Diretores do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia são empossados

Diretores do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia são empossados
Diretores do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia são empossados
Diretores do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia são empossados
Diretores do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia são empossados

O secretário estadual do Meio Ambiente, Eugênio Spengler, empossou nesta quarta-feira (18/05/2011), o novo diretor-geral do Instituto Estadual do Meio Ambiente e Recursos Hídricos da Bahia (Inema), Júlio Mota. Outros seis diretores do órgão também foram nomeados. A cerimônia contou com as presenças da secretária da Casa Civil, Eva Chiavon; o presidente da Companhia de Engenharia Ambiental da Bahia (Cerb), Bento Ribeiro; o diretor de Operação da Embasa, Eduardo Araújo; e o chefe de Gabinete da Secretaria de Desenvolvimento Urbano da Bahia (Sedur), José Eduardo Ribeiro Copello.

Spengler destacou a eficiência buscada com o novo modelo de gestão, que deverá ser mais eficiente e responder com qualidade e efetividade as demandas da sociedade. “A parte mais fácil se encerra hoje, com a posse dos diretores. A partir de agora, daremos continuidade ao processo e criaremos condições efetivas para o desenvolvimento do setor ambiental, que está associado à estratégia de inclusão social, erradicação da miséria, desenvolvimento, infraestrutura, apoio e integração com as políticas sociais capitaneadas pelo Governo”.

Para a secretária da Casa Civil, Eva Chiavon, esta medida dará mais simplificação e agilidade aos processos ambientais, fazendo com que questões como procedimentos duplicados estejam no passado. “As questões ambientais e de sustentabilidade são intrínsecas ao projeto de desenvolvimento do Estado. Não há nenhuma dicotomia ou contradição entre o projeto de desenvolvimento e a sustentabilidade. Com esse conjunto de políticas e servidores comprometidos com a instituição, e a instituição comprometida com um projeto de desenvolvimento mais justo e inclusivo, avançaremos”.

O diretor-geral do Inema, Júlio Mota, destacou a fusão do IMA e Ingá como um momento histórico. “Ao unir as políticas de recursos hídricos e de meio ambiente, fortalecemos as duas políticas, numa tentativa de evitar retrabalho e fazer com que essa fusão ocorra de forma coesa. A ideia é que consigamos, sem perder a qualidade, simplificar os nossos procedimentos e avaliar onde podemos melhorar”.

Mota também falou sobre os desafios da transição e, para superar essas barreiras, espera contar com o apoio dos servidores. “Acredito na capacidade e empenho de cada um dos servidores para que nós consigamos vencer essa etapa inicial. Vamos dar as respostas que a sociedade precisa e espera, no cumprimento da política ambiental da Bahia, que valoriza o desenvolvimento sustentável, respeitando os limites dos recursos naturais”.

Desafios – O secretário destacou três elementos motivadores para o aperfeiçoamento da gestão ambiental na Bahia: integrar políticas de meio ambiente, recursos hídricos e biodiversidade; incluir a variável econômica como estruturadora das ações ambientais; equalizar e resolver o problema histórico do licenciamento e dos processos autorizativos. “Esses elementos são apontados como desafio. É fundamental termos o desenvolvimento de todas essas políticas de forma integrada, para termos maior qualidade na gestão e o melhor resultado para a sociedade”.

Passivo ambiental – Durante seu discurso, Júlio Mota destacou como desafio o passivo ambiental na Bahia, herdado do passado, de processos florestais, que atualmente somam mais de 10 mil. “Montamos algumas estratégias para resolver essa questão. Daqui pra frente, todos os processos que entrarem devem ser menor do que os processos que sairão, de forma que não gere mais passivo”, avaliou.

O diretor-geral adiantou que está sendo organizado um mutirão, previsto para ocorrer no mês de junho, inicialmente nos territórios Portal do Sertão e Região do Oeste. “Vamos aplicar essa estratégia por região e por tipologia, para que, de forma rápida, consigamos oferecer celeridade na conclusão desses processos sem perder a qualidade dos nossos procedimentos”.

Novos diretores – Oficialmente empossado, o diretor-geral do Inema também empossou hoje seis novos servidores: o chefe de Gabinete, Edson Ribeiro dos Santos; a diretora de Regulação, Ana Paula de Souza Dias; a diretora de Fiscalização e Monitoramento, Márcia Cristina Telles de Araujo Guedes; o diretor de Águas, Luiz Henrique Pinheiro Silva; a diretora de Unidades de Conservação, Jeane Sofia Tavares Florence; e a diretora Administrativa e Financeira, Daniela Teixeira Fernandes de Araújo.

Sobre Carlos Augusto 9449 Artigos
Carlos Augusto é Mestre em Ciências Sociais, na área de concentração da cultura, desigualdades e desenvolvimento, através do Programa de Pós-Graduação em Ciências Sociais (PPGCS), da Universidade Federal do Recôncavo da Bahia (UFRB); Bacharel em Comunicação Social com Habilitação em Jornalismo pela Faculdade de Ensino Superior da Cidade de Feira de Santana (FAESF/UNEF) e Ex-aluno Especial do Programa de Doutorado em Sociologia da Universidade Federal da Bahia (UFBA). Atua como jornalista e cientista social, é filiado à Federação Internacional de Jornalistas (FIJ, Reg. Nº 14.405), Federação Nacional de Jornalistas (FENAJ, Reg. Nº 4.518) e a Associação Bahiana de Imprensa (ABI Bahia), dirige e edita o Jornal Grande Bahia (JGB).