Exclusiva: Deputado Zé Neto e ministro Afonso Florence comentam sobre investimentos federais na Bahia

Eduardo Salles, José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto) e Afonso Bandeira Florence (Afonso Florence).
Eduardo Salles, José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto) e Afonso Bandeira Florence (Afonso Florence).
Afonso Florence e Zé Neto. JGB entrevista o líder do governo na ALBA e o ministro do Desenvolvimento Agrário sobre investimentos federais na Bahia.
Afonso Florence e Zé Neto. JGB entrevista o líder do governo na ALBA e o ministro do Desenvolvimento Agrário sobre investimentos federais na Bahia.

Na última sexta-feira (09/09/2011), esteve visitando o município de Feira de Santana o deputado federal petista licenciado e atual ministro do Desenvolvimento Agrário, Afonso Florence, que concedeu entrevista ao Jornal Grande Bahia sobre as políticas do ministério e investimentos no agronegócio feirense. Acompanhava o ministro, o deputado estadual e líder do governo na ALBA, José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto).

Zé Neto também foi entrevistado e explica os investimentos que pleiteia junto ao ministério para Feira de Santana, com objetivo de construir o laboratório de biotecnologia, mercado de negociação da agricultura familiar e silo para estoque de grãos.

Jornal Grande Bahia – Deputado José Neto, quais os resultados da visita do ministro Afonso Florence, que tem uma ligação histórica com o senhor, que o apoiou para deputado federal, e hoje, Afonso Florence é ministro do MDA. Um dos ministérios com maior orçamento da Esplanada?

Zé Neto – Ele veio e anunciou a construção do laboratório de biotecnologia. Com objetivo de produzir mudas de palma e de sisal, principalmente de palma, para alimentação de gado. Vamos doar 500 mudas por hectares [cada hectare equivale a 10 mil metros quadrados], serão mudas de última geração, com toda tecnologia que tem de modernização, para alimentação do gado durante a seca, e também para manutenção do gado e do leite, e isso será importante para toda região, para dar um fortalecimento muito grande em tecnologia e energia para esse gado.

Iremos construir aqui em Feira de Santana o mercado de negociação da agricultura familiar, onde hoje está a EBDA e um grande silo para reserva de grãos, para que a agricultura familiar tenha a opção do armazenamento. Nós identificamos que durante o período em que eles têm força de produção não tem local adequado para estocagem.

JGB – Essas ações serão implementadas num curso de que tempo?

Zé Neto – O mais imediatamente possível. Foram liberados R$ 1 milhão para a construção do laboratório, e os outros recursos serão liberados à medida que os projetos forem apresentados ao ministério.

JGB – O senhor estima em quantos milhões de reais os investimentos do Ministério do Desenvolvimento Agrário?

Zé Neto – Eu acho que pouco mais de R$ 5 milhões.

Em entrevista Afonso Florence comenta sobre a política do governo Dilma Rousseff para a agricultura familiar, recursos para reforma e ampliação de parques de exposições, investimentos federais através do MDA para Feira de Santana e outras regiões da Bahia.

Jornal Grande Bahia – Ministro qual o motivo da sua visita ao município de Feira de Santana?

Afonso Florence – Visito em conjunto com a administração municipal, com o secretário Eduardo Salles, com o deputado Zé Neto e Eliana Boaventura, para averiguarmos a presença da agricultura familiar na EXPOFEIRA, buscando fechar compromissos e acompanhar os negócios, para continuarmos com o apoio do governo da presidenta Dilma Rousseff e a parceria do governador Jaques Wagner, com objetivo de expandir o crédito da agricultura, a assistência técnica e comercialização da produção, porque ganha a agricultura familiar e ganha todo o povo da Bahia e do Brasil.

JGB – Diversos parques de exposição na Bahia necessitam de reformas e ampliações, devido ao crescimento do agronegócio. O seu ministério tem algum programa específico para o desenvolvimento e aprimoramento desses parques?

