Vamos buscar nos parceiros do agronegócio a fórmula adequada para repetir o sucesso deste ano.

Quero dizer também que a EXPOFEIRA ganhou publicidade em importantes veículos de comunicação, a exemplo da revista DBO Rural. Eu acho que estou devolvendo para a comunidade um patrimônio que é a EXPOFEIRA e estamos entregando ao público uma marca que estava desbotada.

JGB – Com a possibilidade de existir recursos no MDA (Ministério de Desenvolvimento Agrário) o senhor pretende desenvolver projetos para captar recursos?

Tarcízio Pimenta – Pretendo sim. Da próxima vez que for a Brasília marcarei uma audiência com o ministro Afonso Florense para discutir o projeto de ampliação do Parque de Exposição João Martins da Silva.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 9610 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).