O empresário Álvaro Raimundo Sampaio Filho foi assaltado na porta de sua loja na tarde desta terça-feira (20/09) na Av. Maria Quitéria

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

O empresário Álvaro Raimundo Sampaio Filho pode ter sido mais uma vítima da conhecida ”saidinha bancária” na tarde desta terça-feira (20/09/2011).

Ele contou na 2ª Delegacia de Polícia que sacou a quantia de R$ 3.650 em uma agência do banco Itaú e quando estava entrando na garagem da sua empresa J.A Veículos, localizada na avenida Maria Quitéria, foi rendido e roubado.

O empresário informou para os policiais de plantão que foi abordado por dois homens que estavam em um motocicleta e anunciaram o assalto, levando todo o dinheiro que tinha acabado de sacar, além de documentos, cartões de crédito e um aparelho celular. Da recepcionista da loja, Joane Souza da Silva, levaram a bolsa com todos os documentos.

Duas tentativas de homicídio e um acidente são registrados no Hospital Geral Clériston Andrade

Acidente

Gilson Conceição Barbosa, 39 anos, morador da rua Angelina Borges, no bairro do Aviário foi atendido na noite desta terça-feira (20/09/2011 ) na emergência do Hospital Geral Clériston Andrade (HGCA).

Segundo informações, ele trafegava com uma motocicleta pela BR-324 e nas proximidades do Clube de Campo Cajueiro, colidiu com um caminhão de dados não anotados.

Tentativa de morte

Elemilton Farias de Santana, 21 anos, morador da rua Pandália, no bairro da Queimadinha, foi vítima de um tiro no rosto. O autor do tiro não foi identificado na ocorrência policial.

Outra vítima

Eduardo de Jesus Pinheiro, 33 anos, morador do Parque Lagoa do Subaé foi atingido com um tiro na perna esquerda. Ele foi baleado quando se encontrava no bairro Aviário e o autor do disparo não foi identificado.

O lavrador, Durval da Costa Ribeiro é morto a tiros na BR-116 Norte, na noite desta terça-feira(20/09), próximo ao bairro Areal, os acusados foram presos pela Polícia Rodoviária Federal

A polícia de Santa Bárbara registrou um assassinato na noite desta terça-feira (20/09/2011) na BR-116 Norte, próximo ao bairro Areal, naquele município. Consta na ocorrência que o lavrador Durval da Costa Ribeiro, 50 anos, foi vítima de uma tentativa de assalto. A Polícia Civil local tipificou o crime como latrocínio (Roubo seguido de morte).

Ele residia na Fazenda Rogante e foi morto com vários tiros no interior do veículo Parati, prata, de placa JPA-3649. Os assassinos fugiram em outro veículo de dados ignorados.

Segundo informações, os acusados foram perseguidos por uma equipe da Polícia Rodoviária Federal (PRF) e presos em Feira de Santana próximo a um viaduto. Todos foram conduzidos até a delegacia de Santa Bárbara.

Foram presos Leandro de Almeida Viana, 20 anos, Rainê Assis de Jesus, 20, Israel dos Santos Oliveira, 19, e André Carlos da Silva Cerqueira, 20. Uma quinta pessoa teria fugido após trocar tiros com os policiais.

A facção Primeiro Comando da Capital (PCC) inspirou na criação do: Primeiro Comando do Interior (PCI) em Cachoeira

A inspiração do cachoeirano Edmilson Bispo dos Santos Júnior para criar a facção Primeiro Comando do Interior (PCI) está bem longe das terras margeadas pelo Rio Paraguaçu, onde em 1822 Dom Pedro I, foi proclamado Príncipe Regente do Brasil. Acusado de ser o maior traficante em atuação na região, Júnior buscou as referências do seu grupo criminoso no Primeiro Comando da Capital (PCC), facção criminosa paulista criada na década de 1990 no Centro de Reabilitação Penitenciária de Taubaté, em São Paulo.

Liderado por Marcos Willians Herbas Camacho, o Marcola, que cumpre sentença de 44 anos, principalmente por assalto a bancos, no presídio de segurança máxima de Presidente Venceslau II, a facção criminosa PCC tinha a pretensão de combater a opressão dentro do sistema prisional paulista, mas acabou se tornando o maior distribuidor de drogas do país. Mas, de acordo com a avaliação de policiais, Júnior não tem o mesmo lastro que o PCC teve para se firmar. “São realidades diferentes. O PCI não tem lastro político. O problema é que no plano local ele está aterrorizando a região de Cachoeira”, destacou o delegado titular da cidade, Laurindo Neto, a população se cala.

“Precisamos do apoio da comunidade para prender Júnior”. Esta é a avaliação da subcomandante do pelotão da Polícia Militar de Cachoeira, sargento Genilsa Silva. Ela destaca que o traficante conta com o apoio da comunidade, seja por conveniência, seja por medo.

“As pessoas precisam denunciar onde ele está para que nós possamos prender ele. Muitas vezes, recebemos pistas falsas. Isso acontece por medo e também com a conivência com o traficante”, diz. A sargento destaca ainda que a geografia da histórica cidade, cheia de morros e ladeiras, conta a favor de Júnior. “Ele nasceu em Cachoeira e conhece todos os becos”. O pelotão de Cachoeira conta com cerca de 30 policiais vinculados à 27ª Companhia Independente da Policia Militar, sediada em Cruz das Almas. A PM atua em ações conjuntas com a Polícia Civil na caçada contra Júnior. Para cumprir sua missão criminosa, Júnior conta com alguns apoios: a geografia de Cachoeira, o silêncio dos moradores e a proteção de comparsas adolescentes.

“Recentemente, a polícia apreendeu menores de idade que traziam de Feira de Santana três escopetas para Júnior. Ele usa menores para facilitar as fugas e não ter complicações para ele”, contou o delegado Laurindo Neto. Moradores do bairro Viradouro, onde Júnior tem forte influência, tremem só de ouvir o nome do traficante. “Ele vive por aí. Pede a gente para guardar coisa aqui, mas se eu falar qualquer coisa, morro”, contou uma dona de casa que, ao ser informada do teor da reportagem, saiu correndo para dentro de casa. Comportamento seguido pelos outros moradores que se aglomeraram no entorno do carro do CORREIO.

O delegado, Matheus Souza, divulga laudo sobre incêndio que destruiu o Atacadão São Roque

No mês de julho passado um incêndio destruiu completamente o prédio do Atacadão São Roque na avenida Eduardo Fróes da Mota. Na manhã desta terça-feira (20/09/2011) o delegado Matheus Souza, titular da 1ª Delegacia informou para o repórter Denivaldo Costa sobre a conclusão do laudo técnico expedido pelo Departamento de Polícia Técnica (DPT) de Feira de Santana.

O delegado revelou que a causa do incêndio se deu por falha humana, porém de forma acidental e foi provocada por trabalhadores que realizavam o serviço de instalação de uma manta asfáltica no interior do estabelecimento comercial.
A perícia apurou que os trabalhadores estariam utilizando maçaricos e outros objetos que provocaram faíscas, atingindo produtos inflamáveis e consequentemente provocando o incêndio.“ O papel da polícia foi feito e o dono da empresa pode pedir o ressarcimento através de uma ação cível contra a empresa responsável pelo serviço “, declarou Matheus Souza.

“O proprietário da empresa responsável pelo serviço e os operários serão ouvidos, com a finalidade de identificar os culpados nesta delegacia. Quero também informar que todos os envolvidos serão indiciados, mas só a justiça é que deve aplicar a penalidade”, concluiu o delegado.

*Com informações do Blog Central de Polícia

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 114900 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.