Cineasta baiano vai lançar documentário sobre Lamarca e Zequinha, em setembro

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

“Do Buriti a Pintada – Lamarca e Zequinha na Bahia”. Este é o título do filme documentário produzido e dirigido pelo cineasta baiano Reinaldo Pereira dos Santos (Reizinho). Reinaldo é historiador e professor em Ibotirama, cidade situada às margens do rio São Francisco. O cineasta documenta a passagem do capitão Carlos Lamarca e José Campos Barreto (Zequinha) pela região, nos idos de 1971, quando foram cercados e assassinados por integrantes do Exército Brasileiro e agentes dos órgãos de repressão.

O Buriti do título é uma referência ao povoado Buriti Cristalino, município de Brotas de Macaúbas, onde se deu o cerco militar, as mortes do professor Santa Bárbara e Otoniel Barreto, prisões e torturas inomináveis, inclusive do velho José Barreto, que foi dependurado de cabeça pra baixo para confessar o que não sabia. Tempos de terror militar no sertão de Brotas de Macaúbas. Foi no Buriti Cristalino que Olderico Barreto resistiu a bala e foi ferido no rosto – um heróico sobrevivente.

E a Pintada do título é o povoado do município de Ipupiara, em cuja caatinga se concluiu o cerco e o assassinato de Lamarca e Zequinha. O documentário contém depoimentos de pessoas que conviveram com eles no sertão da Bahia, acompanharam a trajetória, testemunharam a chegada da repressão militar.

Segundo o blog http://doburitiapintada.blogspot.com o diretor do documentário, Reinaldo Pereira (Reizinho) atuou como assistente na produção do filme Lamarca, de Sérgio Rezende (baseado no livro “Lamarca, O Capitão da Guerrilha”, de Emiliano José e Oldack Miranda). O ator Paulo Betti, que interpretou Carlos Lamarca, é o narrador no documentário de Reizinho. O filme Lamarca foi rodado, em parte, na localidade chamada Barro Vermelho, entre Ibotirama e Oliveira dos Brejinhos.

O documentário tem duração de 58 minutos, e está com a estréia programada para o próximo dia 17 de setembro de 2011, em Brotas de Macaúbas, como parte das homenagens que todo ano são prestadas ao capitão Lamarca, aos irmãos Zequinha e Otoniel, ao professor Santa Bárbara, a Olderico Barreto e a todos que foram presos e torturados na operação de cerco e aniquilamento realizada em 1971. Lá se vão 40 anos.

*Com informação : Oldack Miranda

Redação do Jornal Grande Bahia
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 108790 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]