SAMU de Feira de Santana realiza 3ª edição do projeto Sessão Clínica promovida

Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192).
Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192).
Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192).
Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU 192).

Mais uma edição do projeto Sessão Clínica, promovido pelo Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu 192), será realizada nesta terça-feira (03/05/2011), às 19 horas, no auditório da Secretaria Municipal de Saúde de Feira de Santana (SMS). Em sua terceira edição, o projeto vai abordar o tema “Atendimento inicial ao politraumatizado”.

A palestra será proferida pelo cirurgião-geral, Harley Ramos. Cerca de 70 profissionais, dentre enfermeiros e médicos do Samu, de policlínicas, bem como de unidades hospitalares e clínicas de emergência conveniadas ao Sistema Único de Saúde (SUS), devem participar do evento.

Conforme a coordenadora do Samu, Maíza Macedo, as edições do projeto Sessão Clínica acontecem sempre na primeira terça-feira de cada mês e visam qualificar os atendimentos. “A cada edição, são discutidos temas científicos sobre atendimentos de urgências pré-hospitalares, com o intuito de integrar os serviços de saúde de urgência e emergência vinculados ao SUS no município”, destaca.

Construções irregulares no Feira X: Prefeito recebeu representantes da comunidade 

A Secretaria Municipal Habitação e Regularização Fundiária vai fazer o levantamento de todos os moradores que estiverem construindo casas em área de preservação ambiental e próximas a rede de alta tensão, no bairro Feira X. O prefeito Tarcizio Pimenta recebeu alguns representantes da comunidade acompanhados do vereador David Neto, no Paço Municipal Maria Quitéria, na manhã desta terça-feira (03/05).

O prefeito informou que irá convocar um representante da Secretaria de Habitação para nos próximos dias ir até o bairro verificar e fazer o levantamento das famílias que estão nessa situação. “Peço para quem está construindo as casas que parem. Vamos fazer o levantamento para ver o que pode ser feito”.

Ele informa que através do Programa Minha Casa Minha Vida foram entregues mais de 7 mil imóveis. “Está previsto para 2012 entregarmos mais 15 mil casas. Isto representa 45 mil pessoas, quase 10% da população de Feira de Santana”, enumerou. Tarcízio observou que a questão reflete o crescimento da cidade.

“Feira de Santana é uma cidade que se desenvolveu muito. Mais pessoas chegaram e com isso, precisou investir mais em educação, saúde, transporte”. O prefeito observou ainda a necessidade de novas conversações. “Iremos manter o diálogo. Problemas sempre vão existir, nas pequenas e grandes cidades”. ressaltou. A reunião também foi acompanhada pelo secretário de Desenvolvimento Urbano, José Pinheiro.

SMS realizou seminário sobre a Coqueluche: Profissionais de saúde que atuam nas UBS e PSF foram capacitados

Com intuito de capacitar os profissionais de saúde para desenvolver as ações de vigilância epidemiológica e assistência aos casos de coqueluche, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Divisão de Vigilância Epidemiológica (Viep), realizou um seminário na manhã desta terça-feira (03/05), no Teatro Margarida Ribeiro.

Conforme dados da SMS, foram notificados este ano 30 casos da doença em Feira de Santana, sendo confirmados cinco. Médicos, enfermeiros, bioquímicos e técnicos de laboratório que atuam nos postos do Programa de Saúde da Família (PSF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS), Hospitais Municipal e Estadual da Criança participaram do evento.

A infectologista da Viep, Normeide Pedreira, que fez a abertura do seminário com a apresentação da palestra “Manifestações Clínicas, Diagnóstico e Tratamento da Coqueluche”, destacou que os profissionais de saúde encontram dificuldades em diagnosticar a doença.

“Estamos trazendo à discussão uma doença que estava no esquecimento. Enfermeiros, clínicos, pediatras e pneumologistas que atuam hoje na rede de saúde dificilmente já atenderam pacientes com a coqueluche, porque há muito tempo não eram registrados casos da doença. Então é uma situação nova para a maioria deles. Por isso, a importância deste evento”, salientou.

“A Epidemiologia da Coqueluche no Brasil, Bahia e em Feira de Santana” foi tema da palestra apresentada pela técnica de referência em Coqueluche da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), Raimunda Santos e pela enfermeira da Viep, Maricélia Lima. “Avaliação da cobertura vacinal da Coqueluche na Bahia e em Feira de Santana” foi discutida pela enfermeira da Sesab, Maria de Fátima Sá Guirra.

A coqueluche é uma doença infecciosa aguda que atinge o aparelho respiratório, caracterizada por tosse seca há mais de duas semanas. Em crianças menores de dois anos, pode resultar em complicações e óbitos. Por isso, a imunização, feita através da vacina tetravalente (DTP), é recomendada até a idade de seis anos completos. A transmissão da coqueluche se dá através do contato direto de pessoas doentes com pessoas sadias, ocorrendo por meio de gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou fala.

