O que há é a intimidação, o medo de perder o emprego, diz Hugo Carvalho, presidente do PT em São Gonçalo; Confira entrevista

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Hugo Carvalho declara: O que há é a intimidação, o medo de perder o emprego... qualquer pessoa que se posicione contra o governo sofre represálias.
Hugo Carvalho declara: O que há é a intimidação, o medo de perder o emprego... qualquer pessoa que se posicione contra o governo sofre represálias.

O Jornal Grande Bahia (JGB) esta apurando as graves irregularidades que cercam a gestão municipal em São Gonçalo: obras inacabadas, falta de transparência na prestação de contas do milionário São João, processo judiciais se arrastam desde 2006, profissional de rádio que nomeado no gabinete do prefeito – não frequentava o trabalho (funcionário fantasma), enriquecimento ilícito, além de outras mazelas administrativas. Que caso comprovadas, ensejam uma intervenção judicial.

Neste primeiro momento, o JGB entrevista Hugo Carvalho, 70 anos, presidente do Partido dos Trabalhadores (PT) em São Gonçalo dos Campos. Ele crítica a concentração do poder político existente no município e afirma: “O que há é a intimidação, o medo de perder o emprego”, e segue “qualquer pessoa que se posicione contra o governo sofre represálias.”.

Carvalho também comenta as ações que estão sendo tomadas para acabar com o lixão que está em local inapropriado comprometendo a saúde da população, crítica a frágil representatividade da oposição na câmara de vereadores e a suposta cooptação do petista Cacau do Vale pela grupo governista. Além da ação movida contra o prefeito, o peemedebista Antônio Dessa Cardoso (Furão), que envolvido em ato de corrupção, foi denunciado pelo Ministério Público Federal em duas ocasiões.

“Tivemos, inclusive, aqui em São Gonçalo, nas eleições passadas, casos de nota de R$ 50,00 cortadas ao meio em que o eleitor recebia a outra parte após o voto. Isso traz todo um sistema de distorção na forma de se fazer política.”, declara Carvalho

JGB – Quais os principais problemas que o senhor vê na administração municipal de São Gonçalo?

Hugo Carvalho – Nós nos preocupamos em primeiro lugar com os nossos propósitos, os nossos objetivos. Entendemos que ao jeito petista de governar deveria ser dada a oportunidade em São Gonçalo. Somos críticos sempre que se faça necessário, do presente sistema que vigora em São Gonçalo dos Campos, não somente do atual governo, mas da forma como a política se conduz nos últimos 40 anos, fortemente, dominada por três pessoas, sem nenhuma chance aos partidos, especialmente, os de esquerda que têm desejos e aspirações diferentes.

JGB – Quais ações estão sendo tomadas para acabar com o lixão que está em local inapropriado?

Hugo Carvalho – São Gonçalo teve durante muitos anos um lixão a céu aberto perto da entrada da cidade e uma das associações que aqui existem lutou muito com informativos junto à imprensa e num dado momento o governo municipal sensível e também pressionado pelas manifestações da sociedade civil organizada se viu compelido a encerrar as atividades daquele lixão e passará num primeiro momento a levar o lixo para o aterro sanitário de Muritiba e mais recentemente para a cidade de Feira de Santana.

Esse novo lixão que estamos denunciando fica perto do resort onde há um areal e as pessoas estão aproveitando aquela área que fica desocupada após a retirada da areia para depositar lixo e assim entramos com uma denúncia junto ao Conselho Municipal de Meio Ambiente para que as devidas providências sejam tomadas.

JGB – Como o senhor avalia a representatividade da oposição na câmara municipal de São Gonçalo dos Campos?

Hugo Carvalho – A rigor só há um vereador de oposição, que é o nosso do PT. Ele foi o primeiro vereador que o PT elegeu na história de São Gonçalo. Esse foi o único cargo eletivo que o PT conseguiu em São Gonçalo.

Um vereador dentro de um grupo de treze é muito difícil de fazer o trabalho, muito difícil. Agora, está havendo mudança dado o período eleitoral em que há um reajuste de forças e recentemente o próprio PMDB, que é o partido de maior representação na cidade tendo três vereadores e o próprio prefeito, saiu das mãos do prefeito e foi para o vereador Lucivaldo de Carvalho. Isso aconteceu porque o atual prefeito Antonio Dessa Cardoso (Furão) e alguns vereadores que o seguem afirmaram que vão sair do PMDB e migrar para o PSD de Kassab.

Com isso criou-se uma situação de insustentabilidade dentro do partido e esperamos que o PMDB pelos prenúncios e comportamentos que vem mantendo o vereador Luciano parta para uma situação não de oposição, mas de confronto com a administração atual.

JGB – O senhor afirmou que o poder político em São Gonçalo dos Campos transita na mão de três pessoas. O que isso tem de negativo para a cidade?

Hugo Carvalho – O coronelismo, o caciquismo, um sistema deturpado de se fazer política a base de promessas. Tivemos, inclusive, aqui em São Gonçalo, nas eleições passadas, casos de nota de R$ 50,00 cortadas ao meio em que o eleitor recebia a outra parte após o voto. Isso traz todo um sistema de distorção na forma de se fazer política.

JGB – No boletim do PT denominado Espaço do Povo há uma nota abordando uma denúncia contra o atual prefeito junto ao Ministério Público do Estado da Bahia. Qual o teor dessa denúncia?

Hugo Carvalho – Nós ainda no boletim perguntamos por que as pessoas quando tem problemas não procuram os vereadores, outras entidades, outros partidos. A procura pelo PT se dá porque o PT é um partido de expressão política dentro da cidade, tendo uma organização que nenhum outro partido tem.

Nenhum outro partido é tão democrático quanto o PT, ao contrário o que se vê em São Gonçalo são expressões como o meu partido, porque eu faço, eu sou isso, eu sou aquilo. Assim, as pessoas de maneira geral ficam esperando a opinião do cacique para se posicionar. Aqui não. Aqui temos constantes debates e brigas.

Essa foi uma denúncia que não foi do PT, foi do movimento contra a corrupção eleitoral, que resultou nos candidatos fichas limpa. Essa denúncia foi apresentada porque aqui é hábito no período de recesso do governo legislativo o governo executivo fazer sessões extraordinárias para se valer disso e empurrar goela abaixo projetos como foi o último, que permitiu contratar mão-de-obra sem recorrer ao cadastro de reserva do concurso público efetuado.

Assim, nos limitamos apenas a informar o fato para que a opinião pública saiba. O mal é que a câmara concorda com isso tudo plenamente. Acho que apenas houve um ou dois votos contrários apenas.

JGB – Cacau do Vale foi o candidato mais bem votado do PT em São Gonçalo dos Campos. Nos bastidores especula-se que Cacau foi cooptado pela bancada governista. Isso é verdade ou mentira?

Hugo Carvalho – Como os eleitores se informam pelas orelhas e adoram ouvir rádio, sendo isso justo e importante. Os políticos sabem disso e começam a divulgar contendas nos territórios adversários, espalhando notícias que tentam desestabilizar os partidos que fazem oposição. Acredito que o companheiro Cacau, funcionário público licenciado, tem pela força da atividade que exerce contato com o governo municipal atual. Mas, digo que não acredito que possa haver esse tipo de cooptação.

JGB – O grupo atual que governa São Gonçalo está há décadas no poder. No entanto, eleição após eleição, a população os reelege. Então, como um governo caracterizado pelo senhor como coronelista e de caciquismo consegue a aprovação popular nas urnas?

Hugo Carvalho – As pessoas têm que melhorar de vida, cada vez mais, para terem independência. O que há é a intimidação, o medo de perder o emprego, sendo que existe uma profunda dominação do eleitorado que, ainda, não é senhor da sua vontade. Há pessoas que são incapazes de entrar aqui na sede do PT, são incapazes de pisar na calçada, viu o vermelho é como se vissem o diabo.

Muitas pessoas gostariam de entrar aqui. Elas dizem a mim: eu gostaria de ir lá, mas o senhor sabe como são as coisas. Lastimavelmente, as coisas são assim, qualquer pessoa se posicione contra o governo sofre represálias e depois vem à falta de independência financeira.

JGB – O Jornal Grande Bahia (JGB) agradece a sua entrevista e deixa com o senhor as últimas palavras.

Hugo Carvalho – Agradeço a oportunidade e me coloco a disposição. Estamos aqui tentando construir uma nova cidade, tentando fazer as coisas da melhor maneira possível com democracia e acima de tudo com respeito ao povo de São Gonçalo dos Campos.

*Na próxima publicação o JGB vai divulgar as ações judicias por atos de corrupção que o prefeito responde, o número e detalhes dos processo.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Carlos Augusto 10044 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).