Criação de galinha caipira aumenta a renda dos agricultores familiares

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Incentivar a criação de galinha caipira de forma planejada e monitorada, visando a qualidade alimentar e o aumento da renda dos agricultores familiares é uma das linhas de trabalho da equipe de Assistência Técnica e Extensão Rural (Ater), do escritório de Valença da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), vinculada à Secretaria da Agricultura, Irrigação e Reforma Agrária (Seagri).

Instalação de aviário, cuidados com os pintos, vacinação, alimentação, higienização, entre outras técnicas de manejo, são demonstradas na prática para os agricultores familiares que criam galinha caipira. Com essa ação, a equipe visa elevar os índices de fertilidade e produtividade das aves, gerando maior rentabilidade para as famílias.

Nos meses de maio e junho deste ano também foram ministrados, em algumas comunidades do município de Valença, cursos sobre a criação de galinha caipira, com a finalidade de orientar os agricultores a planejarem e administrarem a produção de galinhas em suas propriedades. Sistemas de criação, manejo de poedeiras, seleção das matrizes e lucratividade, foram alguns dos temas abordados nestes cursos, ministrados pela médica veterinária da EBDA, Maiana Machado.

“A população tem procurado uma alimentação mais natural e saudável, proveniente de produtos livres de agrotóxicos e hormônios. Diante desta nova opção de mercado, estamos estimulando os agricultores a trabalharem com mais essa atividade, que não causa dano à saúde da população, contribuindo, assim, para uma melhor qualidade de vida”, salienta a veterinária.

O sistema de criação de galinha caipira é simples e não exige altos custos. Para instalação do aviário é possível utilizar recursos disponíveis, em muitos casos, na própria propriedade, como: bambu, madeira e palhagem. Outro item importante e de fácil preparação é a ração oferecida às aves, que pode ser feita com restos de frutas, verduras, algumas raízes e folhagens, também encontradas na unidade familiar. Outro item a ser considerado é o sistema de criação, que tem seu período de reprodução estabelecido em quatro meses.

A comercialização dessas aves tem dado excelentes resultados aos produtores. O agricultor familiar que possui uma Declaração de Aptidão ao Pronaf (DAP) já pode vender as galinhas para as prefeituras municipais, através do Programa Nacional da Alimentação Escolar (Pnae), cuja finalidade é inserir 30% de alimentos da agricultura familiar na merenda escolar. Hoje, uma galinha caipira é vendida para ao Pnae por R$ 13,00 o quilo, garantindo um aumento significativo na renda das famílias. Outra forma de comercialização é a venda direta ao consumidor, o que pode ser feita em feiras livres.

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108645 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]