Oposição em Coité culpa prefeito por fechamento de hospital

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.


Os principais líderes da oposição em Conceição do Coité responsabilizaram hoje (07/06/2011) o prefeito Renato Souza (PP) pelo fechamento do Hospital Almir Passos, ocorrido na última sexta-feira (3). Eles lembraram que, em 2010, a prefeitura municipal recebeu R$4,8 milhões de transferências constitucionais do governo federal somente para a saúde, e que esses recursos seriam mais que suficientes para manter aberto o hospital, mantido por uma entidade filantrópica ligada ao grupo político do ex-prefeito Hamilton Rios (DEM).

O presidente municipal do PT, Francisco de Assis, mais conhecido como Assis da Caixa, lembrou que o orçamento de 2011 para a área da saúde em Coité é de R$10,8 milhões. “O prefeito está dizendo que a responsabilidade pelo fechamento do hospital não é dele. Mas a gestão da saúde em Coité é municipal, ou seja, a prefeitura recebe dinheiro diretamente do governo federal. Portanto, ele é o responsável sim”, disse o petista.

“O problema é que o senhor Renato Souza preferiu utilizar boa parte dos recursos transferidos pela União para bancar os correligionários dele que ganham uma fortuna transportando doentes para Salvador, ao invés de investir no hospital e nos postos de saúde”, acrescentou Assis da Caixa.

Presidente municipal do PMDB, Alex Lopes, popularmente conhecido como Alex da Piatã, destacou que foi o grupo de Hamilton Rios, do qual Renato Souza faz parte, que repassou a administração do Hospital Almir Passos para uma entidade filantrópica, em 1992. “Naquele ano, o grupo do prefeito havia perdido a eleição para a oposição e não quis perder o hospital, por isso apelou para essa manobra mesquinha. Essa associação, chamada de Santa Casa de Misericórdia, sempre foi presidida por gente ligada ao grupo do prefeito”, frisou.

“Não adianta o prefeito tentar se fazer de vítima nesse episódio. Ele deveria assumir sua responsabilidade. No sábado passado, um dia após o fechamento do hospital, o prefeito, ao invés de estar em Salvador procurando resolver o problema com a urgência que o caso diz, procurando o governador, o secretário estadual de Saúde, estava foi no povoado de São Roque dançando forró. Não estamos comemorando essa tragédia. Estamos apenas é cumprindo com nosso papel de cobrar da prefeitura”, complementou Alex da Piatã.

O Hospital Almir Passos foi fechado após um auditoria da Secretaria de Saúde do estado, que encontrou uma série de irregularidades, inclusive na área da higiene. Não há previsão de quando a unidade de saúde vai ser reaberta. Enquanto isso, o Hospital Regional, que também fica em Coité, está sobrecarregado e segue semreceber um centavo da prefeitura, informaram os oposicionistas.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]