José Carlos Aleluia recomenda ao deputado Yulo Oiticica cobrar do governador Jaques Wagner medicamentos para transplantados na Bahia

Publicidade

Banner da Gujão: Campanha com o tema ‘Tudo fresquinho é melhor’, veiculada em 3 de junho de 2022.

“O deputado Yulo (PT), na condição de representante do povo, deveria estar ocupando a tribuna da Assembleia Legislativa para cobrar do governador Jaques Wagner e do secretário Jorge Solla, seus correligionários, uma solução urgente para o problema dos milhares de transplantados baianos, que estão com a vida em risco, porque o governo estadual não cumpre com a obrigação de fornecer o medicamento Azatioprina, indispensável à saúde dessas pessoas”, responde o presidente da Fundação Liberdade e Cidadania, José Carlos Aleluia, à crítica do parlamentar petista ao protesto que fez contra a concessão do título de “doutor honoris causa” ao ex-presidente Lula pela Universidade de Coimbra, de Portugal.

Para Aleluia, antes de fazer qualquer tipo de patrulha ideológica a quem está exercendo o seu direito de livre expressão, previsto na Constituição Federal, Yulo deveria lembrar-se que o deputado federal Jair Bolsonaro, a quem ele tanto condena e demoniza, pertence aos quadros do PP, partido que faz parte do petismo tanto no governo federal quanto no estadual. “Não podemos esquecer que o PP foi a ala do PDS que ficou com a Ditadura Militar, apoiando Maluf contra Tancredo Neves”.

Aleluia cobra do governo medicação para transplantados

“A estratégia do silêncio usada pelo governo estadual como forma de deixar cair no esquecimento as inúmeras irregularidades denunciadas pela oposição, não deve e não pode servir à grave situação em que se encontram mais de dois mil transplantados no estado. Desde o dia 14 de março, essas pessoas estão sem a indispensável medicação Azatioprina, fornecida exclusivamente pela secretaria estadual de saúde (Sesab). É um problema que precisa ser resolvido urgentemente para não prejudicar vidas humanas”, reclama o presidente da Fundação Liberdade e Cidadania, José Carlos Aleluia.

Para Aleluia, a indiferença irresponsável do governo com o problema está levando ao desespero milhares de baianos que dependem dessa medicação. “Onde estão o governador Jaques Wagner e o secretário Jorge Solla, que não se sensibilizaram ainda com o emocionado apelo da jornalista Aleksandra Pinheiro que vem usando as redes sociais para denunciar esse drama social?”.

O ex-deputado federal não compreende a insensibilidade associada à negligência do governo. “Na farmácia do Hospital Ana Nery, que é um posto autorizado para a distribuição dos medicamentos de alto-custo, não há estoque nem previsão de entrega da Azatioprina, droga que evita a rejeição do órgão transplantado”.

De acordo com a presidente da Associação de Transplantados da Bahia (ATX-BA), Márcia Chaves, há um problema de gestão na Sesab. “A Azatioprina é uma medicação relativamente barata e é obrigação do estado provê-la aos transplantados, que necessitam dela sob o risco de perderem o transplante e voltarem, no caso dos renais, ao tratamento com hemodiálise, cujo custo é muito maior para o governo”.

 Márcia Chaves alerta que a situação é de emergência. “Nós, transplantados, não podemos deixar de tomar a medicação um dia sequer. A situação gera desespero e abala nossos familiares. Essa é uma luta pela vida!”, diz, acrescentando que, no governo de Paulo Souto, o secretário de saúde José Antonio Rodrigues firmou parceria com a associação e não faltava medicação.

Banner do JGB: Campanha ‘Siga a página do Jornal Grande Bahia no Google Notícias’.
Sobre Redação do Jornal Grande Bahia 122986 Artigos
O Jornal Grande Bahia (JGB) é um portal de notícias com sede em Feira de Santana e abrange as Regiões Metropolitanas de Feira de Santana e Salvador. Para enviar informações, fazer denúncias ou comunicar erros do jornal mantenha contato através do e-mail: editor@jornalgrandebahia.com.br.