Mercadante diz que suspeitas de participação dele na compra de dossiê contra tucanos são insustentáveis. Ideli também nega envolvimento

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Mercadante diz que suspeitas de participação dele na compra de dossiê contra tucanos são insustentáveis

O ministro da Ciência e Tecnologia, Aloizio Mercadante, disse hoje (27/06/2011) que as suspeitas sobre participação dele no caso da compra de informações falsas contra políticos do PSDB nas eleições de 2006 são “insustentáveis”. Ele informou que irá amanhã (28) ao Senado prestar esclarecimentos.

“Essa denúncia é insustentável, mas vida pública é isso aí”, disse ele, durante almoço promovido por um grupo de empresários em São Paulo. “Minha vida é transparente e estou pronto para debater aqui, no Senado ou em qualquer outro lugar.”

A denuncia de compra de dossiês falsos contra tucanos nas eleições ficou conhecido como o escândalo dos “aloprados”, menção feita pelo então presidente Luiz Inácio Lula da Silva, na época. Na semana passada, uma reportagem da revista Veja aponta Mercadante como um dos mentores do suposto esquema, que resultou na prisão militantes do PT, flagrados com dinheiro sem comprovação de origem.

Mercadante disse aos empresários que as suspeitas já foram apuradas por uma comissão parlamentar de inquérito instaurada no Congresso cinco anos atrás, cujo relatório final não faz qualquer menção ao nome dele.

O ministro lembrou que Procuradoria-Geral da República (PGR) e o Supremo Tribunal Federal (STF) também já o inocentaram de qualquer ligação com o caso. Mesmo assim, Mercadante disse que irá ao Senado para debater o assunto novamente, “com profundidade”.

Ideli nega envolvimento em elaboração de dossiê para prejudicar Serra nas eleições de 2006

A ministra da Secretaria de Relações Institucionais, Ideli Salvatti, divulgou hoje (27) nota negando que tenha participado da elaboração de dossiê para prejudicar o então candidato ao governo do estado de São Paulo, José Serra, na campanha política de 2006. A suposta participação de Ideli no caso foi noticiada na última edição da revista Veja.

“Nunca elaborei nem participei da confecção de dossiês políticos. Não participei de reuniões que tivessem como tema a elaboração de material contra o candidato ao governo do estado de São Paulo, José Serra, no ano de 2006”, diz a nota assinada por Ideli.

A ministra afirma ainda que sua atuação partidária “é absolutamente alheia ao contexto político em que estaria envolvida a divulgação do suposto dossiê detalhado na reportagem da revista Veja”.

Sobre a reunião para tratar do dossiê que a revista informa ter sido elaborado em 4 de setembro de 2006 com participação de Ideli, ela diz que como líder da bancada do PT no Senado foi chamada ao gabinete do então líder do governo, Aloizio Mercadante, para falar sobre um depoimento que seria dado ao Conselho de Ética da Casa. Hoje, Mercadante é ministro da Ciência e Tecnologia.

“Naquela ocasião, como bem declarou o ministro Aloísio Mercadante, apenas expressei que o Conselho de Ética não seria o fórum adequado para debater tal assunto”, lembra a ministra.

A matéria da revista informa que Ideli conhecia todos os detalhes do dossiê e teria procurado jornalistas interessados em divulgar o conteúdo. Veja revela também que o Mercadante teria participado ativamente da elaboração do documento, mas ele nega seu envolvimento no caso.

*Com informação : Agência Brasil

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected].