Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana

Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.

Os debates sobre a equivocada política de desenvolvimento industrial do estado da Bahia se iniciaram quando o Jornal Grande Bahia, em fevereiro deste ano (2011), publicou matéria com título ‘Inapetência e inação marcam a gestão de James Correia na Secretaria da Indústria, levando Feira a perder empregos, tributos e desenvolvimento’. Durante a tarde de ontem (12/07/2011), na sede da Secretaria da Indústria Comércio e Mineração, após duas horas de discussões, foram abstraídas importante resoluções para a retomada da expansão industrial de Feira de Santana.

Dentre as resoluções tomadas, fica estabelecido que o DERBA inicia imediatamente os serviços de manutenção das vias do CIS e que a Prefeitura de Feira é responsável pela iluminação, limpeza e coleta de lixo. Após contatar o vice-governador e secretário de infraestrutura, Otto Alencar, Zé Neto viabilizou investimentos necessários à implantação das indústrias que apresentaram e preencheram os requisitos necessários para ocupação de áreas sob influência do CIS (Centro Industrial do Subaé). Os serviços de infraestrutura serão iniciados em agosto.

Também ficou definida criação de Grupo de Trabalho (GT) formado por diversos segmentos sociais, com objetivo de iniciar e apresentar os resultados sobre a melhor localização para expansão industrial de Feira de Santana. Através da construção de novo núcleo industrial, denominado CIS/NORTE  (situada na BR-116/Norte , a partir da UEFS sentido Tanquinho), ou com a retomada das cotas ao longo da BR 324 (Feira-Salvador-Feira).

O grupo deve apresentar dentro de 20 dias estudo preliminar sobre a melhor localização. Conta a favor da BR 116 Norte a questão dos ventos, que sopram para fora de Feira de Santana, evitando que caso haja algum tipo de vazamento industrial, toda a população seja afetada.

Definida a área, o governo do estado vai apresentar um estudo detalhado sobre as ações necessárias para implantação da expansão industrial, dotando a área de infraestrutura (pavimentação, energia, água e gás). Compete à prefeitura elaborar e apresentar na Câmara de Vereadores, lei que regulamente a área para fins industriais.

O grupo de trabalho é composto por: José Mercês Neto, diretor do CIS; André Régis, presidente do Centro das Industrias de Feira de Santana (CIFS); Alfredo Falcão, presidente da Câmara dos Dirigentes Lojistas (CDL); Luiz Gonzaga, representante da Secretaria Estadual de Industria e Comércio; Carlos Brito, secretário municipal de Planejamento; Magno Felzemburg, secretário municipal de Turismo e Desenvolvimento Econômico; e Marialvo Barreto, representando a Câmara Municipal.

Sobre a reunião

O líder do Governo na Assembleia, Zé Neto (PT), foi o responsável pela convocação da reunião, na sede da Secretaria da Indústria (Salvador), com objetivo de debater ações conjuntas para enfrentar as dificuldades apresentadas no Centro Industrial Subaé (CIS) de Feira de Santana.

Após 22 minutos de uma exaustiva e pouco conclusiva explicação, o Secretaria da Indústria, Comércio e Mineração (SICM), James Correia, passou a palavra ao prefeito de Feira de Santana. Enquanto Tarcízio Pimenta falava, o secretário lia um texto jornalístico produzido pela Bahiagás. O que transpareceu a pouca educação e atenção do secretário.

Tarcízio foi elegante e firme, ponderou que manutenção das áreas do CIS sempre foram de competência do governo do estado e que repentinamente passaram a transferir a responsabilidade para o governo municipal. “Trabalhamos com planejamento e orçamento, como vocês transferem responsabilidades e não avisam, não combinam com a nossa administração? Estamos dispostos a colaborar. Mas, o governo deve fazer a sua parte”.

Criticas e tensão

Desconfortável foi o momento em que Ângelo Almeida, provocando Tarcízio, balançou um envelope e disse que “o prefeito ia à imprensa criticar o governo”. Tarcízio não esperou e respondeu: “sou vítima dos ataques”, pegou outro envelope sacudiu e continuou, “se quiser, mostro as inúmeras matérias em que sou vitima dos ataques”. O clima azedou, alguns pediram tranquilidade. Olhares e comentários de desaprovação com relação à conduta de Ângelo foram perceptíveis.

Tomando a palavra, Wagner Gonçalves, secretário de finanças de Feira, foi mordaz. Dirigindo a James alfinetou: “com tantas pessoas de Feira, teria sido mais fácil o secretário dirigir-se ao município.”.

Outro a criticar duramente James foi Magno Felzemburg (secretário municipal de desenvolvimento econômico), taxativamente disse que empresários que visitavam Feira e querem adquirir áreas com recursos próprios, para implantação de industrias, eram desestimulados e orientados a realizarem investimentos em outros municípios.

A deputada Graça Pimenta ponderou que o município perde investimentos por falta de planejamento do Governo do Estado. O deputado José de Arimatéia questionou James sobre o porquê de não apresentar às empresas a possiblidade de investir nos distritos industriais da Bahia, ao invés de direcionarem para a região metropolitana.

O ex-diretor do CIS e empresário de profunda visão social, Alfredo Falcão, criticou duramente a gestão de James ao afirmar: “as vias do CIS estão completamente abandonadas. O centro industrial encontra-se abandonado”.

Zé Neto, Tarcízio Pimenta e Mercês Neto

A reunião por pouco não foi um fiasco completo. Despreparado e sem estudos técnicos, dados consolidados, informações precisas e política industrial adequada, James Correia está completamente perdido à frente da secretaria.

Mas, o que definiu positivamente a reunião foi à capacidade de ação do deputado Zé Neto, que mantendo contato com Otto Alencar, DERBA, COELBA, BAHIAGAS e EMBASA buscou prover um planejamento mínimo e ações imediatas para o Centro Industrial.

Outro a definir positivamente a reunião foi o prefeito Tarcízio Pimenta, que se mostrou aberto ao diálogo e pronto a agir dentro das possibilidades do município. José Mercês Neto, diretor do CIS, também demonstrou capacidade técnica para conduzir o órgão. Uma vez que explicitou as possibilidades concretas de expansão do Centro Industrial.

Quem participou

Além do proponente da reunião, deputado estadual Zé Neto (PT), do titular da SICM, James Correia, e do prefeito de Feira de Santana, Tarcízio Pimenta, a reunião contou com as presenças do diretor do Centro Industrial do Subaé (CIS), José Mercês Neto; do presidente da Câmara de Dirigentes Lojistas de Feira de Santana (CDL), Alfredo Falcão; do presidente do Centro das Indústrias de Feira de Santana (CIFS), André Régis; secretários municipais Magno Felzemburgh (Turismo e Desenvolvimento Econômico), Carlos Brito (Planejamento) e Wagner Gonçalves (Fazenda); dos deputados estaduais Graça Pimenta e José de Arimatéia; do diretor da Bahia Gás, Davison Magalhães, além dos vereadores Antônio Francisco Neto (presidente da Câmara Municipal) Marialvo Barreto e Ângelo Almeida.

Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
James Correia conversa ao telefone e lê, enquanto membros da mesa expõem ideias.
James Correia conversa ao telefone e lê, enquanto membros da mesa expõem ideias.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Reunião na secretária estadual de indústria e comércio resulta em investimentos e retomada da política industrial para Feira de Santana.
Sobre Carlos Augusto 9451 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).