Exclusiva: Deputado Bira Corôa comenta convite dos Democratas e confirma tensionamento entre lideranças petistas de Camaçari

Bira Corôa: E o que nos estamos disputando é justamente isso, é o direito democrático da base da militância, definir pela sua indicação para disputa eleitoral em 2012.
Bira Corôa: E o que nos estamos disputando é justamente isso, é o direito democrático da base da militância, definir pela sua indicação para disputa eleitoral em 2012.

O deputado estadual Bira Corôa (PT-BA), em entrevista exclusiva a Carlos Augusto, diretor do Jornal Grande Bahia, confirma que existe forte tensionamento entre ele e o prefeito de Camaçari, Luiz Caetano, e afirma:

“Agora o que pesa, e para mim é cômodo dizer isso, porque estou numa situação favorável, o que pesa na realidade é a posição da sociedade. Hoje, em todas as pesquisas, todas as consultas no município de Camaçari, o nosso nome desponta com uma distancia muito grande em relação ao nosso companheiro que também está colocando o nome à disposição.”

Jornal Grande Bahia – Deputado Bira Coroa, recentemente o Democratas, emitiu uma nota lhe convidando a fazer parte do partido em Camaçari. Como o senhor avalia esse convite?

Bira Corôa – Primeiro que quero agradecer ao Democratas, e aos partidos que fazem oposição em Camaçari, não apenas pelo convite, mas pelo reconhecimento de que o nosso nome, é o melhor nome para associação do município de Camaçari, na continuidade do programa e do projeto encaminha por Caetano, e com a capacidade de desenvolver e avançar.

Agora, eu quero dizer que o convite dos Democratas, o convite em si não passou de uma provocação, por si só. Porque na realidade temos como base a ideologia e a estrutura do PT. Eu sou fundador do Partido dos Trabalhadores. Minha filiação no partido é número 200. Em Camaçari eu sou um dos poucos iniciantes desse partido, porque nós apenas iniciamos o partido com um grupo de, não mais do que uma dúzia de militantes, a agente fazia parte desse primeiro lote de militantes na fundação do PT de Camaçari.

E ao longo de toda a minha vida, consolidei a estrutura e o projeto e a intervenção pelo Partido dos Trabalhadores. Consolidando o momento que nós estamos vivendo em Camaçari, que é um movimento da democracia. O PT tem uma diferença em relação á estrutura partidária, é porque o militante é mais simples, o filiado. Tem dentro do partido o mesmo peso que uma liderança.

O voto do filiado e o voto do governador [Jaques Wagner] que é filiado em Camaçari, o voto do prefeito Luiz Caetano, do meu voto, da deputada Luiza [Luiza Maia, deputada estadual, esposa de Caetano], e dos vereadores e de outras lideranças, como os secretários, são iguais. E o que nos estamos disputando é justamente isso, é o direito democrático da base da militância, definir pela sua indicação para disputa eleitoral em 2012.

JGB – Nos bastidores comenta-se que o seu grupo político está em confronto com o grupo que é atualmente liderado pelo prefeito Luiz Caetano?

Bira Corôa – Isso é natural no momento que se tem dois nomes. O PT inicialmente tinha seis nomes, hoje são dois nomes. É natural que ao ter dois nomes, existirem divisões. Setores que apoiam um nome e setores que apoiam outro nome, e isso nós estamos vivenciando dentro do partido. Agora o que pesa, e para mim é cômodo dizer isso, porque estou numa situação favorável, o que pesa na realidade é a posição da sociedade. Hoje, em todas as pesquisas, todas as consultas no município de Camaçari, o nosso nome desponta com uma distancia muito grande em relação ao nosso companheiro que também está colocando o nome à disposição. E isso, reflete, e reflete muito bem.

Internamente no partido vai permanecer na verdade, o aspecto de quem tem maior chance, que reúne maior condução, maior capacidade de fazer essa condução. Então, por isso eu estou tranquilo. E esse momento, é um momento natural da disputa interna e consequentemente das posições. É um direito democrático e a gente assegura isso, que as pessoas se posicionem. Caetano pode se posicionar por um nome, Pinheiro [Walter Pinheiro, senador] pode se posicionar por outro, Pelegrino [Nelso Pelegrino, deputado federal] por um nome, Afonso [Afonso Florence, Ministro do Desenvolvimento Agrário] do por outro. Isso é um processo democrático.

Agora, após a consolidação do nome por parte do partido, que o partido não se posicionou, e o partido só irá se posicionar após a deliberação nacional e ai após deliberação o partido a nível municipal devera se posicionar, e ai sim é que vamos ter o nome que vai representar, tirado pelo partido no município. No inicio nós estamos trabalhando a possibilidade de fazer pelo convencimento ou pela estrutura política, do acordo político. Não sendo possível a gente utilizará outros mecanismos, que também é democrático do partido, que são as previas.

Perfil do entrevistado:

Nome: Ubirajara da Silva Ramos Coroa (Bira Corôa)

Profissão: Biólogo e Professor

Nascimento: 13 de março de 1957, Salvador-BA

Filiação: João Ramos Coroa e Beatriz da Silva Ramos Coroa

Filhos: Priscila

Formação Educacional: Biologia.

Atividade Profissional: Assessor Municipal de Cultura de Camaçari-BA e professor.

Mandato Eletivo: Vereador em Camaçari pelo Partido dos Trabalhadores-PT, 2000-2004, reeleito pelo PT, 2005-2008. Eleito deputado estadual pelo PT, 2007-2011 e 2011-2015.

Filiação Partidária: PT, 2000 – 2010.

Atividade Partidária: Membro e presidente da Executiva do PT em Camaçari. Membro do Diretório Estadual do PT.

Carlos Augusto
Sobre Carlos Augusto 9157 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).