Bancada oposicionista realiza manifestação na ALBA e os deputados Targino Machado, Carlos Geilson e Graça Pimenta reforçam críticas

Deputados Targino Machado, Carlos Geilson e Graça Pimenta reforçam críticas às mudanças no PLANSERV.
Deputados Targino Machado, Carlos Geilson e Graça Pimenta reforçam críticas às mudanças no PLANSERV.
Deputados Targino Machado, Carlos Geilson e Graça Pimenta reforçam críticas às mudanças no PLANSERV.
Deputados Targino Machado, Carlos Geilson e Graça Pimenta reforçam críticas às mudanças no PLANSERV.

Os deputados que fazem oposição ao governo do estado fizeram uma manifestação nesta terça-feira (23/08/2011) no plenário da Assembleia Legislativa (AL) contra o projeto de lei que prevê mudanças no Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv). O projeto é de autoria do governo estadual e afeta o acesso dos servidores à saúde.

Conforme a deputada estadual Graça Pimenta (PR) o projeto prejudica os trabalhadores. “Por conta da falta de um sistema de saúde pública eficiente, os servidores têm que recorrer ao Planserv. Esse projeto tem como objetivo limitar o acesso daqueles que pagam o plano para ter um melhor serviço. Isto é um absurdo”, diz.

Targino Machado volta a criticar o governo por mudanças no Planserv

O deputado estadual Targino Machado, líder do bloco parlamentar PSC/PTN na Assembleia Legislativa da Bahia, voltou a criticar nesta tarde de terça-feira o projeto de lei do governo estadual que tem como objetivo realizar mudanças no Planserv, assistência à saúde dos servidores públicos estaduais.

Em um plenário lotado por servidores protestando, o parlamentar discordou da justificativa do governador Jaques Wagner, afirmou ter tomado a atitude por uso indevido do plano por parte de alguns beneficiados. “Eu não acredito nessa história do governo, que vincula através da imprensa que os funcionários estão abusando do Planserv. Isso porque, todos nós sabemos das dificuldades que se tem para marcar uma consulta com um cardiologista, por exemplo, que demora 30 dias. No meu entender, a corrupção existe nas diversas secretarias do governo e até na cozinha do Palácio”, afirmou.

Para Targino, o governo deveria adotar uma postura de fiscalização nesse sentido. “O que deve ser feito no Planserv, se estiver ocorrendo essa corrupção que o governo fala, o que eu não acredito, é uma fiscalização maior, com médicos coordenando, além das necessárias auditorias, como se faz em outros planos de saúde, como o Bradesco Saúde e o Sul-América. O problema é que o governo quer o mais fácil, punindo assim o funcionário público, que conquistou isso através de muita luta”, finalizou.

Bloco Independente votará contra limitação de consultas no Planserv, garante Carlos Geilson

O deputado estadual Carlos Geilson (PTN) afirmou hoje, no plenário da Assembleia Legislativa, que o Bloco Independente votará contra as mudanças impostas pelo governo Jaques Wagner ao Sistema de Assistência à Saúde dos Servidores Públicos Estaduais (Planserv). “Vamos lutar até a última gota de suor contra esse arroxo aos servidores públicos estaduais, promovido pelo governo Jaques Wagner. Vamos dar ‘sim’ a vida, e ‘não’ a limitação da vida”, enfatizou Carlos Geilson.

O deputado se uniu aos demais deputados independentes e a bancada de Oposição na tentativa de impedir que a sessão de hoje fosse derrubada pelos governistas a fim de promover o debate sobre o projeto de Lei 19394/2011. “Não podemos aceitar que o governo queira calar a voz das Oposições e impedir que os deputados se manifestem contrariamente ao projeto e que os servidores públicos representados no Plenário assistam a quebra de compromisso do Estado com a categoria”, completou o deputado.

Carlos Geilson lembrou que os servidores foram os principais elementos na campanha de Jaques Wagner e que representou a derrota dos grupos que estavam no poder até então. “O atual governador apresentou os contra-cheques dos servidores dizendo que ia mudar essa situação. Mas hoje arroxa os servidores e dá um golpe naqueles que foram os artífices da reeleição do governador. Mas estaremos aqui, defendendo aqueles que hoje não tem voz no Estado”, defendeu Carlos Geilson.

Carlos Geilson lembrou que a Bahia vai na contramão do restante do país. “Enquanto Pernambuco cresce, a Bahia perde a liderança regional. No plano de Saúde estadual de Pernambuco, os servidores tem acesso a quatro consultas mensais. Na Bahia, o governo quer seis consultas por ano. A Bahia cresce igual a rabo de cavalo: cresce para baixo, em números negativos”, enfatizou.

O parlamentar lembrou que apresentou emendas ao projeto de lei do Planserv. O deputado destacou que as mudanças para assegurar o atendimento médico aos servidores é essencial, mas não nos moldes propostos pelo governo Jaques Wagner. “Precisamos assegurar aos servidores públicos estaduais, um número mínimo de consultas, procedimentos e exames, uma vez que o atendimento diferenciado, prestado pelo Planserv não é um luxo, mas uma necessidade, uma vez que a rede pública, hoje sucateada e obsoleta, não tem condições de absorver mais essa demanda. Iríamos gerar um novo problema à rede pública”, observou o deputado.

Entre as emendas apresentadas, o deputado quer mudar a limitação de acesso as urgências e emergências restrita pelo governo a cinco consultas por ano. Carlos Geilson propõe que esse tipo de atendimento não tenha limites. “Como é que pode se mensurar quando uma pessoa vai ter necessidade de atendimento de urgência ou emergência em um ano? Em caso de ocorrer uma urgência e o paciente já tiver feito as cinco consultas, ele vai morrer por falta de atendimento? E o Estado vai se responsabilizar por isso?”, enfatizou o parlamentar.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 120852 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.