José Carlos Aleluia aprofunda a critica e diz: Censo 2010 comprova mentira do Topa (Programa de Educação do Governo Wagner)

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.


“Pega na mentira! Pega na Mentira!”. O refrão de um grande sucesso do compositor Erasmo Carlos é cantarolado pelo presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia, ao constatar a dissonância entre o número de alfabetizados pelo Topa (Todos pela Alfabetização), propagandeado pelo governador Jaques Wagner em seu primeiro mandato (2007/2010), e o resultado do Censo 2010, realizado pelo IBGE.

“Na propaganda do governo de Wagner, anunciam a alfabetização de 751 mil baianos pelo Topa nos quatro anos do primeiro mandato. A realidade revelada pelo Censo 2010 é bem diferente. O número real de alfabetizados é quase seis vezes inferior. Apenas 132 mil baianos aprenderam a ler e a escrever no período”, afirma Aleluia.

Ao contrário de Jaques Wagner que chuta números grandiosos e fica repetindo na propaganda para parecer verdade, o líder oposicionista extrai as informações, que desmascaram mais uma vez a farsa do Topa, de uma fonte inquestionável: o Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

“A Pesquisa Nacional de Amostragem Domiciliar (PNAD), realizada pelo IBGE em 2006, indica a existência naquele ano de 1.862.000 analfabetos na Bahia. O Censo 2010, agora, revela que há 1.730.000 baianos sem saber ler e escrever. Com uma simples conta de diminuição chega-se a 132 mil, que é a redução verdadeira do número de analfabetos no estado entre 2007 e 2010, período do primeiro mandato de Wagner”, explica o presidente democrata.

Aleluia observa que o falacioso número de 751 mil pessoas alfabetizadas pelo Topa contraria até mesmo a redução do índice quando se comparam os Censos de 2000 e 2010. “Ao se fazer um comparativo dos Censos de 2000 e 2010, em 10 anos, 328 mil baianos deixaram de ser analfabetos. Eram 2.058.000 em 2000 e, em 2010, 1.730.000 analfabetos”.

Para o dirigente democrata, o governo Jaques Wagner deve acreditar em duendes, pois não se constrange em ludibriar a população com números absurdos e gastar o dinheiro do povo para enganar o povo. “Por sinal, fala-se tanto em transparência das contas do governo, mas o que se constata é uma verdadeira caixa preta quando se procura detalhar os gastos do governo com o Topa e sua propaganda enganosa. O Ministério Público e o Tribunal de Contas do Estado precisam estar alertas a essas irregularidades”, denuncia.

Aleluia: Wagner comete disparate ao dizer que melhoria de condições de vida aumenta violência no Nordeste

“Se já não bastassem as explicações estapafúrdias para justificar os números do Topa desmentidos pelo Censo 2010, o governador Jaques Wagner me sai agora com a pérola de que ‘a violência cresceu em todo o Nordeste por causa da melhoria das condições de vida na região’”, comenta o presidente estadual do Democratas, José Carlos Aleluia, sobre a declaração dada pelo governador em entrevista à Rede TV, no último domingo.

Para o líder oposicionista, ao contrário do que afirmou o governador ao jornalista Kennedy Alencar o crescimento da violência não é generalizado no Nordeste. “A exemplo de Pernambuco que sempre apresentou índices de criminalidade superiores aos baianos, vários estados estão conseguindo reduzir suas ocorrências criminosas. A grande surpresa é o crescimento exponencial da violência na Bahia nos últimos anos”.

Aleluia destaca ainda o disparate do governador ao relacionar o aumento da violência na região com a melhoria das condições de vida. “Que lógica pelo avesso é essa que o nosso ilustre governador quer nos fazer crer agora. Quer dizer que o aumento da renda e a diminuição do desemprego geram mais criminalidade? Wagner mesmo vive propagandeando o aumento do emprego na Bahia”.

Compartilhe e Comente

Redes sociais do JGB

Faça uma doação ao JGB

About the Author

Redação do Jornal Grande Bahia
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]