Afonso Florence – Com certeza! O ministério tem programas tanto para parques de exposição, feiras agropecuárias, mas principalmente para produção, industrialização e comercialização da agricultura familiar.

Nós somos um ministério que atende agriculturas familiares com técnica, assistência técnica, industrialização da produção. 70% dos alimentos que vão para as mesas dos brasileiros é produzido pela agricultura familiar. O parque de exposição tem uma gestão que varia de local para local, de região para região. Nós temos interesse de apoiar, para que a produção bem sucedida da agricultura familiar, bem arranjada dentro do parque nas feiras, possa ofertar produtos de qualidade alta e baixo preço para os consumidores.

JGB – O deputado Zé Neto em entrevista nos falou de três importantes projetos que estão com o seu ministério. O senhor poderia nos falar um pouco, quando especificamente esses projetos poderão estar em funcionamento em Feira de Santana?

Afonso Florence – Nós temos muitos projetos importantes que estão em Feira de Santana. Aqui agora na EXPOFEIRA foram apresentados os projetos do laboratório, o centro de abastecimento de comercialização da agricultura familiar, o reservatório e a biofábrica, esses três estão em tramitação, e muito brevemente nós teremos providencias resolutivas.

Discutimos também aqui com o secretário Eduardo Salles, com o deputado Zé Neto, com o secretário municipal da agricultura, e com a dirigente regional da EBDA, a implantação de centros de armazenamento de grãos, aqui na região, mais particularmente em Feira de Santana.

Além disso, nós estamos com o programa de apoio ao Território Portal do Sertão, estamos com o Brasil sem Miséria e Plano Safra. Estamos implantando em parceria com o Governo do Estado o sistema único de assistência à sanidade animal. Para que os produtores que produzem queijo e leite, possam, aderindo ao sistema estadual, comercializar nacionalmente. Então, temos importantes programas em andamento na região.

JGB – Desde o governo Lula existe uma política em Brasília focada no desenvolvimento da agricultura familiar. Na sua administração o que efetivamente foi implantado na Bahia?

Afonso Florence – Nós avançamos nesses oito meses em muitos pontos, por exemplo, destinamos para a Bahia R$ 16 bilhões com juros mais baixos do que no ano de 2010. Todos os juros de investimentos acima de R$ 10 mil agora se restringem a 2%, antes eram 4, 5% de juros.

Destinamos em parceria com a EBDA, a primeira parcela R$ 12 milhões para a assistência técnica. Fizemos uma chamada pública recentemente e segunda-feira (12/09/2011) começa o treinamento para oBrasil sem Miséria no Rural, para atender aproximadamente 10 mil pessoas na Bahia, com recursos da ordem de mais R$ 10 milhões.

Temos também uma série de investimentos em territórios da cidadania. Alocamos através dos territórios da cidadania na Bahia, as unidades, inclusive aqui para Feira de Santana, um dos critérios foi o território da cidadania, o campus da UFRB aqui em Feira de Santana, mais as escolas técnicas federais, IFBA, pela Bahia toda. Foi um resultado do trabalho dos territórios da cidadania do MDA.

Então, para nossa felicidade, por decisão da presidenta Dilma, na parceria com o governador Jaques Wagner nós temos resultados muito expressivos do trabalho do MDA nesse ano de 2011 aqui na Bahia.

José Cerqueira Neto (Zé Neto): a construção do laboratório de biotecnologia objetiva produzir mudas de palma e de sisal.
José Cerqueira Neto (Zé Neto): a construção do laboratório de biotecnologia objetiva produzir mudas de palma e de sisal.
Afonso Florence: nós estamos com o programa de apoio ao Território Portal do Sertão, estamos com o Brasil sem Miséria e Plano Safra.
Afonso Florence: nós estamos com o programa de apoio ao Território Portal do Sertão, estamos com o Brasil sem Miséria e Plano Safra.
Eduardo Salles, José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto) e Afonso Bandeira Florence (Afonso Florence).
Eduardo Salles, José Cerqueira de Santana Neto (Zé Neto) e Afonso Bandeira Florence (Afonso Florence).
Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9140 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).