Reforma do Código florestal | Por Raul Cânovas

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.
Jornal Grande Bahia, compromisso em informar.

A senadora Kátia Abreu, defende o aumento da produção agrícola, alegando problemas para suprir a demanda de alimentos. A parlamentar afirma que seria desumano desejar que os pobres comam menos (sic), como comentou a mídia nas últimas semanas.

Vejo um engano nesta afirmação. França, Holanda, Alemanha, Bélgica, Espanha e o Reino Unido, estão entre os 10 maiores exportadores de produtos agrícolas (o Brasil é o 12°). A área territorial do Brasil é cinco vezes maior que esses seis países juntos. Não precisamos derrubar nossas matas, como Aldo Rebelo, pretende, asseverando que não há mais florestas na Europa. Falso: 10% do Reino Unido são cobertos por árvores nativas, cerca de um terço da Alemanha também e a Comissão Europeia do Meio Ambiente recomenda a preservação da vegetação autóctone.

Precisamos sim, de portos modernos como: Roterdão, Antuérpia e Marselha; aeroportos como: o Charles de Gaulle, Frankfurt e Amsterdam. É necessário investir em um transporte ferroviário de ponta, com vagões-cisterna, vagões-frigoríficos e outros; atualmente, temos 29.700 km de rede precária ou sucateada, enquanto que esses seis países, acima citados, somam 102.000 km de uma malha que permite escoar mais de 40% de seus produtos, enquanto por aqui, lentamente são transportadas 23% da Economia do país. Modernizar também, as estradas em péssimas condições e asfaltar outras, tirando muitas regiões do ostracismo em que se encontram.

Para baratear e escoar nossa produção precisamos de tecnologia. É uma vergonha que apesar do Brasil ocupar o primeiro lugar como produtor mundial de café, ainda está muito longe da Itália e Alemanha, maiores exportadores do mundo, de café industrializado. A Alemanha é também a nossa maior compradora do café verde (em grãos). Importa o melhor café do mundo, agrega valor ao produto, torrando e moendo os grãos e o vende para países da Ásia, África, Europa, América do Norte, etc. Com o cacau acontece o mesmo, somos o quarto maior produtor do mundo, porém os melhores e maiores fabricantes de chocolate são os belgas, os franceses e o suíços.

Precisamos sim de tecnologia, não para gabar-nos de ocupar a sexta colocação no ranking mundial de produção de automóveis, já que as montadoras que dominam o mercado são estrangeiras, mas para que o governo incentive a indústria nacional, com tecnologia própria, como fez a Índia e a China, recentemente.

Em definitiva: a questão não é derrubar florestas para diminuir a fome, esta é (desculpem pelo trocadilho) conversa pra boi dormir. Se o deputado Aldo Rebelo quiser fazer comparações com a Europa, seria bom que alguém o lembrasse das conquistas sociais nesse continente. Ao final das contas o que seu partido, o PC do B, prega é a conquista operária, e esta não tem nada a ver com conquista ruralista.

*Por Raul Cânovas

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 123320 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.