SMS realizou seminário sobre a Coqueluche: Profissionais de saúde que atuam nas UBS e PSF foram capacitados

Com intuito de capacitar os profissionais de saúde para desenvolver as ações de vigilância epidemiológica e assistência aos casos de coqueluche, a Secretaria Municipal de Saúde (SMS), através da Divisão de Vigilância Epidemiológica (Viep), realizou um seminário na manhã desta terça-feira (03/05), no Teatro Margarida Ribeiro.

Conforme dados da SMS, foram notificados este ano 30 casos da doença em Feira de Santana, sendo confirmados cinco. Médicos, enfermeiros, bioquímicos e técnicos de laboratório que atuam nos postos do Programa de Saúde da Família (PSF) e Unidades Básicas de Saúde (UBS), Hospitais Municipal e Estadual da Criança participaram do evento.

A infectologista da Viep, Normeide Pedreira, que fez a abertura do seminário com a apresentação da palestra “Manifestações Clínicas, Diagnóstico e Tratamento da Coqueluche”, destacou que os profissionais de saúde encontram dificuldades em diagnosticar a doença.

“Estamos trazendo à discussão uma doença que estava no esquecimento. Enfermeiros, clínicos, pediatras e pneumologistas que atuam hoje na rede de saúde dificilmente já atenderam pacientes com a coqueluche, porque há muito tempo não eram registrados casos da doença. Então é uma situação nova para a maioria deles. Por isso, a importância deste evento”, salientou.

“A Epidemiologia da Coqueluche no Brasil, Bahia e em Feira de Santana” foi tema da palestra apresentada pela técnica de referência em Coqueluche da Secretaria de Saúde do Estado (Sesab), Raimunda Santos e pela enfermeira da Viep, Maricélia Lima. “Avaliação da cobertura vacinal da Coqueluche na Bahia e em Feira de Santana” foi discutida pela enfermeira da Sesab, Maria de Fátima Sá Guirra.

A coqueluche é uma doença infecciosa aguda que atinge o aparelho respiratório, caracterizada por tosse seca há mais de duas semanas. Em crianças menores de dois anos, pode resultar em complicações e óbitos. Por isso, a imunização, feita através da vacina tetravalente (DTP), é recomendada até a idade de seis anos completos. A transmissão da coqueluche se dá através do contato direto de pessoas doentes com pessoas sadias, ocorrendo por meio de gotículas de secreção eliminadas por tosse, espirro ou fala.

Estudantes jogam contra Dengue: Material distribuído para 400 alunos da Escola Monteiro Lobato

Estudantes da rede municipal de ensino de Feira de Santana estão aprendendo a combater o mosquito aedis aegypti através do jogo: “Os estudantes no combate à dengue”. Nesta terça-feira (03/05), mais de 400 jogos educativos começaram a ser distribuídos para os estudantes do 1º ao 5º ano da Escola Municipal Monteiro Lobato, no turno matutino.

Para a vice-diretora Débora Lima, o jogo vai proporcionar aos alunos a oportunidade de aprender com diversão. “Com o jogo, os alunos vão ter instruções importantes para combater a dengue. As crianças têm o poder de transmitir tudo aquilo que lhes é ensinado. Esta é uma boa maneira encontrada para que a campanha seja disseminada dentro de casa”, considera.

A estudante Luana Vitória Sodré, 11 anos, afirma que com as informações do jogo vai ficar mais fácil combater a dengue. “Vamos aprender brincando a nos prevenir contra o mosquito, evitando deixar água parada em garrafas, plantas e recipientes. Já o estudante Marcelo Conceição Pereira, 12 anos, promete repassar a idéia para todos os vizinhos e amigos. “Depois de praticar o jogo, vou aprender novas formas de prevenção. Não devemos deixar água parada para que mosquito não se reproduza e transmita a doença”, destaca.

Segundo o secretário municipal de Educação, José Raimundo de Azevedo, os jogos faltam ser entregues apenas em 10% das escolas municipais. “Em decorrência dos feriados, estamos retornando a distribuir os jogos nas escolas. É muito válido transmitir as formas de prevenção para os jovens, pois eles conseguem assimilar com mais facilidade e retransmitir a informação” ressalta.

O jogo é montado em uma cartolina com um dado de material montável. A cada etapa vencida, o estudante descobre o que é a dengue, constata a existência de recipientes que favoreçam a proliferação do mosquito. O estudante também aprende os sintomas da doença, as formas de transmissão, os locais de reprodução dentre muitas outras curiosidades. O jogo é uma iniciativa da Secretaria Municipal de Educação, e conta com apoio das Secretarias Municipal de Saúde e de Comunicação Social.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 115091 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.