Governo da Bahia desenvolve pacote tecnológico para fortalecer cultura do sisal

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

(Conceição do Coité – Bahia) Desenvolver um pacote tecnológico para aumentar a produção e a produtividade do sisal da Bahia, agregar valor ao produto e assegurar segurança e melhores condições de vida para os produtores. Essa foi a tônica da reunião da Câmara Setorial das Fibras Naturais, realizada nesta terça-feira, (03/05/2011), no Centro Cultural do município de Conceição do Coité. Os secretários da Agricultura, engenheiro agrônomo Eduardo Salles, de Ciência e Tecnologia, Paulo Câmara, e a superintendente da Conab na Bahia, Rose Ponde, debateram os principais problemas da cultura com técnicos da EBDA, produtores, exportadores e representantes dos Banco do Brasil e do BNB, buscando alternativas.

Convidado pelo secretário da Agricultura, o secretário Paulo Câmara anunciou que vai reunir técnicos das universidades, do Cintec e de todos os setores ligados ao sisal para analisar os equipamentos que existem na Bahia, no Brasil e no mundo para definir o melhor tipo de máquina desfibradora, com o objetivo de aproveitar 100% do potencial do sisal. Atualmente, apenas 4% são aproveitados. “Falta mão de obra no segmento. Nós precisamos de uma máquina que não mutile e que apresente maior rendimento”, disse Câmara.

O secretário Eduardo Salles destacou que estudos realizados por técnicos da EBDA, em dez municípios da região de Serrinha e Coité, com produtores cadastrados no PEP, (Prêmio de Escoamento da Produção), da Conab, mostraram que a produtividade desse grupo é de 2.216 quilos por hectare, realidade que deverá ser considerada pela Conab para ampliar a cota de compra do PEP. “Essa não é a produtividade geral do sisal no Estado, mas o estudo realizado mostra que facilmente podemos duplicar a produção, que hoje é estimada em 120 mil toneladas/ano”, analisou Salles.

Oficina técnica e biofábrica

Para aumentar a produtividade é preciso fazer a limpeza da área e dar trato cultural, e para isso o produtor necessita de financiamento para custeio, operação que os bancos não fazem há algum tempo. Para tratar desse tema, os secretários Salles e Câmara, e o secretário executivo da Câmara Setorial de Fibras, Wilson Andrade, que é também presidente do Sindicato de Fibras, agendaram a realização de uma oficina técnica, para os dias 17 e 18 deste mês de maio, em Coité, com a participação de técnicos dos órgãos públicos e privados, produtores e representantes dos Banco do Nordeste do Brasil e do Banco do Brasil, para debater as questões de custeio e atualizar o sistema de produção.

Outra ação anunciada pelos secretários Salles e Câmara foi a criação de uma Biofábrica de Sisal, em local a ser definido, com o objetivo de produzir mudas sadias e distribuir com os agricultores familiares. A iniciativa tem o objetivo de combater a podridão vermelha, principal doença que ataca a cultura do sisal.

Os principais pontos discutidos pela câmara setorial foram a necessidade de aumentar produtividade por hectare; melhoria da qualidade da fibra e a certificação e desenvolver um selo de qualidade; desenvolvimento de equipamentos, como desfibramento para dar mais conforte e qualidade e segurança ao produtor; utilização de 100% da planta; uso da fibra de sisal em áreas que podem pagar mais e até triplicar a produção do sisal; e fazer o marketing do sisal, mostrando aos prefeitos, vereadores, produtores e indústrias que a Bahia tem capacidade de abastecer o mercado com qualidade e regularidade.

Também participaram os debates os superintendentes de Agricultura Familiar e de Desenvolvimento Agropecuário da Seagri, Wilson Dias e Raimundo Sampaio, o diretor de Agricultura da Seagri, Almeida Junior, e o deputado estadual Tom Araujo. Ele anunciou que a Comissão de Agricultura da Assembléia Legislativa vai se reunir em Coité, no próximo dia 12.

Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 111141 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]