Jornal Folha de São Paulo compara: com a criação do PSD, Jaques Wagner obtém uma tropa de choque maior do que Antônio Carlos Magalhães

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Oposição fala em compara de apoio através de cargos políticos e obras.

O vice-governador Otto Alencar é o principal articulista, fundador e presidente do recém-criado PSD na Bahia. Para esta tarefa contou com o apoio do petista governador da Bahia Jaques Wagner . Que colhe os frutos desta farra de traições e desrespeito a lei de fidelidade partidária. Com o aval do governador, Otto negociou pessoalmente a adesão de oposicionistas à base. Ao mesmo tempo em que passou a comandar a Secretaria de Infraestrutura do Estado (SEINFRA), com orçamento de R$ 600 milhões para estradas.

A fidelidade partidária é fundamental para um processo democrático onde o povo influência nas decisões dos governantes através da participação nas reuniões do partido. Com a fidelidade, os mandatos tornam-se partidários e não personalistas, como tem sido na atual conjuntura.

O resultado concreto da criação do PSD, em âmbito estadual, é a formação hegemônica na Assembleia Legislativa, da maior bancada governista da história. Maior inclusive da que apoiou, no auge de seu poder, o falecido ex-governador e senador de Antônio Carlos Magalhães (1927-2007) quando governou a Bahia nos anos 90.

O PSD nasce na Bahia com cinco deputados federais e como a segunda maior bancada da Assembleia, são 11 deputados, atrás somente do PT. Com a migração dos oposicionistas para a base, Wagner terá a seu lado 49 dos 63 deputados estaduais. O deputado feirense, José Cerqueira de Santana Neto ( Zé Neto – PT), na condição de líder do governo e da maioria é quem vai comandar o rolo compressor nas votações da ALBA. Ganhando um incrível poder de articulação e força política junto ao Governo do Estado.

Neoaliados em cargos

Os recentes aliados do governo Wagner indicaram afilhados políticos em autarquias do interior e receberam promessas de obras em suas bases eleitorais. Dos 11 deputados estaduais do PSD, 10 são pré-candidatos ou têm filhos que devem disputar prefeituras em 2012. Apurou a reportagem da Folha.com.

Otto Alencar nega que tenha cooptado políticos para o PSD em troca de cargos. Segundo ele, as adesões foram “naturais” porque eles fizeram campanha para Wagner, à revelia das coligações de seus partidos, ou se aproximaram do governo este ano.

“Quase todos esses deputados já tinham uma longa história política comigo. Não teve a distribuição de um cargo, não me pediram absolutamente nada que não seja obras dentro do programa de investimentos do governo.”

PMDB e Democratas criticam

A erosão da oposição atinge principalmente o partido Democrata que tem à frente José Carlos Aleluia como presidente, e o deputado federal ACM Neto na condição de líder. Outro a sofrer baixas entre seus filiados foi o PMDB do ex-ministro Geddel Vieira Lima. Os dois partidos elegeram, juntos, 11 deputados, mas ficarão com apenas seis após a debandada em direção ao PSD.

Geddel aumentou o tom da crítica e declarou “É a velha chantagem que, na Bahia, o PT está usando. É como se o governo fosse retaliar quem não estiver junto. Estão migrando em troca de benesses”.

Para citar um exemplo pragmático do que declara Geddel, o prefeito de São Gonçalo dos Campos, Antônio Dessa (Furão), deixou o PMDB e ingressa no PSD. Com a mudança partidária conseguiu a promessa de Otto Alencar de que a SEINFRA vai recuperar os quatro quilômetros da Avenida José Carlos de Lacerda, que liga a sede do município a rodovia estadual, sendo o principal acesso da cidade.

História

Quando governador (1991-1994), ACM chegou a contar com uma base de 44 deputados, mas o apogeu de seu grupo político ocorreu na eleição de 1998, quando César Borges (então PFL) foi eleito governador junto com uma bancada de 47 aliados.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]