Organização criminosa é desarticulada em Camacan e dezessete pessoas foram presas durante Operação Esfinge

Investigações conduzidas pela Secretaria da Segurança Pública – a partir de indícios levantados pelo Ministério Público Estadual – sobre a atuação em Camacan de uma organização criminosa, liderada pelo delegado titular do município, Jackson Silva, e pelo major PM José Silvério de Almeida Neto, resultaram em suas prisões e nas de seis investigadores (um deles já aposentado), duas escrivães, um sargento e dois soldados PMs, além de três empresários da região. Peculato, extorsão, tráfico de drogas, homicídios e receptação de carga roubada estão entre os delitos atribuídos à quadrilha.

A operação Esfinge, desencadeada conjuntamente pela SSP e pelo Grupo de Atuação Especial de Combate às Organizações Criminosas e de Investigações Criminais (Gaeco) do Ministério Público, teve início, na madrugada desta terça-feira (31), para o cumprimento de 21 mandados de prisão e 25 de busca e apreensão. Um balanço parcial da operação foi apresentado à imprensa às 16h30min, em Ilhéus, pelo diretor do Departamento de Polícia do Interior, delegado Edenir Macedo, pela promotora Ediene Louzado, do Gaeco, e pelo corregedor-geral da Polícia Militar, coronel Marconi Calmon do Nascimento.

O delegado geral adjunto, Bernardino Brito Filho, e o delegado Jackson Carvalho, corregedor adjunto da Corregedoria da Policia Civil, participaram da operação, realizada por cerca de 100 policiais civis, dentre eles investigadores da Coordenação de Operações Especiais (COE), e 31 policiais militares, sendo 15 do Batalhão de Choque, nove do Comando de Missões Especiais e sete da Corregedoria. Três equipes da Secretaria Estadual da Fazenda (Sefaz), empenhadas no combate à sonegação fiscal, acompanharam o cumprimento dos mandados de busca e apreensão relativos ao desvio de mercadorias e documentos.

Além do delegado Jackson Silva e do major PM José Silvério, foram presos em Camacan os investigadores Carlos Jorge Silva Góes, Clévison José Alves Rocha, Laílson Monteiro Lobo, Paulo César de Oliveira, Thales Santos Carvalho e João Oliveira Larcher (aposentado), as escrivães Carla Cristina Brito Félix e Tatiane Ribeiro Tanajura. Também estão presos o sargento PM Lauro Antônio Oliveira Ferraz, os soldados Lúcio Lima Viana e Matheus Ferraz Costa e os empresários atacadistas, os irmãos Edvan Ribeiro Santana e José Ivan Ribeiro Santana, e José Siqueira Silva.

A operação conjunta da SSP e do Gaeco resultou ainda em sete prisões em flagrante, duas por peculato (apropriação ou desvio de bem público ou sob responsabilidade do poder público) e cinco por porte ilegal de arma, segundo informou a corregedora-chefe da Polícia Civil, delegada Iracema Silva de Jesus. Foram apreendidos dez revólveres, quatro rifles, uma carabina, uma pistola, mais de 200 munições de calibres variados e cinco carros e motocicletas com evidentes sinais de adulteração.

As investigações sobre as atividades da quadrilha em Camacan e adjacências tiveram inicio em novembro do ano passado. Os servidores das polícias Civil e Militar integrantes do esquema criminoso serão encaminhados para as respectivas corregedorias, em Salvador. Já os empresários ficarão à disposição da Justiça no Presídio Regional de Ilhéus.

 

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]

Be the first to comment on "Organização criminosa é desarticulada em Camacan e dezessete pessoas foram presas durante Operação Esfinge"

Leave a comment

Your email address will not be published.


*