Carlos Brasileiro, Secretário Estadual em visita a Feira de Santana declara: A pobreza não se resume somente a falta de alimento

Feira de Santana recebeu, nesta quinta-feira (25), a visita do titular da Secretaria Estadual de Desenvolvimento Social e Combate à Pobreza (Sedes), Carlos Brasileiro. A convite do deputado estadual e líder do Governo, Zé Neto (PT), o Secretário esteve na Fundação de Apoio ao Menor de Feira de Santana (FAMFS), que há mais de 20 anos tem trabalhado pela inclusão social de crianças e adolescentes.

Acompanhados pelo presidente da Fundação, Antonio Lopes, o deputado e o secretário visitaram a Fazenda do Menor, no bairro Aviário, onde funciona a sede do projeto social e onde são atendidas 900 meninas e meninos em escolas de tempo integral.

Ao percorrer a área de 700 mil m² composta por um complexo poliesportivo e educacional e um condomínio residencial, que integram as 13 bases operacionais da fundação, o secretário disse que o trabalho realizado pela FAMFS “é de extrema importância para o envolvimento das comunidades além de subsidiar a geração de renda”.

Para Zé Neto – que tem ajudado no diálogo entre a FAMFS e o Governo do Estado pela retomada de parceria [confira aqui] -, a Fundação é um instrumento de interação de valores e cidadania. “É dando alternativas para os nossos jovens que temos condições de enfrentar a violência a partir da ampliação de perspectivas”, ressalta o deputado ao lembrar que “não se deve esperar que aqueles que passam por necessidade batam à porta e, sim, que o Estado deve ir a essas pessoas, dando-lhes alternativas”. E é o que vem sendo feito pelo Governo Wagner.

FAMFS – A Fundação de Apoio ao Menor de Feira de Santana – que além da Fazenda do Menor é composta pelas Escolas Juíza Lourdes Trindade e Juiz Walter Ribeiro Costa Junior, a Escola de Formação de Atletas ADC Astro e a Fábrica de Piso Sintético – tem como objetivo fazer a integração social e familiar de crianças e adolescentes. , a FAMFS atende a 800 meninas e meninos em escolas de tempo integral. As atividades são divididas em escola e esporte, em turnos opostos.

A Fundação realiza, atualmente, um projeto de coral, grupo de fanfarra e o “Pintando a Liberdade/Cidadania”, que aos longos dos 10 anos, gerou mais de seis mil empregos para pessoas das comunidades carentes, fabricando mais de um milhão e quinhentos mil itens de materiais esportivos como bolas, redes, camisetas, shorts, agasalhos, moletons, bolsas e bonés, distribuídos para todo o Brasil e mais 105 países do mundo inteiro pelo Ministério do Esporte. Além da fabricação de materiais esportivos e formação de atletas, a FAMFS tem disponibilizado, também, um projeto de extensão e especialização em marketing esportivo em parceria com a Universidade de Brasília (UNB).

A entidade é dirigida atualmente pelo professor Antonio Lopes, sob a coordenação do Juizado e Promotoria da Infância e Juventude.

Governo trabalha pela diminuição das desigualdades sociais – Ao falar sobre as ações da FAMPS em prol de jovens em situação de risco social, Brasileiro lembrou que os Governos Federal e Estadual iniciaram, a partir do ex-presidente Lula e do governador Jaques Wagner, uma verdadeira revolução no Brasil e na Bahia, retirando milhares de brasileiros da extrema linha de pobreza através de programas como o “Bolsa Família”, o “Minha Casa Minha Vida”, o “Luz Para Todos”, o “Programa de Erradicação do Trabalho Infantil (PETI)”, o “Água Para Todos” e a política de interiorização, por exemplo.

O secretário aproveitou também para frisar que, dos municípios baianos, Feira de Santana foi o que mais recebeu investimentos da União e do Estado, desde a área de habitação até a distribuição de água.

Ele informa que Feira de Santana foi inserida no programa inclusão produtiva “Vida Melhor”, vai beneficiar, até 2015, cerca de 120 mil famílias em situação de pobreza da área urbana e 280 mil do meio rural da Bahia.

“A pobreza não se resume somente a falta de alimento. Existe uma série de serviços e direitos do cidadão que tem que ser atendidos e compõem o sinônimo de pobreza e temos que trabalhar nesta direção. Nos envergonha que a Bahia tenha 2,4 milhões e 400 mil baianos na extrema pobreza mas isso foi um estado de exclusão que o próprio estado construiu nas últimas décadas e tem melhorado no governo Wagner. Temos corrigido o rumo desta história. Foi tirado do cidadão o direito de plantar porque não tinha terra, de ter emprego porque emprego era reduzido, foi impedido de ter educação de qualidade e isso tem mudado no governo Wagner”, pontua Carlos Brasileiro.

Presentes – Além do deputado Zé Neto (PT), do secretário Carlos Brasileiro, e do presidente da FAMFS, Antonio Lopes; também participaram da visita às instalações da FAMFS o diretor da Casa de Atendimento Socioeducativo (CASE) Juiz de Melo Matos, Pablo Roberto; o coordenador da Agência Estadual de Defesa Agropecuária da Bahia (ADAB) em Feira de Santana, Aurino Soares; o representante da Empresa Baiana de Desenvolvimento Agrícola (EBDA), Rui Caldas; o prefeito de Amélia Rodrigues, Antonio Carlos Cardoso, mais conhecido como Toinho do PT; e a responsável pela comunicação da Fundação Odebrech, Vivian Barbosa.

Compartilhe e Comente

Publicidade

Publicidade

Publicidade



Publicidade

Facebook do JGB

+ Publicações >>>>>>>>>

Sobre o autor

Redação
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]