Ex-militares são condenados à prisão perpétua na Argentina por crimes cometidos na ditadura

Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

Brasília – Oito ex-militares foram condenados à prisão perpétua na Argentina pela execução de 22 prisioneiros políticos, no Norte do país, durante o período de ditadura (1976-1983). Os juízes do Tribunal da Resistência, na província de Chaco, condenaram ontem (16/05/2011) os ex-militares por homicídio, mas absolveram um ex-agente da polícia.

Em 13 de dezembro de 1976, um total de 22 jovens foram fuzilados perto de Margarita Belen (Chaco) durante a transferência para uma prisão da província de Formosa, no Norte da Argentina. No inquérito, há um desmentido da versão oficial, segundo a qual os jovens foram mortos ao tentar fugir.

Depois do governo do ex-presidente Néstor Kirchner (2003-2007), houve a anulação das leis de anistia da ditadura e a reabertura de vários processos. O assunto gera manifestações e apelos de julgamento para a condenação dos ex-militares.

A presidente Cristina Kirchner, que sucedeu a marido em 2007, manteve a mesma disposição. Cerca de 30 mil pessoas desapareceram durante o período da ditadura na Argentina, de acordo com os dados de organizações de defesa dos direitos humanos.

*Com informações: Agência Lusa

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 112633 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: [email protected]