O Brasil anda às mil maravilhas

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

O Brasil anda às mil maravilhas segundo a ótica do governo. Vamos falar sério! A certeza futurística do Brasil sem miséria tem a mesma dimensão da afirmativa do PT de que o Palocci é um homem sério. Ele é “muito sério” para o PT, mas não para os demais brasileiros honestos, que vivem de salários e não do enriquecimento ilícito ou de qualquer mágica que a política de locupletação proporciona aos aproveitadores do Brasil.

Como acreditar num Brasil sem miséria, se o país tem uma dívida interna assombrosa na ordem de 1,653 trilhão de reais, que o governo não combate para sobrar dinheiro para o social? Como queremos um Brasil sem miséria se a elite federal – Congresso Nacional, ministros de Estado, Vice-Presidente e Presidente da República, e refletindo em cascata nos entes estaduais e municipais – é abençoada com salário de 26.700 reais e mais penduricalhos remuneratórios? Tentar combater a miséria sem indicação de uma fonte fixa e certa de disponibilidade para o seu combate só se for tungando o bolso do contribuinte com mais aumento da carga tributária. Temos que entender melhor essa mágica governamental para combater a miséria, quando o governo continua gastando e não dando sinal de austeridade nos gastos públicos.

O frenesi “o Brasil cresceu porque a pobreza diminuiu” é uma grande falácia para enganar incautos eleitores, principalmente petistas pobres, semianalfabetos, que se contentaram com migalhas para não morrer de fome. O Brasil cresceu, sim, mas de dívidas aos pobres consumidores que recebem salário mínimo, os quais, atendendo ao apelo irresponsável do governo, compraram o que não podiam pagar, e agora, esta é a cristalina verdade, estão todos mergulhados em dívidas de prestações de curto e longo prazo, cujas faturas de cobranças deveriam ser encaminhadas ao governo para pagar, pois foi ele, irresponsavelmente, o autor do endividamento dessa gente.

O governo comemora. Segundo dados do IBGE, o PIB da agropecuária cresceu mais que indústria e serviço: subiu 3,3% no primeiro trimestre deste ano, em relação ao trimestre imediatamente anterior. E 3,1%, na comparação com o primeiro trimestre do ano passado, em igual período de 2011. Mas o que tem a ver alguma influência positiva do governo na relação agropecuária e PIB, se essa atividade está condicionada às influências das condições climáticas? O PT usa a bandeira do sofisma para enganar incautos, lamentavelmente.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]